Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quinta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta quinta-feira destaca a CVC (CVCB3) informando que divulgará seu balanço do primeiro trimestre até quarta-feira (30). Já o resultado do segundo trimestre sairá dia 26 de outubro.

Enquanto isso, a JBS (JBSS3) informou que a CVM recebeu do BNDESPar um pedido de assembleia geral extraordinária para discutir sobre o acordo de leniência do frigorífico estabelecido com o Ministério Público Federal.

Já os grupos CPFL (CPFE3) e Equatorial (EQTL3) são os potenciais compradores mais engajados no processo de venda da distribuidora de energia da Companhia Energética de Brasília (CEB -D).

Também que BrMalls (BRML3), Cesp (CESP6) e Burger King (BKBR3) tiveram mudança acionária.

A Engie (EGIE3) conclui captação de debêntures. Veja mais notícias.

Radar: mercados

Os mercados globais abriram em baixa nesta quinta-feira (24), repercutindo as preocupações com o avanço do coronavírus na Europa.

Entretanto passaram a operar de forma mista por volta das 7h30.

Hoje, o presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, Jerome Powell, fala novamente ao Congresso e deve reafirmar a necessidade de mais estímulos à economia. “A recuperação será mais rápida se houver apoio tanto do Congresso quanto do Fed”, ele disse ontem.

Hoje tem divulgação dos novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA, que devem ficar na casa dos 840 mil (foram 860 mil na semana passada). Se confirmado o resultado, esta será a quarta semana com reivindicações abaixo de 1 milhão.

A bolsa de valores fechou a quarta (23) com mais uma baixa. Agora, de 1,60%, ficando com 95.734,82 pontos. A bolsa brasileira não operava na faixa dos 95 mil pontos desde o dia 30 de junho.

Veja as cotações às 7h35:

  • S&P: +0,09%
  • Nasdaq: -0,11%
  • Dow Jones: +0,11%

Confira aqui a cobertura complete da abertura dos mercados.

Radar: destaques corporativos

Confira as notícias das empresas.

CVC (CVCB3) divulga balanço até quarta

Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CVC (CVCB3) informou que divulgará o balanço do primeiro trimestre até quarta-feira (30). O resultado do segundo trimestre sai dia 26 de outubro.

Na quarta (23), a CVC divulgou uma atualização sobre os impactos causados pela pandemia de Covid-19 em suas operações. A companhia informou que está implementando com disciplina os planos anunciados para preservação de caixa. A empresa também afirmou ter R$ 1,5 bi em caixa e que está preparada para a retomada integral de suas operações, com 1200 lojas abertas e equipes trabalhando remotamente.

BNDESPar pede convocação de assembleia da JBS (JBSS3)

Em comunicado, a JBS (JBSS3) informa que a CVM recebeu do BNDESPar um pedido de assembleia geral extraordinária para discutir sobre o acordo de leniência do frigorífico. O Conselho de Administração da JBS vai deliberar sobre o pedido.

Rede D’Or discutirá IPO em assembleia em outubro

A Rede D’Or São Luiz convocou assembleia geral extraordinária de acionistas para discutir a possibilidade de abertura de capital da empresa na B3 e o ingresso no segmento Novo Mercado. A assembleia, que também discutirá a reversão do registro da companhia de categoria B para a categoria A na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi marcada para o dia 9 de outubro.

CPFL (CPFE3) e Equatorial (EQTL3) de olho na CEB

Segundo o Valor, os grupos CPFL e Equatorial são os potenciais compradores mais engajados no processo de venda da distribuidora de energia da Companhia Energética de Brasília (CEB -D). O leilão deve ocorrer ainda este ano.

BrMalls (BRML3) informa mudança acionária

A brMalls (BRML3) informou que o Morgan Stanley atingiu o equivalente a 5,4% do número total de ações ordinárias da empresa. A posição corresponde a 41 milhões de American Depositary Receipts (ADRs).

Cesp (CESP6): fundos da Squadra sobem participação para 10,17%

A Cesp (Companhia Energética de São Paulo) comunicou que fundos geridos pela Squadra Investimentos aumentaram a sua participação acionária.

Passaram a deter 21.445.080 ações preferencias classe B (CESP6), o que corresponde a 10,17% do total dessa classe de ações.

Gafisa (GFSA3) tenta “abordagem amigável” com acionistas da Tecnisa (TCSA3)

A Gafisa contratou o Credit Suisse para intensificar suas ações em busca da aprovação dos acionistas da Tecnisa pela fusão das duas empresas. Segundo o vice-presidente Finanças e Gestão da empresa, Ian Andrade, disse ao Valor, a intenção é fazer uma “abordagem amigável”.

Na assembleia realizada na semana passada, que contou com 45% dos acionistas da Tecnisa presentes, 98% rejeitaram a integração dos negócios.

Tecnisa (TCSA3): conselho rejeita proposta de aumento de capital

O conselho fiscal da Tecnisa (TCSA3) aprovou, de forma unânime, a rejeição ao aumento de capital da empresa. A decisão foi tomada após a analise de demonstrações financeiras, orçamento anual e plano de negócios da companhia.

Burger King (BKBR3): Atmos alcança 10,46% das ações

A Burger King Brasil informou ao mercado nesta quarta que a Atmos Capital Gestão de Recursos aumentou sua participação acionária para patamar superior a 10% das ações da companhia.

A participação societária detida pela Atmos alcançou 23.858.500 de ações ordinárias, representando 10,46% das ações de emissão da empresa.

Instabilidade no mercado faz BR Partners desistir de IPO

O banco de investimento BR Partners decidiu cancelar seu pedido de oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) devido à instabilidade do mercado nas últimas semanas, informa o Valor.

Pela mesma razão, a Hidrovias do Brasil fixou o preço no piso da faixa indicativa (R$ 7,56).

Engie (EGIE3) conclui captação de debêntures

A Engie (EGIE3) informou que a Usina Termelétrica Pampa Sul (UTPS) liquidou a oferta pública de 340 mil debêntures simples. A UTPS é subsidiária da Engie. O valor nominal de cada era de R$ 1 mil, totalizando R$ 340 milhões.

Centauro (CNTO3) nega pedido de registro de oferta de ações

A Centauro (CNTO3) negou notícias divulgadas pela imprensa de que teria feito pedido de registro de oferta de ações.

A SBF Comércio de Produtos Esportivos, controlada da Companhia, informou que pediu à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) o registro de companhia aberta na Categoria B.

Yduqs (YDUQ3) aprova emissão de CCB

A Yduqs (YDUQ3) aprovou emissão de cédula de crédito bancário (CCB) de até R$ 360 milhões, junto ao Bradesco. O vencimento da CCB é de dois anos.

A remuneração é de 100% da variação acumulada do CDI, acrescida de spread de até 2,70% ao ano.

Embraer (EMBR3): recompra de títulos no exterior chega a US$ 250 mi

A Embraer (EMBR3) informou que sua controlada indireta Embraer Netherlands Finance antecipou a recompra de título no valor de até US$ 250 milhões. O pagamento foi feito ontem (23).

Usiminas  (USIM5) esclarece sobre acidente em Ipatinga

Um alto forno da siderúrgica Usiminas (USIM5), em Ipatinga, Minas Gerais, foi atingido por acidente com fogo. A empresa informou que o problema foi controlado imediatamente e que uma pessoa teve ferimentos leves. Também, que o ocorrido não afeta as entregas aos clientes.

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3): mercado teme entrave do Cade à fusão

fusão entre Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3),  anunciada na quarta (23) pode contar com entraves por parte do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Segundo analistas, o Cade deve avaliar qual será o impacto dessa união em diferentes mercados. Devem ser considerados os efeitos por região e tipo de cliente, por exemplo.

Locaweb (LWSA3) informa aquisição da Social Miner por R$ 22,2 milhões

A Locaweb (LWSA3) informou que fechou a compra de 100% da Social Miner por R$ 22,2 milhões. Parte do dinheiro será retido pela Locaweb para possíveis indenizações assumidas pelos vendedores.

JBS (JBSS3) colocará R$ 250 mi em programa pela Amazônia

A JBS (JBSS3) anunciou a criação do programa Juntos Pela Amazônia, um conjunto de iniciativas com visão de longo prazo com o objetivo de aumentar a conservação e o desenvolvimento do bioma, engajando o setor e propondo ações para além da cadeia de valor.

A companhia pretende aportar no projeto R$ 250 milhões nos primeiros 5 anos, podendo chegar a R$ 500 milhões até 2030.