Pré-candidatos do Partido Democrata cobram participação de Bloomberg em debates

Victor Meira
Com formação em Ciências Sociais e Jornalismo, experiência em redação nas editorias de esportes, empregos, concursos, economia e política.

Crédito: Créditos: Getty Images/BBC

Os pré-candidatos a presidência dos EUA pelo Partido Democrata declararam no último domingo (16) que o bilionário Michael Bloomberg deveria participar dos mesmos processos de escrutínio que os seus rivais. Além disso, o nova-iorquino deveria participar dos debates para as eleições presidenciais de 2020.

“Ele não pode se esconder detrás das ondas da televisão”, declarou a pré-candidata Amy Klobuchar, senadora pelo Estado de Minnesota, no programa “Meet the Press”, do canal NBC. “Eu não posso derrotá-lo nas ondas de transmissão, mas eu posso batê-lo no palco do debate e eu acredito que o povo americano merece isso para tomar uma decisão”.

Vale destacar que Bloomberg, um magnata da imprensa e ex-prefeito de Nova York, gastou muito mais que os outros candidatos democratas em anúncios de campanha na internet. Ele entrou posteriormente na disputa para a indicação democrata para enfrentar o presidente republicano Donald Trump em novembro, apesar que sua participação em debates presidenciais ainda não é admitida.

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

No entanto se Bloomberg conseguir 10% ou mais das intenções de votos em mais uma pesquisa de opinião, ele será incluído no próximo debate na quarta-feira (19).

O ex-vice-presidente Joe Biden afirmou que desafiaria Bloomberg em debate presidenciável sobre seu passado como prefeito, principalmente sobre seu apoio para uma estratégia de policiamento conhecida como “parar e revistar”, criticada pelos números desproporcionais de negros e latinos. O ex-prefeito de Nova Iorque já declarou que se desculpou pelo apoio à prática em novembro.

“O ponto é que com 60 bilhões você pode comprar muitos anúncios, mas não pode apagar seu histórico”, disse Biden na NBC.