Radar corporativo: veja os destaques das empresas nesta quarta-feira

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Wikipedia

O Radar corporativo desta quarta-feira (16) destaca que a Oi (OIBR3 OIBR4) recebeu pedido de dois acionistas para a realização de voto múltiplo na eleição de membros do conselho de administração. E a Minerva (BEEF3) informou aumento de capital social para R$ 1.363.611.850,25, em decorrência do exercício de bônus de subscrição da Salic Limited, que atingiu 33% de participação.

Petrobras (PETR4) inicia venda de fatia de bloco na Colômbia e também realiza troca de US$ 4 bi em Global Notes por títulos na Securities and Exchange Commission (SEC). A Eletrobras (ELET3) inicia fase de testes de  parque eólico da Chesf. Veja mais notícias.

Radar: mercados

Os mercados futuros de Nova York operam em alta nesta quarta-feira (16), otimistas à espera das  decisões do Federal Open Market Committee (Fomc), do Federal Reserve norte-americano.

Conheça a FinTwit, o maior fórum de finanças do mundo.

Hoje o Twitter é pauta na Money Week.

Esta é a primeira reunião do comitê depois que o Fed anunciou que seria mais tolerante com a inflação para viabilizar a retomada do crescimento pós-Covid-19. Para hoje, não são aguardados cortes ou aumento nos juros básicos. Mas, sim, sinalizações de até quando eles se mantêm em níveis baixos.

Veja as cotações às 6h18:

  • S&P: +0,41%
  • Nasdaq: +0,61%
  • Dow Jones: +0,26%

Leia aqui a cobertura completa sobre a abertura dos mercados.

Destaques no Brasil

No Brasil, a expectativa é a mesma da americana: que o Comitê de Política Monetária (Copom) mantenha a taxa de juros básica (Selic) em 2%, depois do corte de 0,25 ponto porcentual realizado no início de agosto. Mas além da definição da taxa, interessa aos investidores o comunicado que acompanhará a decisão de política monetária.

O BTG Pactual (BPAC11) é uma das instituições que reforça a aposta na manutenção dos 2%: “encerrar o movimento de expansão monetária junto a um comunicado mais cauteloso poderia ser a estratégia adequada vis-à-vis o balanço de risco local e a atual volatilidade do real frente à moeda americana”, afirmou em relatório.

Minerva foi destaque

Ontem (15), a bolsa fechou praticamente estável, com mais 0,02%, aos 100.297,91 pontos. Um dos destaques positivos do dia foi a Minerva (BEEF3), que subiu 4,30%, após anunciar que assinou uma carta de intenções com uma sociedade de propósito específico para aquisição (SPAC) listada na Nasdaq, sobre potencial combinação de negócios com sua subsidiária, Athena Foods.

No mesmo segmento, a BRF (BRFS3) também subiu, ganhando 4,19%, após as agências de classificação de risco Fitch e Moody’s atribuírem bons ratings à empresa.

A Rumo (RAIL3) caiu 0,93%, com o Cade recomendando condenar a empresa em processo, por infringir a ordem econômica, com aplicação de multa.

Radar: destaques corporativos

Acompanhe as notícias das empresas.

Acionistas da Oi (OIBR3) pedem adoção de voto múltiplo

A Oi (OIBR3 OIBR4) informou que recebeu pedido de dois acionistas para adoção de processo de voto múltiplo na eleição dos membros do Conselho de Administração para um mandato até a Assembleia Geral Ordinária que aprovar as demonstrações financeiras do exercício de 2020, a ser deliberada na Assembleia Geral Extraordinária de amanhã (17).

Minerva (BEEF3) informa aumento de capital

O Conselho de administração da Minerva (BEEF3) homologou o aumento do capital social em decorrência do exercício de bônus de subscrição por determinados titulares. O capital social passará dos atuais R$ 968.109.072,77 para R$ 1.363.611.850,25, divididos em 548.413.533 ações ordinárias. A acionista Salic Limited, por meio da conversão de bônus em ações, alcançou uma participação de 33,83%.

Petrobras (PETR4) inicia venda de fatia de bloco na Colômbia

A Petrobras (PETR4) informou que iniciou a fase vinculante referente à venda da totalidade de sua fatia em porção exploratória do Bloco Tayrona, na Colômbia. O bloco fica na Bacia de Guajira, litoral nordeste do país.

Petrobras (PETR4) troca US$ 4 bi em Global Notes por títulos na SEC

A Petrobras (PETR4) informou o resultado da oferta de troca de títulos não registrados, emitidos em 18 de setembro de 2019, por títulos registrados na Securities and Exchange Commission (SEC), efetuada pela sua subsidiária integral Petrobras Global Finance B.V. (PGF).

Eletrobras (ELET3): parque eólico da Chesf inicia fase de testes

A Eletrobras (ELET3 ELET5 ELET6) informou que foi energizado, em fase de teste, o parque A do Complexo Eólico Casa Nova I, da sua controlada Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, a Chesf.

O Parque A, situado na Bahia, é formado por 18 aerogeradores com capacidade de 1,5 MW cada. O total é de 27 MW de capacidade instalada.

BIOMM (BIOM3) informa prazo de exercício de bônus de subscrição

A BIOMM (BIOM3) comunicou que no período de 1º a 30 de outubro de 2020 serão exercíveis os bônus de subscrição atribuídos aos acionistas subscritores das ações emitidas no âmbito do aumento do capital social aprovado 3 de outubro de 2019.

Log (LOGG3) vende participação em ativos

A Log (LOGG3) aprovou a celebração de contrato de compra e venda entre a companhia e o fundo imobiliário LOGCP Inter para alienação de participações minoritárias em cinco ativos da companhia.

As companhias são LOG Goiânia, LOG Viana, LOG Contagem I,LOG Rio e LOG Gaiolli, totalizando 48.404 m² de área bruta locável (ABL).

A transação será realizada por R$ 146,3 milhões, resultando em um valor médio por ABL de R$ 3.023,57.

Wilson Sons (WSON33) remunera proventos

A Wilson Sons aprovou o pagamento de US$ 0,33 por BDR (Brazilian Depositary Receipts), equivalente a US$ 23,6 milhões.

O pagamento será efetuado após a aprovação dos acionistas em 5 de novembro de 2020, por meio de transferência internacional de recursos para todos os acionistas que participam diretamente do capital social da emissora, ou através do banco depositário dos BDRs no Brasil que, em seguida, repassará os recursos para os detentores de BDRs.

Braskem (BRKM5): gastos com solo em AL sobem R$ 3,3 bi

A Braskem (BRKM5) estimou em aproximadamente R$ 3,3 bilhões o valor para a implantação das medidas de reparação referentes ao evento geológico em Alagoas, na qual foi considerada responsável.

Em 2018, começaram a surgir rachaduras em imóveis nos bairros do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, em Maceió, Alagoas. O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) concluiu que a atividade de mineração na região teria provocado as rachaduras.

Plano&Plano (PLPL3) reduz piso e levanta R$ 690 mi em IPO

A subsidiária da Cyrela (CYRE3), Plano & Plano (PLPL3), precificou sua oferta de ações em R$ 9,40 por papel, movimentando aproximadamente R$ 690 milhões.

Dessa forma, o IPO saiu abaixo da faixa indicativa de preços por ação definida entre R$ 11,25 e R$ 15,25. A Plano & Plano estréia em bolsa na próxima quinta-feira (17).

Raia Drogasil (RADL3) aprova desdobramento de ações

A Raia Drogasil (RADL3) aprovou o desdobramento da totalidade das ações de emissão da companhia. O desdobramento se dará na proporção de cinco ações ordinárias para cada ação da mesma espécie.

De acordo com a companhia, a alteração não modifica o valor do capital social, que se mantém em R$ 2,5 bilhões.

CPFL Energia (CPFE3) efetiva cancelamento de registro nos EUA

A CPFL Energia (CPFE3) comunicou a deslistagem de suas American Depositary Shares (ADSs) da New York Stock Exchange (Nyse).
A companhia efetivou o cancelamento de seu registro perante a Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA.

EDP (ENBR3) paga dividendos

A EDP (ENBR3) comunicou aos titulares de debêntures, referentes à 4ª emissão, que efetuou pagamento de principal e juros ontem (15).

Sob o código ENBR24, foi pago o principal com preço unitário de R$ 408,81177140, acrescido de R$ 33,33904394 de juros. Já sob o código ENBR34, foi pago juros de R$ 49,64385501.

Randon (RAPT4): aprova aumento de capital da Fundituba

O Conselho de administração da Randon (RAPT4) aprovou o aumento do capital de sua controlada RVC Venture. Segundo o comunicado, o aumento foi no valor de R$ 12 milhões.

Oi (OIBR4): geração de caixa de R$ 8 milhões em julho

A Oi (OIBR4), em recuperação judicial, registrou geração de caixa operacional líquida positiva em R$ 8 milhões no mês de julho deste ano, revertendo o resultado negativo de R$ 69 milhões no mês anterior.

Eternit (ETER3) obtém autorização do Inmetro

A Eternit (ETER3) conseguiu o certificado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) para sua telha de concreto capaz de produzir energia. A empresa tem dois modelos de telhas fotovoltaicas. Uma em concreto, já aprovada pelo Inmetro, com o nome Tégula Solar, em 2019. O outro modelo, desenvolvido em fibrocimento, acaba de ter o certificado. Assim, a empresa já pode comercializar o produto.