Produção industrial sobe 9,1% na zona do euro, abaixo da projeção

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

A produção industrial cresceu 9,1% na zona do euro em junho. Apesar do avanço, ele ficou abaixo da expectativa de 10% do mercado. A leitura do mês anterior havia sido 12,3%.

Na União Europeia, o crescimento foi igual: 9,1%. Em maio, foi de 11,6%.

Na comparação anual, houve redução de 12,3% no crescimento na zona do euro. E queda de 11,6% na União Europeia.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Segundo o relatório, junho foi um mês marcado pelo relaxamento nas medidas de isolamento social, o que impactou o consumo e, consequentemente, a produção.

A produção de bens de consumo duráveis ​​cresceu 20,2%. Os bens de capital, 14,2%. Bens intermediários 6,7%. Bens de consumo não duráveis, ​​4,8%. E energia, 2,6%.

Já na União Europeia, a produção de bens de consumo duráveis ​​cresceu 20,2%. Os bens de capital, 14,2%. Os bens intermediários, 6,5%. Os bens de consumo não duráveis, ​​5,6%. E energia, 1,7%.

Reprodução/Eurostat

Produção industrial: crescimento por países

Os maiores acréscimos na produção industrial foram registados na Eslováquia (+ 21,7%), Hungria (+ 17,1%) e Romênia (+ 16,3%).

Diminuições foram observadas na produção industrial da Bélgica (-1,4%) e da Finlândia (-0,8%).

As maiores quedas na comparação anual foram registadas em Portugal (-14,8%), Alemanha e Espanha (ambas -14,1%) e Itália

(-13,7%). Houve aumento na Irlanda (+ 4,5%).

Reprodução/Eurostat