Fundos de InvestimentosFundos de Previdência

Previdência Privada: Quando, Como e em Qual Investir?

Devo investir em Previdência Privada?

Previdência Privada: Quando, Como e em Qual Investir?
4.4 de 22 voto[s]

Veja quais os benefícios.

Criamos este manual no intuito de abordarmos todos os temas possíveis a respeito de Previdência Privada.

Este artigo estará sempre aberto a questionamentos por parte dos leitores.

Afinal, Previdência Privada é um dos assuntos mais pesquisados e é de interesse da maior parte dos Brasileiros.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Neste artigo abordaremos:

  • O que é e como funciona a previdência privada.
  • Quando você deve investir em previdência privada?
  • Planejamento Sucessório e Previdência
  • Vantagens e Desvantagens
  • Previdência privada a Fundo
  • PGBL x VGBL
  • Imposto de Renda: Tabela Regressiva e Progressiva
  • Outras taxas: Administração, Carregamento, etc
  • Fase de Benefício: Recebimento Integral ou Renda Mensal

Você já parou pra pensar em sua aposentadoria?

Depois de anos e mais anos de trabalho duro, você chega ao seu mais que merecido tempo de descanso.

Aposentadoria Feliz

Chegando lá, se depara com a seguinte situação:

Você não tem mais renda e a aposentadoria paga pelo INSS não é capaz de suprir as suas necessidades. É ai justamente quando você pensava que não teria mais dificuldades, que novos problemas vão surgir.

Para evitar este cenário, você deverá agir proativamente e ser previdente.

E este é o grande problema para muitos: Abrir mão de um pedacinho do seu consumo no presente, para garantir uma renda que complemente sua Previdência Social (INSS) no futuro.

Uma das maneiras de fazer isso é através da previdência privada, também chamada por este motivo de Previdência Complementar.

Antes de continuar, uma pequena Reflexão: Você conhece o seu Perfil de Investidor?

Faça o teste agora mesmo:
Teste de Perfil

Através dele, podemos te ajudar a entender melhor, qual o investimento mais apropriado para você!

Abdique de um pouco de consumo no presente, em troca de estabilidade e segurança no futuro!

Tempo planejado

A previdência privada nada mais é, do que uma reserva que você faz durante a sua vida, a fim de poder receber os juros deste investimento na fase de sua aposentadoria, garantindo assim um futuro seguro e confortável para você e sua família.

Na realidade, quando chegar a sua aposentadoria você vai poder escolher entre retirar todo o valor, ou Viver dos Juros deste investimento.

Quando começar a sua previdência privada?

Em outros artigos eu já expliquei este conceito, mas não custa reforçar:
Você deve começar o quanto antes os seus investimentos a fim de poder explorar o poder dos juros compostos.

Existe uma frase atribuída a Albert Einstein, quando perguntado sobre qual era a força mais poderosa do Universo ele respondeu:

Albert Einstein

“A força mais Poderosa do Universo são os Juros Compostos”

Tendo sido dita por Einstein ou não, ela nos faz pensar!

Para ajudar a testificar o que está escrito na frase, montei uma pequena calculadora para você verificar e testar esta máxima.

Muitos me dizem: – Não posso investir agora, mas daqui a 10 anos quando eu começar a ganhar melhor eu vou guardar o dobro, para compensar.

Grande engano! Veja que no comparativo abaixo:

O investidor 1 começa com R$ 1.000,00, poupa por 30 anos um valor mensal de R$ 200,00.

Já o investidor 2, começa com R$ 20.000,00 e poupando R$ 500,00 por mês, porém só 10 anos depois totalizando 20 anos de poupança.

Note que o investidor 1 vai terminar a sua vida com um capital muito maior do que o investidor 2, mesmo investindo um valor menor por mês, ou seja, devido ao poder dos juros compostos, vale muito mais a pena começar antes, mesmo que com pouco!


Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil


Calculadora de Projeção de Investimento

Dados Iniciais
Investidor 1
Investidor 2
Qual a rentabilidade?
% do CDI
% do CDI
Investimento Inicial?
R$
R$
Você fará aportes mensais?
R$
R$
Qual o prazo do investimento?
anos
anos


Resultado Final:

R$
R$

Benefício Estimado:

Entre R$ e
R$ por mês

Estes valores dependem da taxa de juros futura e a diferença entre benefício máximo e mínimo.
Depende ainda se o investidor quer ou não compensar a inflação no período de benefício.

Para compensar, o investidor deve sacar somente o mínimo.
Aprenderemos mais sobre isso mais adiante no post.

Previdência Privada e Sucessão Familiar!

Sucessão Familiar

Um dos aspectos mais importantes do previdência privada, está no fato de que a mesma não está sujeita a inventário, já que é tratada como um seguro.

Falaremos sobre estes aspectos legais mais tarde, o que importa é que isso torna a previdência privada muito importante na hora de transmitir seus bens para sua família.

Sobre todo patrimônio que acumulamos em vida, no momento da sucessão são cobrados impostos para a transmissão dos bens, além dos custos do processo de inventário, honorários advocatícios, escrituras (no caso de imóveis), etc.

Então, caso morra amanhã, por exemplo, para que minha família tenha acesso ao meu patrimônio, ela terá que ter recursos líquidos em torno de 12% do valor do meu patrimônio atual.

Como minimizar estas despesas?

Como minimizar as despesas

Como os Seguros de Vida e a Previdência Privada são ativos líquidos de inventário, passam a ser uma bela forma de planejar a transmissão dos bens para a minha família.

Para tanto, basta alocar valor suficiente em um fundo de previdência privada, indicando seus herdeiros como beneficiários, que os mesmos receberão este valor livre de inventário e assim ter recursos para liberar o mesmo.

EXEMPLO:

Cliente: João da Silva, casado, 40 anos
Residência: SP (ITCMD – 4%, Honorários Advocatícios – 6%)
Patrimônio Imobilizado: R$ 8 Mi
Patrimônio Líquido: R$ 2 Mi
Impostos com Sucessão: aproximadamente R$ 1 Milhão.

SOLUÇÃO: Alocar R$ 1 Milhão em Fundos de Previdência Privada

Neste exemplo real de um de nossos clientes, os valores são bastante altos mas a ideia é mostrar que muitas vezes a família não dispõe de recursos (líquidos) necessários para cobrir os custos e é ai que começam os problemas.

A mesma solução vale para quem pretende transmitir quaisquer bens, seja no valor de R$ 500.000,00 ou R$ 10.000.000,00.

O que é um Plano previdência privada?

Plano de Previdência Privada

Formulário de Contato

Durante o artigo, você também pode me enviar perguntas, através de um formulário como este:

Entenda os detalhes dos Planos de Previdência Privada.

Os Planos de previdência privada são uma forma específica de investimentos voltados para acumulação de recursos a longo prazo e são contratados junto a Seguradoras (ligadas ou não a bancos) e por isso tem toda uma legislação especial como explicado no assunto anterior.

Os fundos e planos de previdência privada, são auditados e regulamentados pela SUSEP, o que se traduz em uma segurança extra em relação os fundos de investimentos: SUSEP

Os Planos de previdência privada normalmente tem duas Fases:

Fase de Acumulação:
Quando você faz depósitos periódicos por um longo prazo, normalmente de 10, 20 ou 30 anos.

Fase de Renda ou Benefício:
Quando você pode escolher entre dispor de um “salário” mensal ou recebimento do valor integral.

Cada plano de Previdência tem suas particularidades e opções normalmente escolhidas na hora da contratação, vejamos algumas delas:

Qual será o valor do depósito mensal?

depósito mensal

O depósito mensal pode ser do tamanho que você quiser, mas normalmente os bancos colocam um mínimo de R$ 30,00 a R$ 50,00. Alguns planos inclusive oferecem a possibilidade de o investidor depositar em meses alternados.

É possível também parar de pagar seu plano por um tempo em caso de necessidade, e retomar o pagamento, obviamente isso vai impactar no seu resultado futuro e a ideia é não parar de pagar até o inicio de sua fase de benefício.

Em qual Fundo de Investimentos o dinheiro será investido?

Essa é uma escolha importante quando começamos uma previdência.
Você pode escolher o quanto de seu investimento vai ser destinado a Fundos de Renda Variável (Ações, Moedas, etc).
Este percentual vai de 0% (nada em ações por ex.) até 50%.

Já vi muitos investidores serem seduzidos por rentabilidades elevadas em períodos onde as Bolsas estão em alta e escolher por Planos com 50% em Renda Variável, e logo em seguida se desesperarem nos tempos de queda das ações.

previdência privada : Renda Fixa e Renda Variavel

A teoria de investimentos diz que investimentos em ações normalmente são mais rentáveis a longo prazo, obviamente dependendo de uma série de fatores e por isso não há uma medida correta, o que há é a medida correta para você, que depende de sua aceitação a risco e horizonte de investimentos.

Se ainda assim você ficar com dúvidas, comece por investimentos com 100% em Renda Fixa e com alguma exposição a Fundos de Inflação, ou a Títulos do Tesouro do tipo NTN-B Principal.

Qual será o prazo previsto para o resgate?

Prazo para resgate

A escolha do prazo é muito simples e normalmente é escolhida para casar com a Previdência Pública, que na atual legislação é de 65 anos para homens e de 60 anos para mulheres.

Mesmo que você resolva mudar durante o caminho, ou se a lei lhe beneficiar de alguma maneira, não se preocupe pois estes prazos são flexíveis e podem ser alterados a qualquer hora, obviamente vão alterar a sua expectativa de resgate ou salário ao final.

Quais serão as taxas cobradas em minha previdência privada?

Os Planos de Previdência são todos muito parecidos, e a diferença nas rentabilidades normalmente está associada as taxas cobradas.

Por isso este é um dos fatores que você mais deve prestar a atenção na hora de escolher um Plano ou Fundo de previdência privada.
Vamos às taxas:

quais as taxas?

-Taxa de Administração:

A taxa de administração é a remuneração pelo trabalho do Gestor dos investimentos.

Ela varia entre 0,7% a 4% ao ano, ou seja, uma grande diferença.
Esta taxa é expressa ao ano, mas é dividida e cobrada diariamente.

Você vai notar claramente que os Fundos de previdência privada que cobram as menores taxas de administração tem um resultado muito superior aos que cobram as maiores taxas.

Portanto, procure sempre por fundos que cobram as menores taxas, isso vai fazer uma enorme diferença no futuro.

Veja na simulação abaixo, onde projetamos dois planos de previdência, com rentabilidades de 14% ao ano e aportes de R$ 200,00 por mês durante 30 anos, porém um com taxa de administração de 1% e outro com taxa de 3%.

Veja a diferença no valor final dos recursos!

Impacto das taxas previdência privada

– Seu Fundo Cobra altas taxas? Você pode fazer Portabilidade: 
É isso mesmo, você não precisa ficar preso ao fundo que você está investindo agora.

Assim como em uma linha telefônica (você pode trocar de operadora sem trocar de número), o governo criou uma lei que obriga os Fundos de Previdência a permitir a portabilidade entre fundos de forma que você não perca os benefícios e possa trocar por outros mais rentáveis e/ou com menores taxas de administração.

-Taxa de Carregamento:

Esta taxa é cobrada com o objetivo de manter o investidor com o dinheiro dentro do fundo, desestimulando a migração para outros fundos.
Ela varia entre 0% e 10% e atua sobre o aporte mensal feito pelo investidor.

Imagine que a taxa de carregamento é de 10%, e você faça aportes mensais de R$ 500,00.
Sua taxa de carregamento será de 10% de R$ 500,00 = R$ 50,00 de forma que só serão depositados R$ 450,00.

Dessa forma, o primeiro ano de rentabilidade vai servir somente para pagar esta taxa!

Muitos fundos de previdência privada fazem um escalonamento de forma que o cliente que se mantém por alguns anos no fundo recebe de volta o dinheiro pago como taxa de carregamento.

Um bom exemplo é este Fundo de Previdência da Mapfre (um dos meus preferidos).

Taxa Carregamento previdência privada

Quem são os Beneficiários?

Na contratação de um Plano ou Fundo de Previdência, você poderá escolher os beneficiários do capital do fundo em caso de sua “falta”.

Esta é uma característica muito interessante dos Fundos de Previdência, pois este capital é totalmente separado de sua herança e não necessariamente precisa ficar para seus herdeiros diretos.

Além disso o capital investido em Previdência é tratado como seguro, de forma que não entra em inventário e normalmente pode ser sacado em 48 horas após o falecimento do segurado.

Trataremos mais sobre isso quando falarmos de Previdência e Sucessão Familiar.

No seguro de vida ou de acidentes pessoais para o caso de morte, o capital estipulado não está sujeito às dívidas do segurado, nem se considera herança para todos os efeitos de direito – Lei 10.406/2002 Artigo 794

Qual será o Tipo do Plano de Previdência vou escolher: PGBL ou VGBL?

Como dito acima, existem dois tipos de Planos de Previdência, o PGBL e o VGBL.

Cada um atende a um grupo específico de pessoas quando se trata da maneira como recolhe seu Imposto de Renda. Vamos a eles.

PGBLVGBL
Ideal paraIdeal para quem declara o IR pelo modelo completo, e contribui para o INSS. Permite o benefício fiscal na Declaração de Imposto de Renda, durante o período de acumulação.Ideal para quem é isento ou declara o IR pelo modelo simplificado. Também é indicado para quem deseja aplicar mais de 12% da sua Renda Bruta em previdência privada, ou apenas diversificar investimentos.
Na declaração do Imposto de RendaOs valores investidos no plano podem abater até o limite de 12% da base de cálculo, na Declaração Anual de IR.Os valores investidos no plano não são dedutíveis do Imposto de Renda.
No momento do resgate ou pagamento do benefícioO Imposto de Renda incide sobre o valor total resgatado.O Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos. As contribuições realizadas não são tributadas.

Resumindo a tabela acima, o PGBL só vale a pena para quem paga Imposto de Renda pelo modelo completo (Normalmente quem tem renda proveniente de salário) e mesmo assim de forma que o somatório das contribuições não ultrapasse o limite de 12% de sua Renda Bruta anual.

Ou seja, se a soma de seu salário Bruto Anual é de R$ 50.000,00 então só vale a pena depositar em um PGBL até R$ 6.000,00 por ano.
Justamente o máximo que é possível deduzir na sua declaração de Imposto de Renda.

-PGBL só é indicado para quem declara IR pelo Modelo Completo e mesmo assim somente até 12% da Renda

Se você vai depositar mais que os 12% do seu salário, vale a pena você ter além do PGBL também um VGBL para depositar este extra.

No caso de quem é Isento ou faz declaração simplificada, o ideal é fazer um VGBL pois a tributação é somente sobre o lucro e não sobre o principal, na retirada do benefício.

Na tabela abaixo você poderá entender melhor como funciona esta dedução e porque é vantajoso investir em PGBL nos casos listados acima.

Sem PGBLCom PGBL
Renda Bruta AnualR$ 100.000,00R$ 100.000,00
Contribuições do Plano de Previdência Privada (12% da renda bruta tributável)R$ 12.000,00
Base de CálculoR$ 100.000,00R$ 88.000,00
Alíquota *27,5%27,5%
Imposto de Renda à PagarR$ 27.500,00R$ 24.200,00
Economia de IR (diferença entre ter ou não o PGBL)R$ 3.300,00

Note que o simples fato de você fazer um PGBL vai garantir que você tenha um restituição de R$ 3.300,00 na declaração do IR.
Obvio que isso funciona para quem recebe R$ 100.000,00. Se você recebe menos pode fazer as contas proporcionalmente.

Este dinheiro, será cobrado pelo governo no final como imposto, porém passaremos muitos anos trabalhando com este dinheiro e ganhando juros sobre ele.

É por isso que é o PGBL é indicado mesmo tendo uma tributação maior quando do recebimento do benefício.

Qual será o Regime de Tributação: Regressivo ou Progressivo?

No momento da contratação você poderá escolher entre dois tipos de tributação, a escolha vai depender: do prazo de acumulação, volume de seus investimentos e do valor do saque mensal.

Tabela ProgressivaTabela Regressiva
Tributação de Imposto de Renda em caso de ResgateFunciona conforme a tabela vigente de Imposto de Renda das declarações
Na declaração de Imposto de RendaOs valores investidos no plano podem abater até o limite de 12% da base de cálculo, na Declaração Anual de IR.Ideal para quem é isento ou declara o IR pelo modelo simplificado. Também é indicado para quem deseja aplicar mais de 12% da sua Renda Bruta em previdência privada, ou apenas diversificar investimentos.
No momento do resgate ou pagamento do benefícioO Imposto de Renda incide sobre o valor total resgatado.Os valores investidos no plano não são dedutíveis do Imposto de Renda.

O Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos. As contribuições realizadas não são tributadas.

TABELA PROGRESSIVA

A tabela progressiva é variável conforme o tamanho do saque, assim quanto menor o saque menor o imposto.

Os primeiros 15% são retirados na fonte e o restante deve ser pago no final do ano para fins de ajuste.

Base de CálculoAlíquotaDedução
Até R$ 20.529,36
De R$ 20.529,37 até R$ 30.766,927,5%R$ 1.539,70
De R$ 30.766,92 até R$ 41.023,0815%R$ 3.847,22
De R$ 41.023,08 até R$ 51.259,0822,5%R$ 6.923,95
Acima R$ 51.259,0827,5%R$ 9.486,91

Assim imaginando que você fez um PGBL e que em sua aposentadoria saque R$ 4.000,00 por mês.

Já será descontado no momento do saque 15% para fins de imposto, ou seja, R$ 600,00 (no PGBL o imposto é sobre o todo, não sobre o lucro como no VGBL).

Ao final do ano, caso você confirme o saque mensal de R$ 4.000,00 teremos um saque total de R$ 48.000,00.

Dessa forma ficaremos na alíquota de 22,5%.
Onde você vai deduzir os R$ 6.923,95 de sua renda final e o imposto vai atuar sobre R$ 48.000,00 – R$ 6.923,95 = R$ 41.076,05.

O Imposto final vai ser de 22,5% de R$ 41.076,05 = R$ 9.242,11.
Sendo que você já pagou 12 x R$ 600,00 nos saques, faltando assim R$ 2.042,11 para serem pagos na sua declaração.

TABELA REGRESSIVA

A tabela regressiva é variável conforme o prazo do investimento, assim quanto maior o prazo do investimentos menor é o imposto cobrado.

Os valores já são integralmente descontados na fonte no momento do saque.

Prazo Investimento/AcumulaçãoAlíquota sobre o Valor de Resgate
Até 2 anos35%
De 2 a 4 anos30%
De 4 a 6 anos25%
De 6 a 8 anos20%
De 8 a 10 anos15%
Acima de 10 anos10%

Imaginando que o seu plano é um VGBL (tributação sobre o lucro) e que seus depósitos totais sejam de R$ 100.000,00 durante 15 anos.

Sendo que no momento do início do período de benefício seu patrimônio total terminou em R$ 600.000,00. Ou seja, um lucro de R$ 500.000,00.

Sabendo que para 15 anos a tabela do IR é de 10%, teremos a pagar no momento do saque um imposto de R$ 50.000,00 (10% de R$ 500.000,00).

DEVO ESCOLHER TRIBUTAÇÃO PROGRESSIVA OU REGRESSIVA?

Na maior parte dos casos, indico para os investidores a escolha pela tabela Regressiva, pois o imposto chega a somente 10% depois de 10 anos.

Mas em alguns casos a tabela Progressiva pode ser interessante, como:

Se o seu capital for de menor tamanho ou se você pretende fazer pequenos saques mensais na aposentadoria, escolha a tabela Progressiva, pois para saques de até R$ 30.766,92 o imposto é de até 7,5%.

Outra possibilidade é:
quando o prazo de investimentos for curto (menor que 4 anos), escolha a tabela progressiva pois a regressiva é muito alta para períodos curtos de tempo.

Quer ajuda para escolher uma Previdência Privada?

Entraremos em contato da forma indicada para começarmos o passo a passo para a escolha da melhor previdência privada para você!

Tags

Juliano Custodio

Juliano Custodio é empreendedor digital, apaixonado por tecnologia, investimentos e tudo o que esta mistura pode criar.
É também CEO do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.
Me envie um e-mail: juliano.custodio@euqueroinvestir.com
Ou então uma mensagem por WhatsApp: (47) 9.8859.2799.

Artigos Relacionados

Close