Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta segunda-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta segunda-feira destaca que a Petrobras (PETR4) tem projetos de refino e gás natural até 2030, além de três interessados por suas refinarias no Paraná.

Já segundo o Valor Econômico o Itaú Unibanco (ITUB4) deve definir nas próximas semanas o sucessor de Candido Bracher.

Também, que a Ser Educacional (SEER3) comprou faculdade no Ceará por R$ 24 milhões. Confira mais notícias.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Radar: mercados

Nesta segunda-feira (21), os mercados futuros de Nova York e as bolsas europeias recuam repercutindo a alta nos novos casos de coronavírus.

Além disso, os mercados repercutem as suspeitas de que bancos europeus teriam movimentado mais de US$ 2 trilhões em recursos de origem ilícita ou não comprovada para contas obscuras e de redes criminosas do mundo todo durante duas décadas.

A denúncia foi feita pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), com base em documentos secretos da FinCEN (Financial Crime Enforcement Network), agência do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos.

Destaques no Brasil

No Brasil, a última semana também foi a terceira de perdas, assim como em Wall Street. Na sexta, o Ibovespa teve queda de 1,81%.

Os investidores estão apreensivos com a política fiscal, inflação apontando pra cima e a pressão sobre os juros futuros.

Hoje tem Boletim Focus, com as projeções do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos. Tem também estreia na bolsa da Cury, construtora e incorporadora que é subsidiária da Cyrela (CYRE3).

Amanhã o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central divulga a ata da última reunião, quando foi anunciada a manutenção da taxa Selic em 2%, após nove cortes consecutivos.

Veja as cotações às 7h30:

  • S&P: -1,45%
  • Nasdaq: -1,18%
  • Dow Jones: -1,82%

Veja aqui a cobertura completa da abertura dos mercados.

Radar: destaques corporativos

Veja as notícias das empresas.

Petrobras (PETR4) tem projetos de refino e gás natural até 2030

A Petrobras informou que lançou dois programas que visam preparar suas atividades de refino e gás natural para um mercado aberto, competitivo e em transição para economia de baixo carbono.

O Biorefino 2030 prevê projetos para a produção de uma nova geração de combustíveis, mais modernos e sustentáveis que os atuais como, por exemplo, o diesel renovável e o bioquerosene de aviação.

Ainda na área de refino, a companhia pretende reduzir em 30% a captação de água em suas refinarias e em 16% a intensidade do carbono do segmento até 2025.

Além disso, três empresas apresentaram proposta pela Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) no Paraná.

Entre as interessadas estariam, conforme apuração do Valor, o grupo indiano Essar, Grupo Ultra (dono da Ipiranga), Raízen (Shell/Cosan) e a chinesa Sinopec.

Segundo o Valor Econômico, a estatal negocia ainda com o fundo Mubadala a refinaria Landulpho Alves, na Bahia.

Entretanto, os investidores devem aguardar ainda pelos desdobramentos do julgamento no STF de paralisação das vendas de refinarias da estatal.

Itaú Unibanco (ITUB4) prepara sucessão

O Itaú Unibanco define nas próximas semanas o sucessor de Candido Bracher como presidente da companhia.

Segundo o Valor, o executivo trará seus próprios quadros e terá o desafio de aprofundar a transformação digital em curso do banco.

Estão na disputa, segundo o jornal, os quatro executivos que formam o comitê executivo: os diretores gerais de atacado Caio Ibrahim David, de varejo Márcio Schettini, e os vice-presidentes André Sapoznik (tecnologia) e Milton Maluhy Filho (finanças e risco).

Ser Educacional (SEER3) compra faculdade no CE por R$ 24 mi

Ser Educacional (SEER3) anunciou que fechou acordo para a compra do Colégio Cultural Módulo Ltda, dono da Faculdade de Juazeiro do Norte (FJN), no Ceará. A transação, paga pela subsidiária da Ser, a CENESUP (Centro Nacional de Ensino Superior, foi acordada pela valor de R$ 24 milhões.

Suzano (SUZB3) anuncia oferta secundária de ações

A Suzano (SUZB3) informou que o BNDES Participações está realizando uma oferta pública de distribuição secundária de ações, de emissão da Suzano e de titularidade do BNDESPar.

A oferta global das ações ordinárias, de até 150.217.425, será realizada simultaneamente no Brasil e no exterior (ADR). A estimativa é que a oferta seja precificada em 1° de outubro de 2020.

B3 (B3SA3) reduz lote mínimo de BDRs e ETFs

A B3 (B3SA3) anunciou que vai reduzir os lotes padrões de BDRs e ETFs de renda variável a partir de 28 de setembro. A mudança deve atrair investimentos de pessoas físicas, público que tem crescido na bolsa.

A alteração vai afetar a quantidade mínima de BDRs do tipo não patrocinado nível 1, ETFs de renda variável e opções sobre ETFs de renda variável, indo de 10 para 1 unidade. BDRs patrocinados nível 2 ou 3 também diminuem ao passar de 100 unidades para apenas uma.

Marfrig (MRFG3): exportação e câmbio turbinam operação

Entre janeiro e julho, a Marfrig lucrou R$ 2,16 bilhões, um crescimento de 400% em relação ao mesmo período de 2019,com aumento das exportações e a otimização de estruturas produtivas. Em 2020, suas ações acumulam alta de 60%.

Como 70% de suas vendas vêm do mercado externo, ela ganha com  o aumento da demanda mundial por alimentos e com a apreciação do dólar desde o início desse ano. Isso ajuda a entender o resultado recorde da companhia  no primeiro semestre deste ano.

AEGEA (AEGP23) liquida emissão de debêntures

A Aegea Saneamento e Participações (AEGP23) comunicou que foi liquidada a 5ª emissão de debêntures simples não conversíveis em ações. No montante R$ 300 milhões, ela tem valor nominal unitário de R$ 1 mil. O prazo de vencimento é de três anos.

Conforme declaração da Companhia, esta captação reforça a liquidez da empresa para a execução do plano de investimentos em saneamento nos municípios onde atua.

Rio Tinto paga dividendos

A Rio Tinto informou que o valor definitivo dos dividendos divulgado pelo programa de ADR foi de US$ 1,55.

O pagamento será realizado em 23 de setembro e será de R$ 7,849464661 por BDR. Terão direito a este recebimento os titulares de BDRs em 5 de agosto de 2020.

JSL (JSLG3) paga juros e amortizações

A JSL (JSLG3) comunicou aos portadores de debêntures da 10ª Emissão, emitida em 20 de março de 2017, o valor do pagamento de juros e amortização. Os juros são no valor de R$ 5,48800969 por cada uma das 352.000 debêntures. O total é de R$ 1,931 milhões.

A amortização é de R$ 214,48863635 por cada uma das debêntures, totalizando o valor de R$ 75 milhões. O pagamento será feito nesta segunda-feira (21).

EDP (ENBR3) paga dividendos de JCP

A Energias do Brasil (ENBR3) anunciou que vai pagar dividendos de Juros Sobre Capital Próprio (JCP) a partir de 23 de setembro.

O valor total é de R$ 353,491 milhões, sendo R$ 236 milhões como juros sobre capital próprio. Isso equivale a R$ 0,390207737 para cada ação ordinária pagos aos acionistas na data-base de 30 de dezembro de 2019.

Outros R$ 117,491 milhões, equivalente a R$ 0,194262378 para cada ação ordinária, serão pagos com dividendos, aos acionistas na data-base de 31 de março de 2020.

Arteris (ARTR3) emite debêntures

A Arteris (ARTR3) aprovou a 9ª emissão de debêntures da companhia, em duas séries. Serão 1,454 milhão de debêntures, no valor total de R$ 1,454 bilhão.

A primeira série terá 450 mil debêntures, com prazo de 7 anos, totalizando R$ 450 milhões. A segunda série terá 1,004 milhão debêntures, com prazo de 5 anos, totalizando R$ 1,004 bilhão.