Questões ambientais afetam o fluxo financeiro, diz Campos ao Valor

Marcelo Hailer Sanchez
Jornalista, Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP). Pesquisador em Inanna (NIP-PUC-SP). Trabalhei nas redações do Mix Brasil, Revista Junior, Revista A Capa e Revista Fórum. Também tenho trabalhos publicados no Observatório da Imprensa e revista Caros Amigos. Sou co-autor do livro "O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente" (AnnaBlume).
1

Crédito: Reprodução Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, publicada na edição desta sexta-feira (24), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, revelou que chamou a atenção de alguns setores do governo para o fato de que o tema ambiental, daqui pra frente, vai afetar o fluxo financeiro.

De acordo com o presidente do BC, a questão ambiental influenciou, em primeiro lugar, a área energética e a maneira de se produzir energia, posteriormente, migrou à área da agricultura e forma como os alimentos são produzidos. Neste momento, que seria a terceira etapa, o foco é o “impacto das questões ambientais sobre o fluxo financeiro mundial”.

“O investidor externo vai olhar para esses critérios de governança ambiental. Precisamos estar em conformidade”, declarou Roberto Campos ao Valor.

Campos Neto ainda revelou que todo um desenho de diminuição do governo está sendo elaborado com o aumento da participação privada e que “parte desse investimento vem de fora”, portanto, a meta é adequar as políticas do governo a essa nova demanda que tem pautado o investidor estrangeiro.