Projeto de reforma tributária responsabiliza comércio eletrônico por recolhimento de impostos; veja mais destaques

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.

Crédito: Wikipédia

A matéria de capa deste domingo (2) do jornal Folha de São Paulo dá destaque ao projeto de reforma tributária que pretende responsabilizar o comércio eletrônico pelo recolhimento do novo imposto.

Dúvidas sobre como investir? Consulte nosso Simulador de Investimentos

De acordo com a reportagem, a proposta de criação da CBS (Contribuição sobre bens e serviços), em substituição ao PIS/Confins, deixa a cargo inclusive de aplicativos e marketplaces, o recolhimento dos tributos de terceiros.

Confira principais Ações para investir em Outubro

A ideia, elaborada pela equipe de Paulo Guedes, vem causando polêmicas. Para advogados da área, a medida fere o Código Tributário Nacional e deve ser revista pelo Congresso ou até mesmo questionada no Judiciário.

Já para a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, os microempreendedores serão os maiores prejudicados, pois os custos serão repassados.

Bolsonaro busca apoio e amplia pressão por gastos

O jornal O Globo deste domingo, traz que. mirando as eleições de 2020, os ministros Rogério Marinho e Tarcísio Freitas vêm pressionando a equipe econômica do governo a liberar mais recursos.

Segundo a reportagem Paulo Guedes é contra.

Empresas apostam em energia renovável

A edição de domingo do Estadão traz que grandes consumidores de energia estão investindo em complexos eólico e solar a fim de suprirem suas próprias demandas. No entanto, o apelo sustentável por fontes de energia também vem ganhando cada dia mais espaço.

Desse modo, corporações como Anglo American, Vale, Tivit, Vulcabrás e Honda, vêm investindo pesado na auto suficiência de fonte de energia.

“Há uma tendência crescente pela energia eólica tanto pelo viés econômico como pela agenda verde”, diz Lucas Araripe, diretor de Novos Negócios da Casa dos Ventos.

A montadora Honda, por exemplo, construiu um parque eólico no Rio Grande do Sul para atender a uma determinação do presidente mundial da empresa.

O objetivo é reduzir, inicialmente, 30% das emissões da empresa de CO2 até 2030.

Petrobrás tem ‘depósito’ irregular no mar

O Estadão traz ainda que, sem licenciamento ambiental, a Petrobrás ergueu um “almoxarifado submarino” no litoral brasileiro.

“As áreas denominadas como ‘almoxarifados submarinos’ vêm sendo utilizadas pela Petrobrás para o armazenamento de equipamentos (ex.: linhas flexíveis, umbilicais, sistemas de ancoragem) sem o devido licenciamento ambiental”, declarou o Ibama.

Segundo a reportagem, são mais de 1,4 mil quilômetros de tubos de PVC flexíveis, usados na extração de petróleo, lançados no fundo do mar. Somadas, essas regiões chegam a 460 quilômetros quadrados.

Por falta de licenciamento, o Ibama chegou a multar a Petrobrás em R$ 2,5 milhões. Além de impor uma indenização de R$ 25 milhões pelo impacto ambiental causado.

O processo para a retirada desses objetos deverá custar pelo menos R$ 1,5 bilhão e pode demorar mais de cinco anos até ficar completamente limpo, informou a reportagem.

Os benefícios de se ter um assessor de investimentos

Coronavírus: Brasil se aproxima dos 100 mil mortos

Nas últimas 24 horas, o Brasil ficou mais perto de atingir o número de 100 mil mortos pela Covid-19.

Foram 1.088 óbitos causados pelo coronavírus nas últimas 24 horas, que elevaram o total de vítimas a 93.563.

Segundo as informações mais recentes, o Brasil já tem 2.707.877 casos confirmados, sendo que 45.392 aconteceram nas últimas 24 horas.

Planilha de Ações: baixe e faça sua análise para investir