Prefeitura suspende atividades da VALE3 em Brumadinho; minério sobe 4%

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Vale/Agência Brasil

A prefeitura de Brumadinho suspendeu no sábado (19), por meio de decreto, o alvará de funcionamento da mineradora Vale (VALE3) e de suas terceirizadas no município. A medida é válida por sete dias, ou até que sejam esclarecidos os fatos que vitimaram um operário terceirizado da empresa.

Como consequência, o minério de ferro registrou alta de quase 4% nesta segunda-feira (21), na Bolsa de Dalian, China.

Veja a cotação dos futuros do minério de ferro

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Minério de ferro dispara

Minério de ferro dispara – Fonte: Finance Sina

A suspensão das atividades foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial da cidade. Mas não afeta as obras da adutora no Rio Paraopeba, nem as operações de buscas do Corpo de Bombeiros pelas 11 vítimas desaparecidas do rompimento da barragem.

Em comunicado, a empresa disse lamentar “profundamente o falecimento de um empregado da empresa contratada Vale Verde, na mina Córrego do Feijão”. E se solidarizou com familiares e colegas de trabalho.

Segundo a Vale, o trabalhador estava em uma escavadeira. Ele realizava atividades de manutenção, quando foi atingido por um deslizamento de terra de talude da cava paralisada.

“A Vale, juntamente com a empresa contratada, dará apoio aos familiares do empregado. As empresas estão apoiando as autoridades no atendimento ao caso e na apuração das causas do acidente”, informa.

E afirma que as atividades de manutenção no local serão suspensas para novos estudos e avaliações das condições de segurança. “A companhia reitera seu compromisso com a segurança de todos seus empregados e das comunidades”, complementa.