Proposta de leilão 5G preocupa Sinsdisat

Angélica Weise
Jornalista formada pela UNISC e com Mestrado pela UFSM. Escreve sobre tecnologia, política, criptomoedas e atualidades.

Crédito: Pixabay

Uma nota divulgada na terça-feira, 11, pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telecomunicações por Satélite (SINDISAT) manifesta preocupação sobre a proposta leilão 5G. A reportagem é do Portal TeleSíntese.

A entidade ressalta que os satélites terão papel vital nas futuras redes 5G como consta na nota:

 “As redes 5G só serão plenas se os satélites complementarem e funcionarem de maneira integrada às redes terrestres”.

E ainda esclarece sobre possíveis interferências da rede móvel sobre os serviços satélites em banda:

“Tais estudos deverão considerar todos os aspectos envolvidos nessa realocação, sejam técnicos, operacionais, comerciais, financeiros, regulatórios e legais, de modo a assegurar a proteção dos usuários dos serviços já existentes na faixa e permitir o seu contínuo desenvolvimento”.

E crítica:

“O modelo de realocação de frequências apresentado não levou em conta o ecossistema de redes das operadoras de satélite que tem sido planejado e implementado nos últimos anos. É fundamental que se garanta a segurança jurídica dos serviços já operando nestas faixas e a compensação pelos vultosos investimentos já realizados pelo setor de satélites, face à vigência das atuais outorgas conferidas pela Anatel e às legítimas expectativas de renovação decorrentes, evitando prejuízos tanto às operadoras quanto aos usuários dos seus serviços”.

Lembrando que no dia 5 de fevereiro a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou a proposta de edital para o leilão da quinta geração de telefonia móvel, o 5G.