Profarma (PFRM3) anuncia oferta de controlada; Enauta (ENAT3) terá crédito tributário

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.

A Profarma aprovou a realização da oferta pública de ações de sua controlada d1000 Varejo farma Participações S.A. (“d1000”), holding que reúne as sociedades varejistas farmacêuticas do Grupo Profarma.

A oferta será de, inicialmente, 23.536.205 novas ações, com valor a ser definido pelo conselho de administração. A Profarma diz que manterá o controle da empresa, com 50% das ações.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

De acordo com informações preliminares, a d1000 registrou dívida liquida de R$ 203 milhões em 30 de junho e receita bruta de R$ 229,9 milhões no período de abril a junho.

Enauta (ENAT3) tem decisão favorável para crédito tributário

A Enauta informou que obteve decisão favorável da Justiça sobre a inclusão do ICMS na base de cálculo das contribuições para o PIS e para a COFINS e irá requerer a restituição dos valores recolhidos a partir de 2011.

De acordo com a companhia, permanece pendente, no entanto, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) acerca da modulação temporal. Desta forma, não é possível precisar ao certo o crédito, que pode variar R$ 62 milhões a R$ 90 milhões, sem considerar os efeitos tributários. Os valores serão contabilizados nos resultados do segundo trimestre de 2020.