EUA: preços ao produtor têm maior alta anual desde 2010

Matheus Gagliano
Jornalista formado em 2007. Possui mais de 15 anos de experiência em jornalismo econômico e corporativo. Passou por veículos especializados como Brasil Energia e Canal Energia e pelo Jornal do Commercio, do Rio de Janeiro. Além de passagens por veículos como Record TV do Rio, jornal O Dia e Diário Lance.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice de Preços ao Produtor (PPI) dos Estados Unidos (EUA) cresceu 0,2% em dezembro, de acordo com o Bureau of Labor Statistics. Houve uma desaceleração com relação a novembro, que registrou alta de 0,6%. No acumulado do ano, a alta foi de 9,7%. Este foi o maior patamar desde 2010, quando teve início a série histórica.

O resultado mensal ficou pouco abaixo da projeção de mercado, que era de 0,4%. Já a projeção do resultado anual era de 9,8%.

De acordo com o departamento, o resultado do índice pode ser atribuído a uma elevação de 0,5% nos preços do setor de serviços. Por outro lado, o setor de consumo de bens recuou 0,4%.

Os dados mostraram ainda que os preços ao produtor, excluindo-se dados de alimentação, energia e serviços, subiram 0,4%. Em novembro, a elevação havia sido de 0,8%. No acumulado do ano passado, houve um avanço de 6,9%.

PPI: vendas de combustíveis e lubrificantes sobem mais de 10%

O levantamento mostrou que, dentro do índice de serviços, os preços de combustíveis e lubrificantes cresceram 13% no mês. Além deste item serviços de passageiros aéreos, varejo de alimentos, atacado de máquinas e veículos, também cresceram. No sentido oposto, vendas no varejo de autopeças caíram 2,7%.

Com relação ao consumo de bens, liderando a queda de dezembro, os preços de energia caíram 3,3%, ao passo que aos preços de alimentação recuaram 0,6%.

PPI