Preços da indústria variam 1,32% em março

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Os preços da indústria variaram 1,32% em março. O resultado é do Índice de Preços ao Produtor (IPP) das Indústrias Extrativas e de Transformação, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado representa uma lata na comparação com o fevereiro e janeiro (0,81%).

Entre as grandes categorias econômicas, a variação de preços de 1,32% frente a fevereiro repercutiu da seguinte maneira:

  • 2,71% em bens de capital;
  • 0,69% em bens intermediários;
  • 1,93% em bens de consumo (0,41% bens de consumo duráveis, e 2,25% em bens de consumo semiduráveis e não duráveis).

Das 24 atividades analisadas, 21 apresentaram variações positivas de preços, contra 20 do mês anterior.

As quatro maiores variações observadas em março se deram entre os produtos das seguintes atividades: indústrias extrativas (-17,12%), refino de petróleo e produtos de álcool (-9,79%), calçados e artigos de couro (7,76%) e fumo (7,47%).

As maiores influências, na mesma comparação, foram: alimentos (1,43 ponto percentual), refino de petróleo e produtos de álcool (-0,97), indústrias extrativas (-0,85) e outros produtos químicos (0,42).

IPP: 2,50% no acumulado do ano

O acumulado no ano atingiu 2,50%, contra 1,16% em fevereiro.

As atividades que tiveram as maiores variações percentuais nessa perspectiva foram: refino de petróleo e produtos de álcool (-14,96%), metalurgia (11,99%), calçados e artigos de couro (11,75%) e outros equipamentos de transporte (11,63%).

Os setores de maior influência foram: refino de petróleo e produtos de álcool (-1,59 ponto percentual), alimentos (1,47), metalurgia (0,70) e outros produtos químicos (0,51).

O acumulado em 12 meses (março de 2020 contra março de 2019) atingiu 6,45%, contra 6,73% em fevereiro.

Entenda o IPP

O IPP é uma medida de inflação que calcula a evolução dos preços dos produtos “na porta de fábrica”. Ou seja, sem impostos e fretes. E abrange informações por grandes categorias econômicas. São elas: bens de capital, bens intermediários e bens de consumo (duráveis e semiduráveis e não duráveis).