Priner (PRNR3): prejuízo cresce 8,1 vezes no 2TRI20

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Priner

A Priner (PRNR3) registrou um prejuízo de R$ 18,1 milhões no segundo trimestre de 2020, um piora de 814% na comparação com igual período do ano passado.

De acordo com a empresa, o resultado foi impactado fortemente pela pandemia do coronavírus, que desacelerou o ritmo de execução de contratos e aumento das despesas com demissões.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 900 mil, uma redução de 77,7% na comparação anual.

O que você verá neste artigo:

Ebitda

O lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) foi negativo em R$ 9,7 milhões, ante um Ebtida positivo de R$ 7 milhões.

A margem Ebtida da Priner ficou negativa em 20,3 %, contra margem positiva de 7,6%.

Receita

A receita líquida atingiu R$ 48,1 milhões no período, uma queda de 47,9%.

De acordo com a Priner, o desempenho foi impactado pela pandemia do coronavírus. Houve significativa redução no ritmo de execução de diversos contratos.

O resultado bruto foi negativo em R$ 4,2 milhões, revertendo o lucro bruto de 12,6 milhões no mesmo período do ano anterior.

Conforme a Priner, o resultado foi consequência da combinação entre queda das receitas e gastos extraordinários com demissões.

Investimentos da Priner

A empresa investiu R$ 1,1 milhões no segundo trimestre de 2020, baixa de 78,6%.

Os aportes foram destinados principalmente para equipamentos produtivos e a novas instalações da controlada R&R, que mudou de endereço para área mais ampla.

Dívida

O caixa líquido da Prinner encerrou o segundo trimestre em R$ 76 milhões

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida / Ebtida ajustado, ficou negativa em 3,6 vezes no final do trimestre.

Um ano antes a alavancagem financeira era de 2,6 vezes.