Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quinta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Radar corporativo desta quinta-feira (5) destaca que o BB (BBAS3) teve lucro 5,2% maior no terceiro trimestre, na comparação com o segundo trimestre deste ano, em linha com o esperado.

Já Ultrapar (UGPA3) registrou queda no lucro de 50% e a Hering (HGTX3), alta de 142,5% em seu lucro.

Além dos balanços, a Vale (VALE3) informou que sua subsidiária, Vale Canada Limited (VCL), celebrou exclusividade por 30 dias com um consórcio para negociar a venda de sua participação na Vale Nova Caledônia.

Tio Huli, EconoMirna, Natalia Dalat e outros tubarões do mercado de Investimentos.

Não perca!

Enquanto isso, segundo o Valor, a CSN (CSNA3) avalia adiar para 2021 a oferta inicial de ações (IPO) da CSN Mineração, por conta do cenário econômico e político instável.

Veja os demais notícias e balanços divulgados:

BB (BBAS3) tem lucro 5,2% maior ante 2º trimestre

O Banco do Brasil registrou lucro líquido ajustado de R$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre, desempenho 5,2% acima do reportado no segundo trimestre deste ano. O desempenho veio em linha com o esperado.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o lucro do BB recuou 23,3%.

No comparativo em nove meses, o lucro líquido ajustado apresentou um decréscimo de 22,9%, totalizando R$ 10,2 bilhões.

Ultrapar (UGPA3) registra queda de 50% no lucro

A Ultrapar (UGPA3) reportou um lucro líquido de R$ 277,3 milhões no terceiro trimestre de 2020.

Os números representam uma queda de 50% sobre os lucros do mesmo período de 2019, com R$ 307,3 milhões.

Já nos nove primeiros meses de 2020, o lucro líquido acumulado é de R$ 496,2 milhões, ante um lucro de R$ 670,6 milhões um ano antes.

Cia Hering (HGTX3) tem alta de 142,5% no lucro

A Cia Hering (HGTX3) reportou lucro atribuído a controladores de R$ 155,5 milhões no terceiro trimestre de 2020, um aumento de 142,5% na comparação com mesmo período de 2019.

Conforme a companhia, o desempenho foi puxado pela contabilização de créditos tributários de R$ 178,3 milhões.

Já a margem líquida ficou em 60,3%, alta de 43,8 pontos percentuais em relação ao terceiro trimestre de 2019.

BR Properties (BRPR3) tem queda de 36% no lucro no 3TRI20

A BR Properties (BRPR3) reportou um lucro líquido de R$ 16,3 milhões no terceiro trimestre deste ano. Isso representa queda de 36% na comparação com o terceiro trimestre de 2019.

Vale ressaltar que, no terceiro trimestre de 2019, o lucro líquido foi impactado pelo efeito não caixa positivo do imposto diferido na venda de propriedades (Barra da Tijuca e Chucri Zaidan).

A despesa financeira líquida ajustada foi de R$ 9,4 milhões, representando uma redução de 81% na comparação anual.

Banco Pan (BPAN4) tem alta de 26% no lucro do 3TRI

O Banco Pan (BPAN4) registrou um lucro líquido de R$ 170 milhões no terceiro trimestre deste ano, alta de 26% na comparação com igual período de 2019.

De acordo com o banco, os principais fatores que vem contribuindo positivamente para os resultados dos últimos trimestres são margem financeira robusta; aumento da eficiência; e expansão da carteira core.

A margem financeira líquida foi de 20,5% frente aos 19,1% do 2º trimestre de 2020 e aos 18,4% do 3º trimestre de 2019.

Ecorodovias (ECOR3) tem alta de 53,2% no lucro do 3TRI

A Ecorodovias (ECOR3) divulgou lucro líquido totalizou R$ 89,2 milhões, um desempenho 53,2% superior ao registrado no mesmo período de 2019.

Já nos nove primeiros meses de 2020, o lucro líquido é de R$ 276,7 milhões ante um lucro de R$ 199,5 milhões sobre um ano antes.

Alpargatas (ALPA4) lucra R$ 116 mi no 3TRI, alta de 12,7%

A Alpargatas (ALPA4) informou um lucro líquido recorrente de R$ 116 milhões no terceiro trimestre de 2020. Os números refletem um crescimento de 12,7% sobre igual trimestre do ano anterior.

No acumulado de 2020, a Alpargatas teve lucro líquido recorrente de R$ 227 milhões, uma retração de 5,6% sobre a base anual.

Profarma (PFRM3) tem melhor resultado em oito anos

A distribuidora de produtos farmacêuticos Profarma (PFRM3) reverteu prejuízo e reportou lucro líquido de R$ 29,4 milhões no terceiro trimestre de 2020. Este é o melhor resultado em oito anos, diz a empresa.

A margem líquida da empresa ficou em 2,2% ante uma margem de 0% no mesmo período de 2019.

d1000 (DMVF3) reverte prejuízo e lucra R$ 1,5 milhão no 3TRI20

A rede de drogarias d1000 (DMVF3) reportou o primeiro trimestre positivo de 2020. Com lucro líquido de R$ 1,5 milhão no terceiro trimestre, a empresa reverteu o prejuízo líquido de 5,9 milhões no mesmo período do ano passado.

No primeiro trimestre de 2020 o prejuízo havia sido de R$ 6,3 milhões, seguido de um prejuízo de R$ 13 milhões no segundo trimestre.

Este é o primeiro balanço divulgado pela empresa desde que realizou IPO (Oferta Pública Inicial), em 10 de agosto.

Vale (VALE3) negocia venda da Vale Nova Caledônia

A Vale (VALE3) informou que sua subsidiária, Vale Canada Limited (VCL), celebrou exclusividade por 30 dias com um consórcio para negociar a venda de sua participação na Vale Nova Caledônia.

O consórcio liderado pela atual administração e empregados da Vale Nova Caledônia é apoiado pelos governos da Nova Caledônia e da França.

CSN deve adiar IPO da mineradora

Segundo o Valor, a CSN (CSNA3) avalia adiar para 2021 a oferta inicial de ações (IPO) da CNS Mineração. A mudança deve ocorrer devido ao cenário econômico e político instável.

PETR4 anuncia venda de polo Bahia Terra

A Petrobras (PETR4) anunciou um novo pacote com 28 campos em terra na Bahia que serão colocados à venda. O polo Bahia Terra tem produção média de 14 mil barris diários de petróleo. Com a venda, ela abre mão de seu último grande polo terrestre de extração de petróleo.

Centauro (CNTO3): Cade aprova aquisição da Nike do Brasil

A Centauro (CNTO3) informou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou a aquisição da Nike do Brasil.

O CADE ressaltou que as partes deverão se comprometer com a separação entre as atividades comerciais atuais por 3 anos.

Além disso, exige a manutenção do tratamento isonômico de clientes da Nike.

Fleury (FLRY3) fecha parceria com o Sabin

O Grupo Fleury (FLRY3) comunicou parceria com o Grupo Sabin, um fundo de investimento em participações, o Kortex Ventures.

O objetivo é realizar investimentos em startups de saúde digital, medicina diagnóstica e medicina personalizada.

O novo fundo Corporate Venture Capital tem um prazo de 10 anos e um aporte total de até R$ 200 milhões.

Minerva (BEEF3) confirma joint-venture

A Minerva (BEEF3) apresentou esclarecimentos solicitados pela B3 (B3SA3) sobre notícia veiculada no Valor Econômico ontem, sob o título “Minerva faz acordo na China para criar nova joint venture”.

A empresa confirma que celebrou memorando de entendimentos não vinculante com o conglomerado chinês Greenland, com intuito de explorar oportunidades comerciais no mercado chinês, em particular na importação e distribuição de carne bovina, por meio da constituição de uma joint venture.

Entretanto, a Minerva reforça o caráter não vinculante do memorando de entendimentos.

Ser Educacional (SEER3) cancela AGE sobre ADRs e Laureate

A Ser Educacional (SEER3) comunicou que cancelou a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que seria realizada no dia 9 de novembro próximo, às 14h.

A pauta era a deliberação sobre admissão, registro e listagem de American Depositary Shares (ADSs), evidenciadas por American Depositary Receipts Nível III (ADRs), em bolsa de valores localizada nos Estados Unidos.

A Ser informou também que decidiu exercer o direito de receber em dinheiro a multa de R$ 180 milhões pelo “go shop”, prevista no contrato firmado com a Ânima (ANIM3) pelos ativos da Laureate no Brasil.

Lojas Renner (LREN3) paga JCP

A Lojas Renner (LREN3) comunicou aos detentores dos papéis da 11ª emissão de debêntures simples, de 5 de maio de 2020, que pagará juros na data de hoje (5).

O valor é de R$ 25,749649 por debênture da 1ª série e de R$ 25,947223 por debênture da 2ª série.

Rede d1000 projeta a abertura de 30 lojas

A d1000 (DMVF3) informou que espera abrir 30 lojas em 2021.

As projeções consideram a estratégia de expansão da d1000; a capacidade financeira para suporte dos investimentos; o potencial para obtenção de pontos comerciais atraentes e com retornos adequados; e “outras circunstâncias inerentes às suas atividades, sujeitas a riscos e incertezas”, diz a empresa.