Investimentos para os filhos: confira as 6 melhores opções

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.
1

Uma das preocupações de muitos pais é assegurar um futuro tranquilo para os seus filhos. Afinal, garantir o pagamento da faculdade ou uma reserva financeira pode fazer uma boa diferença para quem está começando a vida.

A boa notícia é que os pais têm bastante tempo para realizar estes investimentos desde que os filhos nascem.

Se você está em dúvida sobre quais são as melhores opções de investimentos para seus filhos, confira as dicas dos especialistas.

Saiba como investir na Apple, Tesla e Google a partir do Brasi

Primeiro passo é abrir uma conta numa corretora

Primeiramente, é importante destacar que é possível abrir uma conta em uma corretora de valores para menores de idade. A grande vantagem é que os recursos investidos no nome da criança não entram em inventário, no caso do falecimento do responsável.

“Ainda hoje, muitas pessoas investem para os filhos no próprio nome e, em caso de falecimento, entra em inventário e divisão entre os dependentes, pelas regras legais”, explica a economista Andreia Fernanda, da consultoria Rico Foco.

Uma vez que a conta na corretora de valores esteja aberta, é possível aplicar em todos os produtos do Tesouro Direto, renda fixa e ações.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Fuja da poupança

Embora a poupança ainda seja um dos investimentos mais conhecidos dos brasileiros, está não é uma boa opção. Isso porque a rentabilidade é muito pequena, principalmente em tempos de Selic baixa. Em momentos como o atual, com a Selic na mínima histórica, ela chega até mesmo a perder para a inflação.

“Os títulos do Tesouro Direto rendem mais, mesmo com incidência de impostos que a poupança não tem. E ainda são mais seguros”, destaca o assessor de investimentos da EQI, Elias Wiggers.

Segundo Andreia, até pouco tempo atrás, a única forma de abrir uma conta no nome do filho era abrir uma conta poupança. “Por isso, muita gente pensa que esta ainda é a única solução, além da previdência”, explica.

No entanto, como vimos acima, hoje é possível acessar variados tipos de investimento em nome da criança.

Como a construção de patrimônio da criança é de médio e longo prazo, os pais podem escolher investimentos que tenham um pouco mais de risco envolvido. Afinal, a reserva de emergência dos filhos são os pais. Ou seja, o dinheiro aplicado para os filhos tem apenas a função de ser usado lá na frente.

Entre as opções mais interessantes com este perfil estão títulos do Tesouro Direto de médio e longo prazo, fundos multimercado e ações. “Na prática, isso significa que a carteira de investimentos dos filhos podem ser bem diferentes da carteira dos pais”, destaca a economista.

Investimentos em Tesouro Prefixado

Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional lançado para permitir que pessoas físicas comprem títulos públicos. O Tesouro Direto é considerado um investimento de baixo risco no mercado.

Dentre os títulos do Tesouro Direto, uma boa opção de longo prazo é o Tesouro Prefixado. Este título oferece uma rentabilidade prefixada e tem uma data de vencimento determinada.

Desta forma, é possível saber exatamente quanto você vai receber no prazo combinado. O risco é quase inexistente para quem pode esperar até a data de vencimento do título. Já para quem resgata de forma antecipada, existe um risco, pois os preços oscilam diariamente.

Quem escolhe um Tesouro Prefixado com vencimento mais longo costuma conseguir taxas interessantes.

Atualmente, existem opções de Tesouro Prefixado com vencimentos em 2023 e 2026. Além disso, existe uma opção com pagamento de juros semestrais e vencimento em 2031.

Investimentos em Tesouro IPCA

Seguindo o mesmo raciocínio, o Tesouro IPCA também é uma boa alternativa. Este título também faz parte do Tesouro Direto. Sua rentabilidade é atrelada à inflação mais um cupom prefixado.

A grande vantagem é que este investimento garante um rendimento acima da inflação.

Da mesma forma que o Tesouro Prefixado, os papéis de vencimento mais longos são mais interessantes. Mas também é preciso ficar com o investimento até o final do prazo para obter o rendimento combinado na hora da compra.

Atualmente, existem opções de Tesouro IPCA com vencimentos em 2026, 2035, 2045 e 2055. Sendo que este último paga juros semestrais.

Previdência privada

Embora muita gente pense na previdência privada como projeto de aposentadoria, ela também é uma opção para outros investimentos de longo prazo.

Ela funciona da seguinte forma: mensalmente você contribui com uma quantia por um determinado período e esse valor fica rendendo. O indicado é que este valor não seja retirado num prazo curto.

De acordo com Andreia, é importante analisar a carteira escolhida e a taxa de administração dos fundos de previdência. “Não adianta colocar o dinheiro em previdência e escolher um fundo muito conservador com taxa elevada. Tem que pensar no longo prazo e em rentabilidade líquida que, no mínimo, supere a inflação”, explica.

Fundos de Investimento

Os fundos de investimento funcionam como um condomínio de investidores em que todos aportam recursos que serão aplicados em conjunto por um especialista (o gestor) ou por uma instituição.

Os ganhos depois são divididos entre os participantes, respeitando-se a proporção de investimento de cada um.

Os fundos de investimento podem ser constituídos por diferentes ativos. Entre eles, ações, títulos públicos, derivativos, moedas e investimentos estrangeiros. Com tantas possibilidades, os fundos precisam respeitar uma série de regras que servem de proteção para o investidor.

Pensando no futuro de seu filho, uma boa pedida são os fundos multimercado. Isso porque eles investem em uma cesta diversificada de ativos.

Uma carteira de ações para seus filhos

Um portfólio de ações de longo prazo pode ser uma boa ideia. Afinal, comprar uma ação significa se tornar sócio de uma empresa, e se beneficiar do seu crescimento e da distribuição de lucros.

No entanto, investir diretamente em ações exige um pouco mais de conhecimento dos investidores. É importante conhecer a empresa investida, seu setor de atuação e perspectivas futuras.

Outras opções na renda variável

Para quem não se sente seguro para investir nas ações das empresas, uma alternativa é investir no Ibovespa. Ou seja, na carteira das principais ações da bolsa de valores.

Para isso, a saída é investir em fundos de índice (ETF), que replicam comportamentos de índices. No caso do Ibovespa, um ETF bastante conhecido é o BOVA11.

Vale destacar que o investimento em Brazilian Depositary Receipts (BDRs) foi liberado para qualquer pessoa, a partir de setembro de 2020. Até então, a alternativa era válida apenas para investidores qualificados.

De acordo com a economista da Rico Foco, é bom os pais ficarem de olho para esta alternativa, caso ela seja oferecida também para as contas juniores das corretoras de valores.