Presidente do BNDES diz acertar ao não competir com mercado privado

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Foto: BNDES anuncia R$ 42 bilhões para aporte em saúde e folhas de pagamento

Gustavo Montezano, presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), diz ter acertado ao não colocar a instituição em competição com fontes privadas de financiamento.

De acordo com o presidente do órgão, o papel do banco no financiamento a grandes grupos empresariais deve ser apenas um “último recurso”, e o esforço mais compatível deve ser focado no apoio às médias, pequenas e microempresas ao desenhar as medidas para mitigar a crise.

“Não estamos aqui para competir, estamos para ajudar ao País”, afirmou. “Sempre achamos que problemas privados de grandes companhias deveriam ser resolvidos com dinheiro privado”, emendou Montezano, durante palestra online no Bradesco BBI CEO Forum 2020.

Juliano Custódio. Henrique Bredda. Luiz Barsi. Gustavo Cerbasi.

Estamos Ao Vivo!

Segundo o presidente do BNDES, foi duro convencer a esfera política do País sobre a forma correta da instituição atuar durante a crise. Montezano se disse feliz por ter visto a companhia aérea Azul (AZUL4) conseguir R$ 1,745 bilhão em operação inspirada justamente no programa de apoio proposto pelo BNDES, mas sem a efetiva participação da entidade.

BNDES prega Desinvestimento “sem pressa”

Segundo Montezano, os Desinvestimentos do BNDES estão andando de acordo com o mercado e, em 2020, diante de tantos problemas, o volume acabou sendo maior do que o esperado, com venda de ações de Petrobras, Vale, Suzano, AES Tietê e Marfrig.

O executivo repetiu que “não há pressa” para os próximos passos e que há uma agenda de concessões bastante ampla em diferentes níveis de governo, relacionada a indústrias, saneamento, rodovias, portos, etc.

Plataforma ajuda interessados em desestizações

O BNDES lançou nesta quarta o “Hub de Projetos”. Trata-se de uma plataforma online criada para ajudar investidores de capital de longo prazo e projetos de desestatização.

Segundo informações do site Poder 360, a ferramenta inclui até presídios e vai permitir o acesso de operadores nacionais e internacionais, com conteúdo bilingue e objetivo claro de mostrar o portfólio de negócios no Brasil.

A princípio, são 41 projetos contemplados na carteira, todos com análises em áudio e vídeo, além de condições de financiamento. A plataforma tambéme vai permitir o contato entre os potenciais interessados para troca de informações e possível formação de consórcios.

Em comunicado à imprensa, o diretor de Infraestrutura, Concessões e PPPs do BNDES, Fábio Abrahão, comentou a iniciativa.

“Abrir significa ter cada vez mais opções de investimentos para os interessados, tanto do lado de equity (participações) quanto de dívida”, afirmou.

“Sentimos necessidade de ter 1 ambiente no qual o investidor possa entender em profundidade a carteira do banco: aquilo que está planejado, os temas que o banco está trabalhando, que projetos vão ao mercado e quando”, concluiu.

Segundo a estatal, em um futuro próximo a plataforma também funcionará como “hub de relacionamento”, e vai facilitar o contato dos investidores entre si e com prestadores de serviços cadastrados.

Gostaria de diversificar seus investimentos e aplicar no mercado acionário? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos poderá ajudar em sua jornada.

Participe também da nova edição da Money Week, de 23 a 27 de novembro. Inscreva-se.

Leia também: BNDES vende 40 milhões de ações da mineradora Vale (VALE3)