EUA: produção industrial recua, em linha com a projeção do mercado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A produção industrial dos Estados Unidos cresceu 0,4% em agosto ante julho, em linha com a expectativa do mercado. A alta foi de 5,95% na comparação anual.

O resultado, divulgado nesta quarta-feira (15) pelo Federal Reserve, aponta uma desaceleração da atividade, já que em julho a leitura foi de 0,8% (revisado de 0,9% divulgado anteriormente).

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

A taxa de utilização da capacidade instalada avançou para 76,4% em agosto. A de julho foi revisada para cima, de 76,1% para 76,2.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

produção industrial

Reprodução/Fed

Outro dado relevante do dia nos EUA foi o Índice de Atividade Industrial Empire State, específico da cidade de Nova York, que subiu 34,3 pontos em setembro, bem acima da previsão de 17,5 pontos.

Produção industrial na China e na zona do euro

Também hoje repercutem a produção industrial da China e da zona do euro.

A produção industrial na zona do euro subiu forte, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Eurostat, escritório oficial de estatísticas da região.

O indicador teve alta de 1,5% em julho ante junho, acima da projeção de 0,6%. Na comparação anual, a alta é de 7,7%, ante previsão de 6%.

Na China, a produção teve alta de 5,3%, ante previsão de 5,8%, segundo dados oficiais divulgados nesta terça-feira (15). Os resultados aumentam as preocupações com o ritmo do crescimento global daqui em diante.

As vendas no varejo chinesas subiram 2,5% em agosto na base anual, bem abaixo da previsão de 7%.