Título do Tesouro: qual é a melhor opção para os meus investimentos?

Fabian Fávero
Formado em Direito pela Universidade do Sul de Santa Catarina e assessor de investimentos na EQI Investimentos
1

Crédito: Rawpixel / PixaBay

Entenda o rendimento, as vantagens e desvantagens de cada um dos ativos

Comumente sendo o primeiro passo para quem sai da poupança, o Tesouro Direto oferece modelos diferentes de investimento. São eles o prefixado e o pós-fixado, sendo este último atrelado à Selic ou ao IPCA. Cada um deles possui rendimento ligado a uma variável, possuindo vantagens e desvantagens distintas.

O que é o Tesouro?

Vamos lá, se você já está procurando os tipos de aplicações no Tesouro Direto você provavelmente já sabe como ele funciona, mas não custa reforçarmos. Sendo extremamente objetivo: a União emite um título e, caso você compre, significa que você está emprestando dinheiro ao governo.

Depois do período acordado entre você e o governo, ele irá lhe devolver o capital atualizado conforme o contrato. Essa atualização pode ser definida no momento do empréstimo ou consoante uma variável no decorrer do tempo.

Essa forma de investimento é considerada a mais segura do mercado, tendo em vista que sua garantia é o próprio governo. Convenientemente, este produto foi escondido por muito tempo nos bancos. Eram oferecidos aplicações como a poupança, consórcios e títulos de capitalização. Enquanto isso,  o título do tesouro só era acessado através de fundos de investimento com altas taxas.

Agora, os Títulos são comercializados através de site do próprio governo, em horário entre 9:30h e 18h, com aplicações a partir de R$35,54 (acessado em 8 de outubro de 2019).

Quais as categorias dos Títulos?

O rendimento do título do tesouro segue três formas:

  • Prefixado

O prefixado se destina aos investidores que querem saber antecipadamente quanto receberão, sendo ideal para metas a médio e longo prazo.

  • Atrelado à Selic 

Já o que varia conforme a Selic rende a taxa básica de juros da economia, hoje em 5,5% ao ano.

  • Atrelado ao IPCA

Finalizando, o título ligado ao IPCA rende de acordo com a variação da inflação mais uma taxa já prefixada.

Vantagens e desvantagens

Passamos aqui então a analisar individualmente as vantagens e desvantagens de cada um dos investimentos.

Prefixados

No momento em que você adquire o título prefixado já tem acesso ao quanto receberá no vencimento do título. Isso é positivo dado que, caso já se saiba o valor buscado na data futura também já saberá o necessário hoje. Quanto maior o prazo, maior a rentabilidade.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Habitualmente, eles superam o CDI no momento da compra e são recomendados em cenários de queda da Selic e da inflação. Em pesquisa feita na data de hoje, um título para 10 anos pagaria 6,95% ao ano, representando aproximadamente o dobro da poupança.

Atrelado à Selic 

Já o título atrelado a Selic tem seu rendimento ligado a taxa que o dá nome. Ele é altamente recomendado para quem quer proteger seu capital em uma reserva de emergência. Tem ainda a vantagem de possuir uma liquidez maior em relação aos outros títulos do tesouro. Por este fato, é recomendado para objetivos de curto prazo também. Ele possui uma desvantagem em um cenário como atual, em que a Selic está em queda.

Atrelado ao IPCA

Em contrapartida, visando proteger o capital contra efeitos da inflação, há também o tesouro IPCA+. Caso a inflação venha a disparar todo o capital que estiver investido neste título estará protegido. Este título é um misto de prefixado e pós-fixado, tendo em vista que é oferecida uma taxa fixa mais a variação do IPCA, como por exemplo o IPCA + 4,5%. Nesta modalidade de investimento, há a opção de receber os juros semestralmente, adquirindo um título chamado NTN-B. Ele é altamente indicado para o longo prazo, já para aqueles que pensam na aposentadoria!

Qual Tesouro devo comprar?

Entender o investidor em uma profundidade maior do que o gerente do seu banco ou corretoras digitais e monitorar o mercado em busca de oportunidades que se enquadram em sua realidade, são atribuições do Assessor de Investimentos.

O papel dele é unir seus objetivos pessoas e profissionais, momento financeiro, perfil de investidor e avaliar o mercado para te apoiar com os investimentos que estiverem alinhados com seu momento.

Disponibilizo abaixo, a oportunidade de você realizar um diagnóstico e tirar todas as suas dúvidas sobre investimentos, conversando com um especialista no assunto.

 

Se considera um investidor conservador? Então você está em risco de extinção!

O cenário econômico virou do avesso e o país já não é mais o mesmo.

As taxas de juros caíram à níveis jamais vistos no Brasil desde o final do governo Militar (imagem abaixo) e levaram os rendimentos de Renda Fixa para próximo de Zero (ou negativos no caso da poupança).

Italian Trulli

A nova equipe econômica está incentivando novos investimentos no país, e com isso já não é mais possível ganhar dinheiro confortavelmente na poupança e em CDBs comuns. Por isso, estamos declarando a Extinção do Investidor Conservador.

Se você faz parte dessa espécie de investidor que está em risco de extinção, confirme seus dados no formulário abaixo e fale com nossa equipe. Vamos te ajudar, sem dor e sem custo.