Privatização da Cedae: Concessões podem ocorrer já no próximo ano

Juliana Gusmão
null

Crédito: Divulgação / O Globo

O modelo de concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) ao setor privado será dividido em quatro áreas ou blocos de municípios. Contudo, cada bloco poderá ter um concessionário privado diferente e terá uma parte da cidade do Rio de Janeiro, além de outros municípios do Estado.

Com isso, a modelagem de venda será apresentada ao governo fluminense na próxima semana pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A concessão da Cedae foi uma das condições estabelecidas para que o governo do Rio de Janeiro ingressasse no Regime de Recuperação Fiscal proposto em 2017 pela União. Segundo o informe feito pelo diretor de Infraestrutura do BNDES, Fabio Abrahão, na última sexta-feira (6), é possível que as concessões ocorram no próximo ano.

Segundo Abrahão, o banco apresentará algumas soluções ao governo do estado para que este possa escolher as melhores.

Projeto de privatização do saneamento do Estado do Rio prevê investimentos de R$ 32,5 bi em 35 anos

O projeto de desestatização do saneamento básico do Estado do Rio, capitaneado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), prevê investimentos de R$ 32,5 bilhões em 35 anos de concessões.

Contudo, estão adiantados, à frente do Rio, os projetos de desestatização em saneamento de Alagoas, do Acre e do Amapá. De uma carteira de 60 projetos de concessão estruturados pelo banco, com investimento estimado em R$ 191 bilhões, em torno de R$ 20 bilhões são destinados ao saneamento (sem contar o Estado do Rio). Foi o que disse o diretor de Infraestrutura, Concessões e PPPs do BNDES, Fabio Abrahão.

Sua carteira de investimentos está preparada para aproveitar a retomada de crescimento do Brasil? Essa pode ser a oportunidade da sua vida!

Deixe seus dados abaixo e nossa equipe entrará em contato para lhe ajudar.

Ou se preferir, ligue direto para 4007-2374.