Produção de petróleo no Golfo do México tem queda de 13% após tempestade Cristobal

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Reprodução / Chris Cassidy / Twitter

A tempestade tropical Cristobal atingiu os Estados Unidos e o Golfo do México no último domingo, levando chuvas intensas e enchentes, além de deslizamentos de terra em países da América Central e no México. Um dos efeitos, além dos mais severos, como mortes, desabrigados e doenças, foi a queda de 13% na produção de petróleo na região, conhecida por ter muitas plataformas avançadas.

Como informa o Bureau of Safety and Environmental Enforcement (BSEE), “a equipe de resposta ao furacão continua a monitorar os operadores offshore de petróleo e gás no Golfo enquanto retomam as operações normais após a tempestade tropical Cristobal. A equipe continuará trabalhando com os offshore e outras agências estaduais e federais até que as atividades de petróleo e gás do Golfo do México retornem ao normal”.

Os trabalhadores de 20 plataformas de produção, 3,11% das 643 plataformas tripuladas no Golfo do México, foram evacuados.

A partir dos relatórios das operadoras, o BSEE estima que aproximadamente 13,12% da atual produção de petróleo no Golfo do México permaneça fechada. Além disso, aproximadamente 8,89% da produção de gás natural no Golfo do México está parada.

O Cristobal

Meteorologistas norte-americanos vinham reparando que o Cristobal ganhava força na sua passagem pelo Golfo do México, mas não evoluiria para um furacão.

A temporada de furacões no Atlântico se iniciou em 1º de junho e a previsão é que se estenda até 30 de novembro.

Enquanto na Flórida, a tempestade virou um tornado nos arredores de Orlando, causando apenas danos leves, na Louisiana, o governo estadual teve que declarar estado de emergência, pedir ajuda à Casa Branca e interromper cerca de 30% das atividades das plataformas de petróleo que operam em sua costa.

O astronauta norte-americano Chris Cassidy, a bordo atualmente da Estação Espacial Internacional, fotografou lá de cima o Cristobal.

Produção retorna no pós-alerta

Depois que a tempestade passar, as instalações serão inspecionadas. Com todas as verificações padrão concluídas, a produção de instalações não danificadas será novamente colocada em operação online imediatamente. As instalações que sofrem danos podem levar mais tempo para voltar a ficar operacionais.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Reservas norte-americanas

As reservas de petróleo dos Estados Unidos subiram 5,7 milhões de barris (mb) e atingiram o nível recorde de 538,1 mb no último dia 5 de junho.

Segundo a EIA (Agência de Informação sobre Energia dos Estados Unidos), o último recorde das reservas americanas de petróleo era de 535,5 mb, alcançado em março de 2017.

Os resultados superaram as expectativas dos especialistas, que estavam prevendo uma queda de 1,85 milhões de barris para o período.