Prévia do PMI: zona do euro tem recuo; Reino Unido avança

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês), sinalizador importante da retomada econômica dos países pós-quarentena, teve queda na prévia de agosto na zona do euro.

Mas, apesar de vir abaixo da leitura de julho, o índice ainda assim está acima dos 50 pontos, que separam crescimento de retração econômica.

O PMI industrial ficou em 51,7, ante 51,8 de julho. A projeção do mercado era por 52,9 pontos. O PMI de serviços teve queda maior: foi de 54,7 para 50,1. A expectativa era por 54,5.

BDRs| Confira os papéis disponíveis para Investimentos

E o PMI composto, que reúne indústria e serviços, ficou em 51,6, ante 54,9 de julho. A projeção era 54,9.

PMI
Segundo o relatório do instituto IHS Markit, que divulgou o resultado do PMI nesta sexta-feira (21), o crescimento na Alemanha permaneceu sólido, com desaceleração modesta na comparação com julho.

O PMI industrial teve crescimento no país, indo de 51 para 53, acima da projeção de 52,5. O de serviços, foi de 55,6 para 50,8. E o composto foi de 55,3 para 53,7 pontos. A projeção era 55.

Já a França teve quedas mais expressivas em todos os indicadores. O PMI industrial foi de 57,3 para 51,7. O de serviços, de 57,3 para 51,9. E o composto, de 55,3 para 53,7.

Segundo Andrew Harker, diretor de economia do IHS Markit, a recuperação da zona do euro perdeu força em agosto, com a queda da demanda. Isto ocorre devido ao aumento de casos de Covid-19 em alguns pontos da zona do euro, o que afeta mais diretamente o setor de serviços.

“As empresas permanecem cautelosas, optando por reduzir níveis de pessoal em meio à falta de confiança na força da recuperação”, avalia. “A zona do euro está em uma encruzilhada. E tudo depende do quão bem sucedido será o combate à doença, para empresas e clientes ganharem a confiança necessária para apoiar o crescimento”, diz.

PMI Reino Unido

No Reino Unido, os dados foram positivos. O PMI Industrial foi de 53,3 para 55,3. A projeção era de 53,8. O de Serviços foi de 56,5 para 60,1, quando o mercado projetava 57. E o composto, foi de 57 para 60,3 – a projeção era 57,1.

PMI

Segundo o relatório, o avanço em todos os setores foi o maior já registrado de um mês para outro desde 2014. No entanto, ele deve ser avaliado dentro de um contexto de queda histórica do PIB, de acordo com Harker. O PIB do Reino Unido no segundo trimestre recuou 20,4%.