Radar: Oi (OIBR4) tem desconto de 50% em dívida; GNDI3 anuncia oferta

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta segunda-feira (30) destaca o acordo da Oi (OIBR3 OIBR4) com a Advocacia-Geral da União (AGU) para obter um desconto de 50% na dívida de R$ 14,3 bilhões com a União.

Já a Petrobras (PETR3 PETR4) promove hoje o seu  dia dos investidores – evento chamado Petrobras Day.

A Notre Dame Intermedica (GNDI3) anunciou uma oferta secundária que poderá movimentar até R$ 3,753 bilhões – a precificação acontece amanhã (1).

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

A onda de IPOs prossegue, com Intelbras e Grupo Fartura protocolando pedidos de abertura de capital junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Este ano, até agora, 25 empresas já fizeram IPOs, movimentando R$ 31,7 bilhões. Outras 32 estão na fila.

Em relação à quantidade de IPOs, 2020 fica atrás apenas de 2007, que teve 64 operações e 2006, com 26.

Veja mais destaques das empresas.

Oi (OIBR3 OIBR4) fecha acordo com AGU

Em recuperação judicial desde 2016, o grupo de telecomunicações Oi (OIBR3 OIBR4) fechou um acordo com a Advocacia-Geral da União (AGU) para obter um desconto de 50% na dívida de R$ 14,3 bilhões com a União.

Os débitos vinham de 198 multas aplicadas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) à operadora.

Um total de R$ 1,8 bilhão depositados pela Oi na Justiça serão convertidos em renda para a Anatel, como pagamento das primeiras parcelas.

O valor remanescente será dividido em prestações para o Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), cujos recursos são uma das fontes de financiamento da Anatel.

Em nota, a AGU informou que esse é o maior acordo da história fechado pelo órgão e pela Anatel.

BTG: nova legislação de falência é positiva para Oi

O banco BTG Pactual avaliou como positiva para a Oi (OIBR4 OIBR3) a nova legislação de proteção à falência.

Isso porque, com a nova lei, as empresas em recuperação judicial podem solicitar descontos de até 70% sobre a dívida consolidada (incluindo principal, juros e multas) contra o governo e pagar o restante em até 10 anos.

Essa nova legislação é melhor do que a anterior (Lei 13.899) que permitia empresas em recuperação judicial solicitar desconto de até 50% sobre os juros e multa (mas não sobre o principal) e pagamento em até 7 anos.

Oi (OIBR): reestruturação pode favorecer teles regionais

Com a venda de ativos que a Oi está promovendo e que resultará em seu encolhimento, há espaço agora para outras companhias do setor assumirem a posição de supertele, segundo O Globo.

Essas concorrentes vêm crescendo por meio de fusões e aquisições e podem ocorrer novas aberturas de capital. De acordo com a Anatel, existem 14 mil empresas regionais no Brasil, que detém 40% de participação de mercado.

Petrobras (PETR4) informa não qualificação da Compass

A Petrobras (PETR4) informou que a Compass Gás Energia, pertencente ao grupo Cosan (CSAN3), não foi qualificada para a compra de 51% do capital social da Gaspetro. O motivo foi o fato de não atender às exigências do Termo de Compromisso de Cessação (TCC) firmado entre a companhia e o Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade), conforme manifestado pelo trustee de monitoramento do TCC.

PETR4 realiza o Petrobras Day

Hoje (30), a Petrobras (PETR4) promove  um evento chamado Petrobras Day. A companhia irá realizar webcasts, em português e inglês, com apresentações que detalharão o Plano Estratégico de 2021- 25 da petroleira, com estimativas, dados operacionais e novos projetos.

Klabin (KLBN11) analisará incorporação de Riohold

O conselho de administração da Klabin (KLBN11) aprovou a proposta de submeter a incorporação da subsidiária integral Riohold Papel e Celulose aos acionistas em Assembleia Geral Extraordinária.

De acordo com a Klabin a incorporação tem o objetivo de promover a integração das unidades de Paulínia, Suzano, Franco da Rocha, Rio Verde e Manaus, adquiridas da International Paper (IP), aos sistemas de gerenciamento de operações da Klabin. A AGE está marcada para 4 de janeiro de 2021.

Ânima (ANIM3) inicia período de exercício de recesso

Ânima (ANIM3) iniciou no sábado (28) o prazo de 30 dias para que acionistas contrários à compra das operações da Laureate no Brasil solicitem seu reembolso.

Farão jus ao direito de retirada os acionistas da Ânima no dia 2 de novembro de 2020. O valor pago ao acionista dissidente será de R$ 8,71 por ação, calculado com base no patrimônio líquido de 31/12/2019.

O prazo para exercício do direito a reclamar o reembolso encerra-se em 28 de dezembro de 2020.

Notre Dame (GNDI3) faz oferta secundária restrita

A Notre Dame Intermedica (GNDI3) anunciou uma oferta secundária de, inicialmente, 40 milhões de ações ordinárias. A oferta será feita com esforços restritos, ou seja, não aberta ao público em geral. A precificação ocorre amanhã (1).

O montante total da oferta, sem considerar as ações adicionais, seria de R$ 2,78 bilhões. Considerando a colocação da totalidade das ações adicionais, seria de R$ 3,753 bilhões. O vendedor é o fundo de investimento Alkes II.

Os acionistas vendedores querem aproveitar o apetite dos investidores em meio ao IPO da rede D’or.

Vale (VALE3) deverá pagar R$ 54 bi em indenizações

O relator da Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha a negociação entre a Vale (VALE3) e o governo mineiro para pagamento de indenizações às vítimas da tragédia de Brumadinho, deputado Rogério Correia (PT-MG), disse que está preocupado com a falta de transparência no acordo, pela exclusão dos atingidos e pelas tentativas da Vale em diminuir a indenização, conforme informou a Agência Câmara de Notícias.

Rogério Correia destacou que a Vale chegou a fazer uma contraproposta de R$ 16 bilhões –  valor bem abaixo dos R$ 54 bilhões estabelecido pelo Ministério Público, a Defensoria Pública e o governo do estado de Minas Gerais.

MGLU3 tem aumento de vendas em novembro

O Magazine Luiza (MGLU3) registrou aumento nas suas vendas brutas transacionadas pelo canal digital no mês de novembro. Em itens de supermercado, houve aumento de 225% nas vendas de quinta a domingo.

Segundo Trajano afirmou ao Valor, a Black Friday ajudou a reforçar a percepção de que a companhia é uma vendedora de itens de supermercado em seu marketplace, algo que está nas metas de longo prazo da empresa.

TPI (TPIS3): Justiça suspende redução tarifária

A TPI – Triunfo Participações e Investimentos (TPIS3) informou que a Justiça suspendeu a decisão da Associação Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de redução de 9,62% da tarifa de pedágio da concessionária Transbrasiliana.

O reajuste vigoraria a partir do dia 28 de novembro. A decisão está mantida até manifestação da ANTT e nova análise judicial.

Onda de IPOs: empresas já captaram R$ 31,7 bilhões

O anos de 2020 vai entrar para a história da bolsa de valores brasileira não apenas por ter atingido um número recorde de investidores, mas também por conta da onda de aberturas de capital, em meio a uma crise sanitária global. Até agora, 25 empresas já fizeram suas Ofertas Iniciais de Ações (IPO) na B3, movimentando R$ 31,7 bilhões.

32 companhias estão na fila do IPO

Ao todo, 32 companhias estão na fila para abertura de capital junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). E outras 25 iniciaram as negociações na B3.

Em relação à quantidade de IPOs, 2020 fica atrás apenas de 2007, que teve 64 operações e 2006, com 26.

Intelbras protocola pedido de IPO

A Intelbras protocolou pedido para realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO).

Conforme o prospecto, a Intelbras pretende utilizar os recursos da oferta para acelerar seu crescimento através de aquisições, além de expandir capacidade de produção de fábricas em Manaus e Minas Gerais, bem como em sua nova unidade em Santa Catarina, focada em produtos de energia.

O IPO será coordenado por BTG Pactual, Santander Brasil, Itaú BBI e Citigroup.

Grupo Fartura, de hortifrúti, pode fazer IPO

O Grupo Fartura, dono da rede de hortifrútis Oba, protocolou seu pedido de IPO em outubro e está se preparando para fazer sua estreia na bolsa ainda este ano.

A empresa que nasceu como um pequeno sacolão em Minas Gerais fará uma oferta primária (quando o dinheiro vai para o caixa da companhia) e secundária (quando os recursos vão para o bolso dos acionistas).

Com a captação, o grupo planeja abrir novas lojas, investir em canais digitais e na cadeia logística.

Banco Pan (BPAN4): AGE elege membro do conselho

Banco Pan (BPAN4) convocou assembleia geral extraordinária (AGE) para eleição de Celso Leonardo Derziê de Jesus Barbosa para o conselho de administração. A votação foi marcada para o dia 14 de dezembro deste ano.

O executivo foi indicado pela Caixa, que controla o Pan em conjunto com o BTG Pactual (BPAC11).

Menin transfere 24,14% das ações do BIDI11

No dia 27 de novembro de 2020, presidente do Conselho de Administração do Banco Inter (BIDI11), Rubens Menin Teixeira de Souza, transferiu 176.275.468 ações ordinárias e 8252.121 ações preferenciais, aproximadamente 24,14% do total de ações emitidas pelo Banco Inter para sua holding HoldFin, que ele controla e detém cerca de 99,99% de seu capital social.

Wiz (WIZS3): Camilo Godoy renúncia a cargo

A WIZ (WIZS3) informou que Camilo Godoy renunciou ao cargo de conselheiro na companhia. Godoy é investigado pela Polícia Federal.

Em até 30 dias contados a partir do recebimento da renúncia, a Wiz convocará AGE para eleição de novo membro do conselho de administração.

Positivo (POSI3) convoca AGE

A Positivo (POSI3) convocou assembleia para eleger novos membros do conselho de administração. Além disso, a companhia propôs aumentar o número de conselheiros.

A AGE foi convocada para o dia 28 de dezembro deste ano.

CCR (CCRO3) tem alta de 10% no tráfego

A CCR (CCRO3) divulgou os números referentes ao tráfego nas rodovias administradas pela empresa na semana de 20 a 26 de junho de 2020. A alta é de 10%, na comparação com o mesmo período de 2019.

No acumulado do ano, ainda há decréscimo de 2,8%, com relação ao ano passado, incluindo veículos de passeio e veículos comerciais.