Radar: CSN (CSNA3) religa forno e CVC (CVCB3) reestrutura dívida

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução / Facebook / CSN

O Radar corporativo desta sexta-feira (20) destaca a CSN (CSNA3), que após a paralisação da produção por conta da pandemia, em maio, retomou a produção.

Já a CVC (CVCB3) comunicou a reestruturação de dívidas em debêntures com valor de face de R$ 1,5 bilhão.

Petrobras (PETR3 PETR4) deu início à fase não-vinculante de venda do Polo Carmópolis.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

Ainda que as ações da PetroRio (PRIO3) já acumulam alta de 132% em 12 meses.

Veja mais notícias:

CSN (CSNA3) retoma Alto-Forno 2

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) informou que retomou a produção do Alto-Forno 2, após paralisação temporária.

A paralisação da usina de Volta Redonda (RJ) havia sido informada ao mercado em 29 de maio de 2020 por meio de fato relevante.

Segundo a CSN, o Alto-Forno 2 tem capacidade nominal de 1,5 milhão de toneladas anuais.

Petrobras (PETR3 PETR4) dá início à venda do Polo Carmópolis

A Petrobras (PETR3 PETR4) informa o início da  fase  não-vinculante  referente  à venda da totalidade de suas participações em um conjunto de 11 concessões de campos de produção terrestres, com instalações integradas, localizadas no estado de Sergipe, denominados conjuntamente de Polo Carmópolis.

PetroRio (PRIO3) tem valorização de 132%

PetroRio (PRIO3) é a maior petroleira privada do país e vem despertando interesse dos investidores, com grande movimentação de ações na bolsa e valorização nos últimos 12 meses de 132%.

Só nesta quinta-feira (19), os papéis da companhia saltaram 29,9%, após a petroleira assinar o contrato com a BP Energy do Brasil para a aquisição das participações de 35,7% no Bloco BM-C-30 (Campo de Wahoo), e de 60% no Bloco BM-C-32 (Campo de Itaipu). O campo de Wahoo tem potencial para produzir mais de 140 milhões de barris (100% do campo).

Copel (CPLE3) paga juros de debêntures

A Companhia Paranaense de Energia, Copel (CPLE3), comunica que sua subsidiária integral Copel Distribuição, pagou aos seus debenturistas, em 16 de novembro, de 2020, juros da 5ª Emissão de  Debêntures Simples 1ª e 2ª séries, não conversíveis em ações.

CVC (CVCB3) conclui reestruturação de dívidas

CVC (CVCB3) concluiu reestruturação de dívidas da 2ª, 3ª e 4ª emissões de debêntures, com valor de face em aberto de R$ 1,5 bilhão, conforme fato relevante publicado hoje (20).

A empresa realizou o alongamento parcial da dívida de curto prazo relacionada a 2ª emissão de debêntures (CVCB12), passando de 21 de novembro de 2020 para 21 de novembro de 2021.

ELET6 informa encerramento da oferta pública de debêntures 

A Eletrobras (ELET6) comunicou o encerramento da oferta pública de debêntures emitidas pela Eletronorte.

Conforme o comunicado, foram subscritas e integralizadas 750 mil debêntures, não conversíveis em ações, com valor unitário de R$ 1 mil, totalizando o montante de R$ 750 milhões.

A emissão foi lançada com a finalidade de refinanciamento do passivo da Eletronore.

Br Properties (BRPR3) paga juros de debêntures

A BR Properties (BRPR3) comunicou que no próximo dia 20 de novembro será efetuado o pagamento de juros da 15º emissão de debêntures da Companhia.

Segundo o comunicado, será pago o valor de R$ 8,06379200 por debênture simples.

Lojas Renner (LREN3) aprova aumento de capital

O Conselho de Administração das Lojas Renner (LREN3) aprovou o aumento de capital social da companhia, em razão dos exercícios de opções de compra de ações pelos participantes de outorgas oriundas do Plano de opção de compra de ações.

Dessa forma, o aumento do capital foi no montante de R$ 8,165 milhões, passando o capital social para R$ 3,805 bilhões.

Cielo (CIEL3) detém 100% da Multidisplay

A Cielo (CIEL3) comunicou que os acionistas minoritários da controlada, Multidisplay, venderam sua participação. O exercício da opção envolveu ações representativas de 8,56% do capital social. Com isso, a Cielo passa a deter 100% do capital social da Multidisplay.

Hapvida (HAPV3) faz desdobramento das ações

A Hapvida (HAPV3) aprovou o desdobramento das ações da companhia, na proporção de cinco ações ordinárias para cada ação da mesma espécie, sem modificação do capital social.

Assim sendo, para cada ação ordinária de sua titularidade, o acionista receberá mais quatro ações da mesma espécie, ficando, ao final, com cinco ações ordinárias.

Anima (ANIM3) adquire startup

A Anima (ANIM3) celebrou contrato para a aquisição do controle da startup Room Sistemas Interativos (Medroom), empresa líder no Brasil em desenvolvimento de soluções em tecnologias para educação médica.

“A Medroom é uma startup constituída com o objetivo de construir objetos educacionais e ambientes de simulação em realidade virtual e realidade aumentada para a educação médica”, informou a Anima.

Oi (OIBR3): Justiça nega pedido do Itaú para suspender aditamento

A Justiça do Rio de Janeiro negou pedido dos advogados do Banco Itaú (ITUB4) para suspender medidas contidas no aditamento ao Plano de Recuperação Judicial da Oi aprovado no mês passado. Já foram rejeitados também pedidos semelhantes de outros bancos credores, Santander e Banco do Brasil. O Itáu pedia ainda o bloqueio de recursos gerados nas futuras vendas de ativos.

Copasa (CSMG3) aprova pagamento de dividendos

A Copasa (CSMG3) aprovou a distribuição de dividendos extraordinários no montante de R$ 820 milhões de reais.

Segundo a companhia, será pago o valor R$ 6,4876594827 por ação, ainda no exercício social de 2020.

A data do pagamento será informada posteriormente.

Copasa (CSMG3) aprova desdobramento de ações

A Copasa (CSMG3) aprovou ainda o desdobramento das ações ordinárias na razão de uma ação para três ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal.

Como consequência, o capital social da Copasa formado por 126.751.023 de ações ordinárias, passa para 380.253.069 de ações ordinárias. No entanto, o valor do capital social permanece em R$ 3,4 bilhões.

Copasa (CSMG3) emissão de debêntures

Por fim, a Copasa informou a emissão de até R$ 500 milhões em debêntures, com prazo de cinco anos e dois anos de carência. A remuneração da 15ª série será de máxima do CDI + 2,31% ao ano.

Randon (RAPT4) e Fras-le (FRAS3) têm receita maior

A Randon (RAPT4) registrou receita líquida de R$ 623,3 milhões em outubro, alta de 27,4% na comparação com outubro de 2019. A Fras-le (FRAS3) teve alta de 61,6% na receita líquida, batendo os R$ 215,9 milhões.

Centauro (CNTO3) tem aumento de capital de R$ 1,147 milhão

A Centauro (CNTO3) comunicou que em decorrência do exercício da opção de compra de ações, o capital social da Companhia aumentou R$ 1,147 milhão.

Com isso, o capital social da Centauro passou para R$ 1,918 bilhão.

Hermes Pardini (PARD3) informa sobre testes de Covid

O laboratório Hermes Pardni (PARD3) comunicou que realizou 1,5 milhão de exames Covid em todo o país, desde o início da disponibilização ao mercado dos testes Covid-19. Conforme a empresa, um milhão foram do exame RT-PCR.

Nos primeiros 15 dias de novembro, foram realizados 95 mil exames RT-PCR, um aumento de 29% em relação ao mesmo período de outubro.

Embraer (EMBR3) e EDP (ENBR3) têm projeto de avião elétrico

Embraer e EDP se uniram no desenvolvimento tecnológico de eletrificação aeronáutica, informa o Valor.

O projeto da Embraer de avançar nessa área ganhou impulso ano passado, com um acordo de cooperação assinado com a WEG (WEGE3), focado nos motores elétricos.

O projeto visa explorar a integração de uma bateria de alta tensão na alimentação do motor. E vem sendo testado em um protótipo de avião agrícola.