Proposta do governo para unir impostos causa reação no setor de serviços

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

A provável criação de um imposto único para PIS/Cofins, proposta pelo governo de Jair Bolsonaro, causou uma forte reação no setor de serviços.

De acordo com Vanessa Canado, assessora especial do ministro da Economia, Paulo Guedes, foi feito um levantamento técnico justamente para evitar que a proposta seja barrada.

Em entrevista ao Uol, no entanto, João Diniz, presidente da Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Serviços), criticou os pontos fundamentais das PEC 45, que tramita na Câmara, e PEC 110, de conteúdo semelhante, que está no Senado.

“Não estou pedindo privilégio. Simplesmente vai ter aumento de preço. Em alguns casos chega a 200%, como no caso de educação privada. O setor de mão de obra intensiva, que eu represento, vai ter aumento médio de 50% a 60% nos preços”, projetou.

O aumento, de acordo com Diniz, virá pela falta de equalização nos serviços, que privilegiará o setor industrial com a aprovação das PECs.

“Ela [Vanessa Canado] sim, como representante dos dez maiores conglomerados de indústria que está praticando lobby. O Ccif representa Coca-Cola rasil, Ambev, Votorantin, Itausu, Souza Cruz, dentre outros. Nada contra a indústria. Agora, a pessoa que defende esses interesses está lá no governo, falar que o setor de serviços, que vai ser tremendamente prejudicado, é um lobby? Eu acho que é um verdadeiro absurdo e distorção da realidade das coisas”.

O grupo Brasil 200, formado por megaempresários do País, também reagiu de forma contrária à aprovação das PECs e à criação do imposto único.

Gabriel Kanner, presidente da instituição, é sobrinho de Flávio Rocha, dono da rede de varejo Riachuelo. Foi ele quem assumiu o papel de porta-voz da insatisfação com o que está a caminho.

“É um absurdo dizer que o setor de serviços tem que ser combatido. E de fato, a proposta na PEC 45 será um desastre para o setor de serviços. O conceito do IVA [Imposto sobre Valor Agregado] é que você vai passando o imposto para frente ao longo da cadeia produtiva e pagar uma vez o imposto no final. Agora, um prestador de serviço não tem insumo que eles colocam. Então tem um aumento enorme de carga tributária”.

Além da Riachuelo, estão presentes no grupo Brasil 200 representantes de empresas como Centauro, Coco Bambu e Havan.


Aproveite as oportunidades e aumente a rentabilidade dos seus investimentos.

Preencha seus dados abaixo e conte com especialistas para ajudar.

Se preferir, ligue direto para 4007-2374