Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quinta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A safra de resultados corporativos passou pela “super quarta” com resultados de algumas das maiores companhias do Brasil. Confira no Radar Corporativo o saldo dos balanços:

Bradesco (PETR3 PETR4) lucro acima do esperado; Petrobras (PETR3 PETR4) prejuízo, ante expectativa de lucro; Vale (VALE3), com forte recuperação, mas lucro abaixo; GPA (PCAR3) e Ambev (ABEV3) ambas com lucro acima.

Confira os detalhes abaixo.

EmpreendedorismoTécnicas para Renda Fixa. Estratégias para proteção de investimentos.

Tudo isso hoje na MoneyWeek

Petrobras (PETR3 PETR4) reverte lucro e tem prejuízo

A Petrobras (PETR3 PETR4) registrou prejuízo líquido dos acionistas de R$ 1,546 bilhão no terceiro trimestre, revertendo lucro de R$ 9,087 bilhões de um ano antes. Ante o segundo trimestre deste ano, o prejuízo foi 43% menor.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 22,910 bilhões, uma elevação de 86,1% em relação ao trimestre anterior e 110,7% na comparação anual.

Vale (VALE3) lucra US$ 2,9 bi

Vale (VALE3) registrou um lucro de US$ 2,908 bilhões no terceiro trimestre. O resultado foi 75,8% acima do lucro registrado no mesmo período do ano passado.

Já na comparação com o segundo trimestre deste ano, o aumento foi ainda maior, alta de 192%.

Entretanto, o desempenho ficou abaixo da mediana das expectativas da Refinitiv, que era de US$ 3,656 bilhões.

Bradesco (BBDC4) tem lucro de R$ 5,031 bi

O Bradesco (BBDC3; BBDC4) reportou lucro líquido recorrente de R$ 5,031 bilhões referente ao terceiro  trimestre deste ano.

O valor equivale a uma queda de 23,1% nos lucros frente a igual período do ano passado.

Com isso, o resultado ficou acima das expectativas do mercado, que aguardava por uma queda nos lucros em 27,8%.

Ambev (ABEV3): lucro cai 9,4%

A Ambev (ABEV3) reportou um lucro líquido de R$ 2,35 bilhões no terceiro trimestre de 2020. No mesmo período do ano passado o lucro foi de R$ 2,6 bilhões.

Já nos nove primeiros meses de 2020, a Companhia registrou lucro de R$ 4,84 milhões, contra um lucro de R$ 7,96 bilhões sobre igual período de 2019.

Usiminas (USIM5) reverte prejuízo em lucro de R$ 198 mi

A Usiminas registrou lucro de R$ 198,08 milhões no terceiro trimestre de 2020, revertendo o prejuízo de R$ 138,98 milhões do mesmo período de 2019. O Ebitda somou R$ 826 milhões, uma alta de 87%, enquanto a receita líquida no trimestre totalizou R$ 4,38 bilhões, um avanço de 14% em relação à base anual.

GPA (PCAR3) tem alta de 151,3% no lucro

O GPA (PCAR3) teve lucro líquido de R$ 386 milhões, um desempenho 151,3% superior ao registrado em igual período de 2019.

Mas quando analisado o lucro líquido das operações em continuidade houve crescimento de 96,7%, totalizando R$ 339 milhões contra R$ 172 milhões um ano antes.

Multiplan (MULT3): lucro cresce 3,6 vezes

A Multiplan (MULT3) registrou lucro líquido de R$ 568,7 milhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 368% na comparação com igual período do ano passado.

Conforme a companhia, este foi o maior lucro da história da companhia. O trimestre foi beneficiado pela venda da Diamond Tower que contribuiu com R$ 519,8 milhões para o lucro líquido.

Odontoprev (ODPV3) tem alta de 60,8% no lucro

A Odontoprev (ODPV3) registrou lucro líquido de R$ 85,8 milhões no terceiro trimestre de 2020, alta de 60,8% na comparação com igual período do ano passado.

A margem líquida foi de 20% no terceiro trimestre, alta de 8,2 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre de 2019.

O resultado financeiro foi positivo em R$ 359 mil, ante 4,1 milhões no mesmo período de 2019.

EDP Brasil (ENBR3): lucro cai 15,3%

EDP Brasil (ENBR3) registrou lucro líquido de R$ 299,8 milhões no terceiro trimestre de 2020. Isso representa queda de 15,3% na comparação com igual período do ano passado.

A receita líquida da EDP recuou 12,8% no terceiro trimestre deste ano, totalizando R$ 2,999 bilhões.

A margem bruta atingiu R$ 1,022 bilhão no período, uma redução de 8,9% em relação ao mesmo período de 2019.

Cesp (CESP6): prejuízo líquido salta 645%

A Cesp (CESP6) reportou um prejuízo líquido de R$ 58,52 milhões no terceiro trimestre de 2020.

No mesmo período do ano passado o prejuízo foi de R$ 7,85 bilhões.

No entanto, nos nove primeiros meses de 2020, a Companhia registrou lucro de R$ 133,08 milhões, contra um prejuízo de R$ 170,1 bilhões sobre igual período de 2019.

Tupy (TUPY3): lucro sobe 92,6%

A Tupy (TUPY3) reportou um lucro líquido de R$ 128,02 milhões no terceiro trimestre de 2020. Os números representam um avanço de 92,6% sobre o mesmo período do ano passado, com lucros de R$ 66,48 milhões.

Segundo a Tupy, o resultado líquido foi o maior da história da companhia.

No entanto, no acumulado de 2020, a Tupy registra prejuízo de R$ 162,3 milhões ante lucro de R$ 206,37 milhões um ano antes.

Petrobras (PETR4) é autorizada a importar gás da Bolívia

O Ministério de Minas e Energia autorizou a Petrobras (PETR4) a exercer atividades de importação de gás natural da Bolívia em volume total de até 10,08 milhões de metros cúbicos por dia.

A autorização, válida até o final de 2020, foi publicada pela pasta no Diário Oficial da União.

De acordo com a publicação, ainda há aval para importação adicional de até 1 milhão de metros cúbicos por dia. Este valor seria para uso no sistema de transporte.

BRF (BRFS3) contrata linha de crédito de R$ 1,5 bi

A BRF (BRFS3) comunicou que realizou a contratação de uma linha de crédito rotativo junto ao Banco do Brasil (BBAS3).

O contratado foi até o limite de R$ 1,5 bilhão, pelo prazo de 3 anos.

Qualicorp (QUAL3) adquire carteira com 4,3 mil vidas

A Qualicorp (QUAL3) adquiriu, da Health, carteira contendo aproximadamente 4,3 mil vidas, no segmento coletivo por adesão, no estado de São Paulo e atendidas pelo Grupo Notre Dame Intermédica (GNDI3).

A operação inclui portfólios da Green Line e Santamália, operadoras de saúde da própria Notre Dame Intermédica.

A transação envolve somente os direitos e obrigações sobre a carteira.

Minerva (BEEF3) investe US$ 4 mi na Clara Foods

A Minerva (BEEF3) anunciou sua primeira venture capital, a Clara Foods.

“Em linha com a estratégia anunciada, a Minerva está investindo US$ 4 milhões na Clara Foods”, informou a empresa em nota ao mercado.

A Clara Foods é “uma startup inovadora de alimentos” sediada em São Francisco, Estados Unidos.

BBAS3: TCU confere ao BB nível de excelência

O Tribunal de Contas da União (TCU) conferiu ao Banco do Brasil “nível de adequação geral de excelência, após conclusão de trabalho relacionado à adequação das empresas estatais federais à Lei das Estatais”.

Das 20 estatais analisadas, o BB foi a única do setor financeiro a atingir tal classificação.

LGCP11: período de subscrição termina nesta quinta, dia 29

O LOGCP Inter (LGCP11) realizará a sua segunda distribuição primária de cotas no valor de até R$ 150 milhões. O período de subscrição acaba nesta quinta-feira (29) e a liquidação financeira das novas cotas será em 4 de novembro.

As novas cotas serão comercializadas a R$ 100, já incluída a taxa de distribuição. Nesse sentido, o número mínimo a ser subscrito por cada novo investidor será de 10 cotas.

Natura (NTCO3) lança plataforma de serviços financeiros

A Natura (NTCO3) informou que lançou a &Co Pay, sua plataforma proprietária de serviços financeiros.

A &Co Pay chega ao mercado para “atender as principais necessidades de negócio das consultoras e revendedoras e traz consigo grande capacidade de inclusão financeira e digital desta base”, diz a Natura.

BR Distribuidora (BRDT3) obtém decisão favorável

A BR Distribuidora (BRDT3) informou que conseguiu decisão favorável da 12ª Vara Federal do Rio de Janeiro de que o valor do ICMS a ser excluído da base de cálculo do PIS/COFINS é o destacado na nota fiscal.

Desta forma, a metodologia de cálculo para apuração desse crédito irá gerar um reconhecimento total no resultado da companhia em 2020 de R$ 1,4 bilhão, já incluído neste valor os R$ 551 milhões registrados no 2° e 3° trimestres.

À decisão não cabe recurso. O ganho adicional, portanto, será refletido nas demonstrações financeiras do 4º trimestre de 2020. O valor total é de R$ 874,6 milhões.

Totvs (TOTS3) segue na disputa pela Linx (LINX3)

Em 20 dias a Linx (LINX3) analisa a proposta de compra feita pela Stone. Mas a Totvs não desistiu da disputa. A empresa convocou uma assembleia para avaliar a possível fusão. Nas palavras da própria empresa, segundo o Valor, isto serve para demonstrar, formalmente, que ela segue interessada na aquisição.