Problemas no site emperram pedidos de restituição do DPVAT

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Site Seguradora Líder

O excesso de tráfego ao site oficial criado para cadastrar os contribuintes que pagaram valores a mais no DPVAT de 2020 emperrou os pedidos de restituição.

Ao acessar o endereço oficial criado pela Seguradora Líder para a realização do processo (https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br/), o internauta encontra lentidão e, muitas vezes, acaba tendo o processo interrompido no meio, por problemas técnicos.

Segundo informações da Seguradora, até as 10 horas da manhã desta quarta-feira (15), 15 mil contribuintes já haviam acessado o sistema para solicitar a restituição.

A reportagem do Eu Quero Investir também tentou acesso ao sistema no meio da tarde e, aparentemente, o processo parece correr de maneira correta nesse momento.

A confusão do DPVAT

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou atrás em sua própria decisão e, na quinta-feira (9), restabeleceu a resolução do Conselho Nacional de Seguros Privados sobre a redução do valor do DPVAT.

O seguro, destinado à cobertura com acidentes provocados por veículos terrestres, havia sido reduzido por determinação do órgão após o presidente Jair Bolsonaro ter sugerido a extinção da cobrança do imposto.

A redução do valor cobrado pelo DPVAT foi aprovada pelo Conselho Nacional de Seguros no dia 27 de dezembro.

Pela nova determinação, a taxa em vigor para os próximos anos, a partir de 2020, seria de seria de de R$ 5,23 para carros, R$ 10,57 para ônibus e micro ônibus com frete, R$ 5,78 para caminhões e R$ 12,30 para motocicletas.