Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quarta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: jcomp / Freepik

O Radar corporativo desta quarta-feira (23) traz como destaque a incorporação de ações de Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3). Também que a Stone vai emitir BDRs para pagar acionistas da Linx (LINX3). Veja mais notícias.

Radar: mercados

Os mercados estão em alta na manhã desta quarta-feira (23), ainda repercutindo os comentários do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que disse ontem (22) que o governo dos Estados Unidos vai apoiar a economia “pelo tempo que for preciso”.

Da Europa vêm os resultados dos Índices dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês). A prévia do PMI industrial da zona do euro em setembro teve leitura de 53,7 pontos, acima da projeção de 51,9 e acima dos 51,7 de agosto. Leituras acima de 50 pontos apontam crescimento econômico e, abaixo, retração. Já o PMI de serviços ficou em 47,6, abaixo da projeção de 50,5 (mesma leitura de agosto). Com isso, o PMI composto, que une industrial e de serviços, deve ficar em 50,1 no mês – a expectativa é por 51,7 (era 51,9 em agosto).

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Destaque no Brasil

A bolsa de valores fechou a terça-feira (22) com alta de 0,31%, ficando com 97.293 pontos, acompanhando os EUA.

Para hoje, o destaque é a divulgação do IPCA-15, considerado uma prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medida oficial de inflação no país.

Ontem, a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central reiterou sua resolução de manter a taxa Selic em 2%, após nove cortes consecutivos da taxa básica de juros.

Entre as indicações transmitidas ao mercado, foi sinalizado que a política monetária deve ser mantida como está pelos próximos meses. Isto porque reduções adicionais na taxa de juros poderiam ser acompanhadas de instabilidade nos preços dos ativos.

Segundo o Copom, o cenário deve ser mantido sem novas alterações ainda por 2021 e, possivelmente, até 2022. Isto só muda se a inflação não seguir na trajetória desejada.

Veja as cotações às 7h40:

  • S&P: +0,46%
  • Nasdaq: +0,30%
  • Dow Jones: +0,76%

Clique aqui para conferir a cobertura completa da abertura dos mercados.

Radar: destaques corporativos

Localiza (RENT3) e Unidas (LCAM3) incorporam ações

A Localiza e a Unidas informaram à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta-feira, que assinaram acordo de incorporação de ações, mediante a incorporação de ações da Unidas pela Localiza.

“Do ponto de vista econômico-financeiro, a integração dos negócios deverá promover sinergias e aumentos de eficiência na companhia combinada resultante da incorporação de ações”, afirmam as empresas.

A Localiza ficaria com 76,85% da nova companhia. Os acionistas da Unidas, com 23,15%. O acordo prevê a relação de troca de 0,44682380 ação ordinária da Localiza por cada ação ordinária da Unidas.

CSN (CSNA3) quer levantar US$ 1,5 bi com IPO

De acordo com o Estadão, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) pretende levantar US$ 1,5 bilhão com oferta inicial de ações (IPO) da unidade de mineração Casa de Pedra e Namisa.

Seriam US$ 1,3 bilhão em oferta secundária, com o dinheiro para o caixa da CSN, para pagamento de dívidas, e US$ 200 milhões para investimentos na unidade.

Stone emite BDRs para pagar acionistas da Linx (LINX3)

A Stone deu mais um passo para agradar aos acionistas e ser a escolhida na disputa pela Linx. Ontem (22), a empresa afirmou que emitirá BDRs (brazilian depositary receipts) na bolsa brasileira, que serão usados como parte do pagamento aos acionistas da Linx.

A Stone, que fez oferta de R$ 6,3 bilhões pela Linx, prevê 90% do pagamento em dinheiro e 10% em ações. Mas encontrava o empecilho de ser listada em Nova York. Agora, com a resolução, todos os investidores brasileiros, pessoas físicas ou jurídicas, estariam aptos a receber a parcela do pagamento em ações.

Entenda como vão funcionar os BDRs na B3.

Veto do STF ameaça Petrobras (PETR3 PETR4), diz secretário

O secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Diogo Mac Cord afirmou que o possível veto do Supremo Tribunal Federal (STF) proibindo a Petrobras de criar subsidiárias para vender ativos pode “matar” a empresa. “Acabou o desinvestimento. Você amarrou a mão dela. Você matou a empresa”, disse em entrevista ao Valor.

Ontem, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, suspendeu o julgamento virtual sobre a venda de refinarias da Petrobras, para que o tema passe a ser discutido em sessão presencial.

Azul (AZUL4): Capital Research atinge 5,1% de participação

A Azul (AZUL4) informou que a Capital Research Global Investors (CRGI), holding de sociedades administradoras de investimento no exterior, aumentou a participação de ações preferenciais e American Depositary Receipts (ADRs).

A CGRI passou a administrar 16.845.579 ações PN e ADRs representativos de Ações PN da Azul. Montante que equivale a 5,1% de participação na Azul.

Latam pode dispensar 1,2 mil funcionários

A Latam informou ao Tribunal Superior do Trabalho que pode demitir 1,2 mil tripulantes nos próximos dias, caso não consiga chegar a um acordo para uma redução permanente na remuneração deles. Em agosto, a empresa já dispensou 2,7 mil pilotos, segundo o Estadão.

Alupar (ALUP11): empresa de transmissão do ES inicia operação

A Alupar (ALUP11) informou que a Empresa de Transmissão do Espírito Santo (a ETES) recebeu do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) liberação definitiva para operar. A operação adicionará uma receita anual de R$ 3,1 milhões, valor base ciclo 2020-2021.

Correios é o primeiro na lista de privatizações

O novo secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord de Faria, disse ontem que a privatização dos Correios é prioridade para o governo. Sobre a Eletrobras, ele considera que o assunto está tecnicamente esgotado e já fora do alcance da equipe econômica, de acordo com o Valor.

Copel (CPLE6) de olho em energia renovável

A Copel está buscando novos negócios dos segmentos de geração e transmissão de energia e dá preferência a ativos com risco de construção já está superado, de acordo com o Valor. A empresa também está interessada em alternativas em energia solar. Segundo o diretor presidente da companhia, Daniel Slaviero, essas fontes têm se mostrado mais atraente pelo mercado.

Magazine Luiza (MGLU3): Assembleia analisará desdobramento  de ações

O Magazine Luiza (MGLU3) informou que realizará assembleia em 7 de outubro de 2020, a fim de deliberar sobre a proposta de desdobramento das ações ordinárias de emissão da Companhia.

A varejista pretende realizar o desdobramento na proporção de 01 ação ordinária para 4 ações ordinárias, sem alteração no valor do capital social da Companhia.

Notre Dame Intermédica (GNDI3): BlackRock reduz participação para 4,83%

A Notre Dame Intermédica (GNDI3) informou que recebeu correspondência da acionista BlackRock, comunicando a redução de suas participações na Companhia.

Desse modo, com a alteração, a BlackRock passará a deter 29.459.362 ações ordinárias.

Isso corresponde a, aproximadamente, 4,83% do total de ações ordinárias de emissão da Companhia.

Gol (GOLL4): BlackRock reduz participação acionária para 4,94%

A Gol (GOLL4) comunicou na terça-feira que sua acionista, BlackRock reduziu a participação acionária na Companhia.

Assim sendo, em 17 de setembro de 2020, a participação da BlackRock alcançou 8.415.219 ações preferenciais e 2.560.896 American Depositary Receipts (ADRs).

Como resultado, a BlackRock totaliza 13.537.011 ações preferenciais, representando aproximadamente 4,94% do total de ações preferenciais de emissão da Gol.

Caixa Seguridade distribuirá R$ 850 milhões em dividendos

O Conselho de Administração da Caixa Seguridade aprovou a distribuição de dividendos no valor total de R$ 850 milhões, referentes a reservas de lucros de exercícios anteriores e auferidos até 30 de junho de 2020.

Cemig (CMIG4) aprova JCP de R$ 120 mi

A Cemig aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio no valor de total R$ 120 milhões. O que corresponde a R$ 0,0790 por ação.
Tem direito ao pagamento os acionistas detentores de ações no dia 25 de setembro de 2020.

Weg (WEGE3) aprova JCP

A Weg (WEGE3) aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio no valor total de R$ 72,3 milhões. O valor corresponde a R$ 0,03447 por ação, para titulares de ações escriturais em 25 de setembro de 2020.

Hermes Pardini (PARD3) aumenta valor do JCP

O Instituto Hermes Pardini (PARD3) anunciou que, devido a alteração do número de ações em tesouraria, o valor bruto por ação para o pagamento de juros sobre capital próprio (JCP) — aprovado em 8 de setembro de 2020 — foi atualizado para R$ 0,13774.

O montante dos juros foi de R$ 17,7 milhões. O pagamento ocorrerá no dia 30 de setembro de 2020.

Petrobras (PETR4) anuncia aumento da gasolina em 4%

Petrobras (PETR4) anunciou que o preço do litro da gasolina vendida nas refinarias às empresas distribuidoras foi reajustado em 4%. Passa a valer a partir de hoje (23).

Radar: destaques FIIs

O mercado de Fundos Imobiliários (FIIs) terá uma agenda agitada de ofertas nos próximos dias. Os Fundos Imobiliários RZTR11, PPIE11, BPFF11 e MGCR11 realizarão captações no mercado, sendo que os três primeiros farão ofertas abertas a investidores em geral.

Confira os perfis destes fundos!