Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta sexta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta sexta-feira (9) destaca que a briga pela Linx (LINX3) continua. A Totvs (TOTS3) quer uma revisão de sua proposta e aumentou o período de análise da oferta feita.

Também, que a Rede D’Or, maior grupo hospitalar do país, deve fazer nesta sexta-feira (9) seu registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para realizar IPO em dezembro.

Gol (GOLL4) divulga dados de setembro e Vale (VALE3) anuncia investimento em projeto de porto na China.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Confira mais destaques

Radar: mercados

Os mercados futuros de Nova York iniciam a sexta-feira (9) com alta, depois que a Casa Branca emitiu sinais de que está aberta novamente à discussão de um projeto de estímulo em grande escala.

Segundo a imprensa americana, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, teria dito à presidente da Câmara, Nancy Pelosi, que o presidente Trump concordou em buscar um acordo sobre um pacote de ajuda mais abrangente. Há alguns dias, ele derrubou as bolsas mundiais twitando que as negociações ficariam só para depois das eleições de novembro.

Trump se recupera da Covid-19 na reta final da campanha eleitoral e os investidores acreditam cada vez mais na vitória do democrata Joe Biden. As especulações agora vão na direção de saber se os democratas terão forças para dobrar o Congresso para promulgar estímulos massivos.

Destaques no Brasil

Por aqui, o destaque fica por conta da divulgação do Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA) de setembro, que prevê um aumento, na mediana, de 0,54% (acima do 0,24% de agosto). O IPCA é o indicador oficial de inflação do país.

Ontem, a bolsa fechou com alta de 2,51%, indo a 97.919 pontos.

Veja as cotações às 6h26:

  • S&P: +0,36%
  • Nasdaq: +0,31%
  • Dow Jones: +0,32%

Radar: destaques corporativos

Veja as principais notícias das empresas.

Totvs (TOTS3) quer revisão da proposta à Linx (LINX3)

A Totvs (TOTS3) comunicou ao mercado que foi aprovada a prorrogação até 17 de novembro de 2020, da validade da sua proposta de combinação de negócios com a Linx, apresentada inicialmente em 14 de agosto de 2020.

A companhia informou que a combinação de negócios com a Linx poderá gerar sinergias operacionais estimadas atualmente no valor presente líquido de aproximadamente R$ 3,2 bilhões.

Segundo o Valor, a Totvs deve elevar a oferta e recorrer à Comissão de Valores Mobiliário (CVM) por considerar que os conselheiros independentes da Linx não analisaram a proposta de maneira imparcial.

Rede D’Or faz hoje registro de companhia aberta

A Rede D’Or, maior grupo hospitalar do país, deve fazer nesta sexta-feira (9) seu registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A empresa pretende abrir o seu capital em dezembro, na próxima janela para IPOs. A ideia é levantar entre R$ 7,5 bilhões a R$ 10 bilhões em sua oferta primária, segundo o Valor.

Vale (VALE3) investirá US$ 156 milhões em operação de porto na China

A Vale irá formar joint venture com a Ningbo Zhoushan Port, para construir, possuir e operar o Projeto West III no Porto de Shulanghu, na cidade de Zhoushan, na província chinesa de Zhejiang. A previsão da companhia é de investir entre US$ 109 milhões e US$ 156 milhões no projeto.

Natura (NTCO3) fixa preço em oferta

A Natura informou que fixou o preço de emissão de sua oferta inicial de ações (IPO) em R$ 46,25. Dessa forma, serão emitidas 121.400.000 de novas ações, fazendo com que a oferta global some R$ 5,614 bilhões. Com isso, o capital social será elevado para R$ 12,586 bilhões.

IPO do Grupo Mateus (GMAT3) quebra dois recordes

O Grupo Mateus chegará à bolsa quebrando dois recordes. Com arrecadação de R$ 4,63 bilhões, será o maior IPO de 2020, até agora. Além disso, a companhia fará a maior estreia de uma empresa do nordeste do país da história. A ação saiu a R$ 8,97, piso da faixa indicativa de preço.

A companhia, que fatura R$ 10 bilhões ao ano, vai usar o dinheiro para expandir sua operação no Maranhão, no Pará e no Piauí.

Oferta de voos da Gol (GOLL4) crescimento de 42% em setembro

A Gol (GOLL4) informou que a sua oferta aumentou para 270 voos por dia, ao longo do mês de setembro, o que representou um crescimento de 42% em relação à média de 190 voos diários de agosto. As vendas cresceram 60%. Previsão para outubro é de chegar a 500 voos diários, o que representa 60% de outubro de 2019.

Projeto da Engie (EGIE3) no Paraná é suspenso

O projeto de linhas de transmissão da Engie Brasil Energia, o “Gralha Azul”, localizado no interior do Paraná, foi suspenso pela Justiça, que concedeu liminar para anular as licenças ambientais obtidas pela empresa.

ONGs alegam que o processo de licenciamento ambiental foi irregular.

Petrobras (PETR 4) e Cigás brigam na Justiça por R$ 600 milhões

A Petrobras e a Cigás travam uma disputa em torno de recursos que a estatal tem a receber da distribuidora amazonense, no valor de R$ 600 milhões. A ação há tem cinco anos e tem origem em uma controvérsia em relação ao recolhimento de PIS/Cofins.

A Petrobras busca desbloquear o dinheiro no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Já a Congás tenta impedir a transação via Supremo Tribunal Federal (STF).

Recuperação judicial da Rodovias do Tietê (RDVT11) desagrada credores

Há tensão nas negociações de recuperação judicial da Rodovias do Tietê. A Latache Capital, que em junho assumiu o controle da concessionária, apresentou uma proposta inicial que desagradou os credores. A proposta seria pagar com deságio de 60% a 90%. Na sequência, o advogado Eduardo Munhoz decidiu deixar o seu posto de assessorar a empresa.

Para piorar o cenário, a Starboard, assessora financeira da concessionária, estaria em conflito com a Pentágono, agente fiduciário da emissão de debêntures, segundo fontes ouvidas pelo Valor.

Camil (CAML3) tem alta de 245,6% no lucro no 2TRI

A Camil (CAML3) reportou um lucro líquido de R$ 138,6 milhões no segundo trimestre de 2020. Isso representa um aumento de 245,6% na comparação com igual período do ano passado. A margem líquida subiu 4 pontos percentuais no período, atingindo 7,2%.

MRV (MRVE3): prévia do 3TRI aponta recorde de vendas líquidas

A MRV (MRVE3) informou o resultado da prévia operacional do terceiro trimestre de 2020.

De acordo com a Companhia, o montante total vendido no período foi de R$ 1,9 bilhão, recorde histórico de vendas líquidas.

Além disso, os números representam uma alta de 41,1% em relação ao mesmo período de 2019. Na comparação com o trimestre anterior, o avanço foi de 8,3%.

Direcional também divulga prévia de seu melhor trimestre

Em prévia operacional do terceiro trimestre, a Direcional (DIRR3) comunicou ao mercado que obteve seu melhor trimestre de vendas líquidas da história da companhia: R$ 458 milhões, com crescimento de 41% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os lançamentos totalizaram R$ 574 milhões, com crescimento de 64% em relação ao trimestre anterior.

Renova Energia (RNEW3) vende complexo eólico na BA para a Prisma Capital

A Renova Energia (RNEW3) aprovou a proposta vinculante apresentada pela Prisma Capital para aquisição dos direitos e ativos do Complexo Eólico Alto Sertão III –Fase B, na Bahia.

Os valores da transação não foram revelados.

Helbor (HBOR3): vendas contratadas sobem 36,2%

A incorporadora Helbor (HBOR3) informou dados operacionais preliminares, e não auditados, sobre seus resultados no terceiro trimestre de 2020.

As vendas contratadas cresceram 36,2%, no total de R$ 465,9 mi, alta de 112% frente ao trimestre anterior e 36% se comparado ao mesmo período em 2019.

Taurus (TASA4) cria joint venture com a metalúrgica Joalmi

A Taurus (TASA4) anunciou que foi assinado acordo para a criação de uma joint venture com a metalúrgica Joalmi. O objetivo da  parceria é fabricar acessórios para armas.

JSL (JSLG11): Cade aprova compra da Transmoreno

A JSL (JSLG11) recebeu notificação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) que aprovou sem restrições a aquisição de 100% da Moreno Holding, detentora da integralidade da Transmoreno.

Even (EVEN3): lançamentos somam R$ 649 milhões no 3TRI

A construtora e incorporadora Even (EVEN3) anunciou dados preliminares da operação no 3T20.

São dados ainda não auditados. Os lançamentos totalizam R$ 622 milhões. As vendas líquidas, R$ 480 milhões, volume 84% superior ao mesmo período de 2019 e 59% maior do que o trimestre anterior. Já a aquisição de terrenos em São Paulo, R$ 1,3 bilhão, em valor geral de vendas (VGV).

Ânima (ANIM3) confirma proposta à Laureate e esclarece reportagem

A Ânima (ANIM3) enviou resposta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a um ofício que solicita esclarecimentos sobre notícia veiculada pelo jornal Valor Econômico, em 6 de outubro, de que as ofertas pelas Laureate incluíam “venda de ativo”.

A empresa esclarece que “não prestou qualquer declaração à imprensa sobre os fatos” e que “a notícia veiculada contém, em realidade, inúmeras ilações, especulações e conjecturas que não traduzem a realidade”.

A proposta que foi realmente feita, alega, é confidencial.

Randon (RAPT4) vende ativos para a Müller e fecha operações da Randon

A Randon (RAPT3 RAPT4) aprovou a venda de parte de ativos de propriedade da companhia e da controlada Randon Veículos para a Müller Indústria de Máquinas de Construção.

O valor estimado do negócio é de, aproximadamente, R$ 20 milhões, a ser confirmado em inventário específico.

Movida (MOVI3) lança Movida Cargo em parceria com MGLU3

A Movida (MOVI3) lançou um novo serviço chamado Movida Cargo, em parceria com o Magazine Luiza, cujo site já está no ar. A finalidade é alugar veículos modelo FIAT Fiorino para entregadores a serviço de transportadoras. São 1 mil veículos para a operação.

Méliuz pode levantar R$ 880,4 mi em IPO

A Méliuz divulgou a faixa indicativa de preço de sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Os preços variam entre R$ 10 e R$ 12,50.

De acordo com o prospecto, a Méliuz pretende levantar até R$ 880,4 milhões em seu IPO. A precificação das ações será no dia 3 de novembro de 2020.

Minerva (BEEF3) encerra negociações para a venda da Athena Foods

A Minerva (BEEF3) informou que encerrou negociações sobre a combinação de negócios de sua subsidiária Athena Foods, com sociedade de propósito específico para aquisição, listada na bolsa de valores Nasdaq (SPAC).