Próxima onda de recuperação global pode elevar preços das commodities

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

A recuperação econômica global pode elevar os preços das commodities. Essa foi a previsão de analistas entrevistados pela CNBC para os próximos meses.

De acordo com os especialistas, os participantes do mercado estão monitorando de perto a força da recuperação econômica global, enquanto muitos países lutam contra um aumento no número de infecções por Covid-19, a popular “segunda onda”.

Durante a última semana, a OCDE alertou que a perspectiva econômica global permanece “excepcionalmente incerta”.

Commodities industriais da China

Um sinal de que a recuperação pode estar ganhando impulso, no entanto, com a China. A segunda maior economia do mundo relatou que a produção industrial cresceu em agosto.

Segundo os dados divulgados, a produção industrial acelerou para 5,6% em agosto, em comparação com o ano anterior.

Isso, segundo os especialistas, reforça a visão de que a recuperação da demanda de Pequim continua ganhando ritmo, com o estímulo do governo ajudando a alimentar uma recuperação.

“Já vimos uma resposta intensiva em metais na China, altamente intensiva em metais”, disse Max Layton, chefe de pesquisa de commodities da EMEA no Citi, à CNBC, por telefone.

“Tem sido absolutamente impressionante o quão forte a China se recuperou no lado da construção”, continuou ele, refletindo sobre a recuperação “espetacular” das commodities industriais.

Os “catalisadores” para ficar de olho

Segundo Max Layton, commodities como o minério de ferro “vão disparar” se a recuperação se mantiver.

O chefe de pesquisa da EMEA identificou “três grandes catalisadores” para os investidores de commodities acompanharem até o final do ano: notícias sobre a vacina contra o Coronavírus; a força da recuperação econômica da China e a escala do pacote de flexibilização dos EUA.

Nitesh Shah, diretor de pesquisa da WisdomTree, concordou com a análise de Layton e também apostou na “explosão” do minério de ferro.

“Eu realmente acho que muito do estímulo será impulsionado pela infraestrutura. Já sabemos que há um enorme déficit de infraestrutura em muitos países desenvolvidos e isso é algo que poderia ser resolvido neste período ”, apostou.

“Por que desperdiçar uma boa crise? Você pode realmente passar por muitos dos programas de infraestrutura que você tem esperado décadas para realmente passar pela porta neste momento . Não estou tão otimista quanto a uma grande recuperação rigorosa em forma de V, mas até mesmo algum tipo de recuperação é bom para o espaço industrial”, completou.

Os preços spot do minério de ferro subiram para novas máximas na última segunda-feira, sendo negociados perto de US $ 129 a tonelada métrica seca, devido ao boom da construção na China.

O ingrediente siderúrgico reduziu os ganhos, mudando de mãos a US $ 126,59 na sexta-feira. Os preços do minério de ferro subiram mais de 37% no acumulado do ano.

“Isso tem que ser bom para a demanda de petróleo e tem que ser bom para as commodities em toda a linha”, analisou Andy Critchlow, chefe de notícias do EMEA, no último mês.

Trump vs. Biden na infraestrutura

eleições nos EUA, eleições americanas, Trump, Biden

Houve rumores de que o presidente Donald Trump estava preparando um plano de infraestrutura de US$ 1 trilhão no início do ano. No entanto, sua posição sobre futuros investimentos em infraestrutura permaneceu vaga antes da eleição presidencial de 3 de novembro.

A campanha de Trump anunciou a agenda do segundo mandato do presidente no mês passado, prometendo “construir o maior sistema de infraestrutura do mundo”.

O comunicado à imprensa não ofereceu mais detalhes sobre como Trump planejava cumprir essa promessa caso fosse reeleito. Em 2016, o famoso republicano se comprometeu a gastar US$ 1 trilhão em infraestrutura, mas nada aconteceu desde então.

Em comparação, o candidato presidencial democrata Joe Biden prometeu gastar US $ 2 trilhões “para construir uma infraestrutura moderna e sustentável e um futuro de energia limpa eqüitativo”.

Biden disse que, se eleito, planeja reconstruir estradas, pontes, espaços verdes e sistemas de água, bem como fornecer banda larga universal.

“Na medida em que o mercado acredita que vai passar por uma flexibilização da infraestrutura, é uma boa notícia de qualquer maneira para as commodities que serão expostas às propostas de ambos os candidatos”, disse Layton, do Citi.

Ele sugeriu que os compromissos anteriores de Trump com projetos de infraestrutura da “velha escola”, como estradas e pontes, provavelmente seriam “intensivos em aço”.

O compromisso de Biden em desenvolver tecnologias solares e eólicas provavelmente beneficiaria o cobre e, em menor grau, a prata, acrescentou.

Leia também: Latam e Delta têm aprovação do Cade para joint venture