Braskem (BRKM5): prejuízo cresce 36,5 vezes no 4º trimestre

Felipe Moreira
Felipe Moreira é Graduado em Administração de empresas e pós-graduado em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 6 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Reprodução/Braskem

A Braskem (BRKM5) reportou nesta sexta-feira (3) prejuízo de R$ 2,922 bilhões no quarto trimestre de 2019, o que representa uma elevação de 36,5 vezes em comparação com o mesmo período de 2018.

No ano, o prejuízo totalizou R$ 2,798 bilhões, revertendo o lucro de R$ 2,867 bilhões do ano anterior.

A empresa havia postegado a divulgação do balanço.

A Braskem explica que o prejuízo apurado foi em função da provisão contábil no montante de R$ 3,383 bilhões.

Segundo a empresa, as perdas referem-se à implementação em Alagoas do programa de compensação financeira e apoio à realocação.

Adicionalmente, as provisões foram destinadas a ações para fechamento de determinados poços de sal da companhia e do programa para recuperação de negócios e promoção de atividades educacionais.

Além disso, as perdas resultaram da combinação do impacto negativo da depreciação do real frente ao dólar sobre a exposição líquida da companhia não designada para hedge accounting.

Ebitda

No quarto trimestre, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida, na sigla em inglês) somou R$ 1,047 bilhão, uma redução de 45%. Já a margem Ebtida atingiu 8,3%, baixa de 4,6 pontos percentuais.

Em 2019, o Ebtida foi de R$ 7,840 bilhões, uma retração de 31%. A margem Ebtida alcançou 15%, queda de 4,5 p.p.

O resultado financeiro foi negativo em R$ 872 milhões no quarto trimestre, uma diminuição de 20% sobre as perdas do mesmo período de 2018. No ano, o resultado financeiro foi uma despesa de R$ 4,746 bilhões, alta de 2%.

No quarto trimestre, a geração de livre de caixa totalizou R$ 292  milhões, redução de 33%. No ano, a geração livre de caixa atingiu R$ 3,108 bilhões, retração de 56%.

A companhia atribui a queda do desempenho a redução do Ebtida e o pagamento de juros atrelados a liquidação antecipada total/parcial de alguns bônus da companhia.

Operacional

A receita líquida alcançou a cifra de R$ 12,640 bilhões no quarto trimestre, queda de 5%. No ano, a receita líquida ficou em R$ 52,324 bilhões, redução de 10%.

No trimestre, o lucro bruto da Braskem somou R$ 1,575 bilhão, baixa de 19%. Já a margem bruta atingiu 12,5%, queda de 0,6 p.p.

Em 2019, o lucro bruto totalizou R$ 6,644 bilhões, um declínio de 42%. A margem bruta ficou em 12,7%, diminuição de 4 pontos percentuais.

As despesas gerais e administrativas somaram R$ 693 milhões no trimestre, aumento de 25%. No ano, as despesas totalizaram R$ 2,224 bilhões, elevação de 24%.

Veja os principais números:

braskem-balanco-1-min

Fonte: Empresa

Investimentos

Em 2019, a Braskem realizou investimentos operacionais (US$ 470 milhões) e em projetos estratégicos (US$ 229 milhões) que totalizaram US$ 700 milhões, US$ 187 milhões ou 21% inferior ao valor estimado no início do ano, e ultrapassando a meta de redução de US$ 100 milhões estabelecida ao término do primeiro semestre de 2019, como resultado de seu compromisso com a rigidez financeira.

Dívida

A dívida líquida da Braskem encerrou 2019 em US$ 5,369 bilhões, uma elevação de 5%.

braskem-balanco-2-min

O prazo médio do endividamento era de cerca de 17 anos e o custo médio ponderado da dívida da companhia era de variação cambial + 5,17%.

A alavancagem financeira da companhia, medida pela relação dívida líquida / Ebtida, ficou em 3,7 vezes no final de 2019, avançando em comparação com encerramento de 2018, que era de 2,1 vez.

braskem-balanco-3-min