Presidente da Anatel admite atraso em leilão da rede 5G

Vitória Greve
Colaborador do Torcedores

Crédito: Mika Baumeister/ Unsplash

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo Euler de Morais, afirmou pela primeira vez que o leilão das frequências 5G pode atrasar.

Morais disse, de acordo com a agência Reuters, também que o uso de serviços de banda larga no Brasil cresceu entre 40% e 50% à luz da pandemia provocada pela Covid-19. Morais participou de uma live, nesta sexta (22), realizada pela Aliança Conecta Brasil F4

Atraso no leilão da rede 5G

Segundo reportagem da Agência Reuters, o presidente da Anatel admitiu que, por conta das medidas adotadas para enfrentar a pandemia de coronavírus, o cronograma do leilão das frequências 5G pode atrasar.

“A pandemia certamente gera algum impacto no cronograma e na própria cadeia de suprimentos do 5G no curto prazo”, afirmou Morais. 

Ele ainda acrescentou que, no longo prazo, este contexto estimula o 5G, a expansão da fibra e a infraestrutura de telecomunicações, “uma vez que testa a importância das soluções digitais para endereçamento da crise”.

Antes da pandemia, a data prevista para o leilão acontecer era novembro de 2020.

Aumento de tráfego

Durante a pandemia o tráfego de banda larga saltou de 40% a 50%. Apesar deste aumento, Leonardo, segundo a Reuters, elogiou as operadoras de telefonia. Segundo ele, as empresas mantiveram a qualidade do serviço prestado. 

Os esforços por parte das operadoras para expansão da rede FTTH, que leva fibra ótica até as residências, também foram lembrados por Morais.

Como a fibra permite menos interferências, este é um passo crucial antes da chegada do 5G. 

O que se sabe sobre o 5G e o leilão 

O 5G é a quinta geração da rede de internet móvel. É esperado que a tecnologia opere com uma velocidade até 20 vezes maior do que o restante dos sinais.

A rede permitirá alta velocidade de download, menor demora de conexão, maior integração entre máquinas inteligentes (carros, TVs, celulares). 

No leilão, serão ofertadas quatro faixas de frequência: 700 MHz; 2,3 GHz; 26 GHz; e 3,5 GHz.

A faixa de 3,5 GHz, o carro-chefe para a tecnologia de quinta geração, desperta maior interesse das empresas de telefonia.

A faixa exige menos investimento para ser implantada. Ela já é usada no Brasil para o sinal de canais abertos de televisão.

A empresa chinesa Huawei Technologies é uma das interessadas em participar do leilão da rede 5G. O interesse tem sido um importante ponto de discordância entre o governo brasileiro e o americano.