Previdência muito além da renda fixa: conheça os fundos multimercados

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

O mercado de produtos previdenciários vem passando por mudanças significativas nos últimos anos. Prova disso é o aumento no montante de recursos captados. A cada ano que passa, mais pessoas optam por investir em fundos de previdência privada. Entre as opções, uma tem especial destaque: os fundos previdenciários multimercados.

Este artigo traz a você importantes informações a respeito desse tema. Ao ler o texto, você conhecerá o atual cenário de mercado do setor de previdência. Saberá por quais razões a procura tem sido tão grande, além de conhecer como o instrumento funciona. Por fim, terá indicações valiosas a respeito de três fundos com ótimas performances de rendimento.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Pronto para a leitura? Então prossiga!

Qual é o panorama da previdência multimercado atualmente?

A previdência privada como um todo tem atraído muitos novos participantes. Prova disso é o aumento de sua captação ao longo dos anos. Qualquer período que seja tomado como exemplo apresenta crescimento anual no montante acumulado. Ano após ano, a previdência se torna cada vez maior no Brasil.

Para se ter ideia da afirmação acima, o volume total de recursos cinco anos atrás era muito menor do que é hoje. O ano de 2016 encerrou-se com um montante de 622 bilhões de reais, enquanto em 2020 essa marca ultrapassou o valor de R$ 1 trilhão. É um aumento de 60%. Se considerarmos o ano de 2002, esse percentual explode, pois naquele ano existiam apenas R$ 10 bilhões aportados em previdência no país.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo

Fonte: ANBIMA

Quando a análise é feita considerando apenas os fundos multimercados previdenciários, percebe-se como o poder de captação desse novo instrumento tem aumentado. Apenas em um ano, o valor total aportado nessa classe de fundos cresceu mais de 87%. Passou de R$ 88 bilhões em junho de 2020 para mais de R$ 165 bilhões no encerramento do mês de maio de 2021. Tudo isso demonstra como a aplicação tem agradado os brasileiros.

Porque o interesse em previdência multimercado tem aumentado?

Tradicionalmente, o brasileiro sempre foi mais familiarizado com a renda fixa. Decerto, a maior parte da população de nosso país sequer conhecia outro tipo de instrumento financeiro. Da mesma forma, o desconhecimento a respeito de previdência privada sempre foi massiva. Mas as coisas mudaram…

Com o desenvolvimento da educação sobre o mercado financeiro experimentado com maior vigor na década passada, o público em geral começou a se interessar pela forma com que seu dinheiro era tratado nas instituições nas quais aplicavam. Conforme o conhecimento foi se disseminando, os investidores chegaram a suas próprias conclusões.

Ficou fácil perceber que os planos de previdência tradicionais eram uma afronta à reserva de poupança da nação. A grande maioria dos fundos previdenciários até então “rodavam” abaixo do CDI! Sim, isso mesmo, ABAIXO do CDI. Isso significa que o recurso de longo prazo dos brasileiros estava fadado a se deteriorar pela corrosão da inflação.

Ao mesmo tempo que descobriam isso, os investidores conheceram outras opções de aplicação na previdência. Seguramente, a nova alternativa que mais se destacou foram os fundos previdenciários multimercados. Sua versatilidade proporciona um rendimento muito superior aos veículos que focam apenas em renda fixa. 

Aliado à descoberta desse novo mundo, um ponto crucial determinou o início de uma nova fase de aplicações em previdência: a portabilidade. Ao mesmo tempo que uma pessoa toma consciência de novas opções, é possível mover seus recursos sem qualquer prejuízo quanto às características do plano inicialmente contratado. Isso é possibilitado pela portabilidade, que facilita muito a troca do local onde o dinheiro está empregado.

Como funciona a previdência multimercado?

Os fundos multimercados previdenciários têm grande liberdade para realizar suas aplicações. Isso significa que os recursos podem ser investidos em qualquer mercado, tanto nacional quanto internacional. A conduta de aplicações deve estar descrita na política de investimentos do fundo. É recomendado fazer a leitura das informações antes de aportar qualquer valor.

Assim, o poder de diversificação se torna bem maior. É possível buscar maiores rentabilidades investindo no mercado de ações. Ou então, proteger a carteira por meio de investimentos com baixa correlação entre si. Dessa forma, quando algum mercado não vai muito bem, outro pode compensar apresentando bom desempenho.

Outra vantagem fica por conta de operações de hedge. Tratam-se de movimentos que visam proteger uma aplicação que eventualmente esteja exposta a determinado risco. Isso pode ser feito por meio do mercado futuro, campo de investimento vedado a outros tipos de fundo. Por tudo isso, a previdência multimercado se mostra altamente atrativa para aplicar uma fatia dos recursos.

Veja alguns exemplos de fundos previdenciários multimercados:

Acompanhe a seguir algumas opções de investimento em fundos previdenciários multimercados. Existem modalidades de maior e de menor volatilidade. Além do perfil de investidor, os objetivos também precisam ser considerados ao fazer aportes.

EQI MACRO PREV

O fundo de previdência da EQI focado em análises macro apresenta um ótimo desempenho. Desde sua estreia, vem apresentando rendimento por volta de 200% do CDI, tendo ficado apenas 1 dia abaixo do índice de referência em toda sua existência.

Esse fundo é focado em replicar a estratégia de outro veículo da mesma casa de gestão, o EQI MACRO. Para isso, a totalidade de seu patrimônio líquido (PL) é destinada à aquisição de cotas deste último. Assim, consegue-se obter uma rentabilidade e volatilidade muito próximas entre os fundos, ao mesmo tempo que é possível manter o foco na estratégia do fundo principal.

Tal estratégia busca relativa diversificação na composição de seus ativos. Grande parte do PL do fundo (aproximadamente 85%) fica alocado em ativos de baixo risco, mais especificamente em títulos públicos de dívida brasileira. Isso permite um bom controle de risco e faz com que a volatilidade fique bem controlada. Historicamente, a variação fica próxima de 2%, podendo ser considerado um investimento de risco moderado.

E essa volatilidade moderada vem justamente das operações em outros mercados, já que essa é a característica do fundo. Parte desse capital alocado em investimentos de risco é destinado ao mercado doméstico. As operações são representadas pelos investimentos em bolsa, com alocação em ações de companhias brasileiras.

Como forma de diversificação e proteção de carteira, existe um percentual aplicado em mercados estrangeiros. Incluem-se aí os aportes em real states (Fundos Imobiliários) e exchange traded funds (ETF) vinculados a ouro. São excelentes veículos descorrelacionados das aplicações feitas em reais, pois visam mercados dolarizados e de commodities.

EQI LONG BIAS 70 PREV

Analogamente ao primeiro fundo, o EQI LONG BIAS 70 aplica seu PL em outro fundo da casa, o EQI LONG BIAS. A ideia é replicar seu comportamento considerando o percentual de alocação: o fundo de previdência é limitado na compra de cotas do fundo principal em no máximo 70% de seus recursos. O restante é destinado a compra de cotas de outros fundos que atuam no mercado de renda fixa. 

Com esse percentual de exposição, o fundo previdenciário apresenta uma oscilação considerável, por volta de 7%. Isso vem de uma alocação majoritariamente no mercado de ações doméstico, com um percentual próximo a 55% de todo o patrimônio líquido. Outros 20% são destinados a aplicações de proteção no mercado de renda fixa por meio da compra de títulos públicos. 

A parte restante do PL do “fundo pai” é voltada ao mercado estrangeiro. Compõe essa parte do portfólio o investimento em ETF’s de ouro, ações de empresas internacionais e operações no mercado futuro. Estas últimas se dão por meio de aplicações em índices e opções sobre outros instrumentos financeiros.

Tudo isso contribui para o ótimo desempenho do fundo de previdência. Considerando a data de seu lançamento, o fundo já acumula uma valorização de 400% do CDI na escrita desse artigo. Assim, trata-se de uma ótima opção de investimento para compor a parte mais sofisticada da carteira previdenciária.

EQI LONG BIAS VIDA E PREVIDÊNCIA

Por fim, temos o fundo de previdência mais arrojado da casa. Essa classificação vem do fato que seu patrimônio líquido é integralmente voltado à aquisição de cotas do fundo EQI FIA, que é voltado integralmente ao mercado de ações. 

Isso confere uma considerável volatilidade para o veículo financeiro, de modo que o investimento está disponível apenas para investidores qualificados. Ou seja, tratam-se de pessoas que possuam patrimônio financeiro acima de R$ 1 milhão.

E isso se justifica por conta de sua volatilidade mais acentuada. O fundo tem “vol” na casa de 20%. Como a recomendação é de investir apenas uma parte do patrimônio em aplicações de mais alta volatilidade, o ideal é que o investidor possua maior potencial de aportes. Daí sua destinação ao público qualificado.

Assim, a maior parte dos recursos do EQI FIA é aplicado no mercado doméstico, com grande diversificação no portfólio das ações do mercado brasileiro. Adicionalmente, também são adquiridos títulos de companhias do exterior, o que traz um agradável descorrelacionamento do capital investido.

Completam a composição do fundo algumas operações em ETF de ouro e no mercado futuro, com lançamento de opções sobre as ações da carteira. Apenas um pequeno percentual do fundo é destinado à operações compromissadas. 

Tudo isso tem proporcionado um retorno considerável ao fundo de previdência. Até o momento, sua rentabilidade ultrapassa a marca de mais de 1.000% de valorização do CDI. Certamente é um belo fundo para se ter na carteira de investimentos.

Quer investir em previdência? Converse com um assessor para entender as opções do mercado. basta preencher o formulário abaixo.