Poupança x Tesouro Direto: o que vale mais a pena?

Bruno Thadeu
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Freepik/Divulgação

Quando o investidor começa a dar os primeiros passos no mercado, dois investimentos são os mais lembrados: poupança e Tesouro Direto. Financeiramente falando, aplicar em Tesouro Direto vale muito mais a pena do que a poupança. Por outro lado, a poupança é mais fácil de aplicar, mexer e resgatar. 

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Por esses motivos, na hora de escolher o melhor investimento, você precisa fazer a pergunta: “qual é o principal objetivo ao aplicar?”.

Se você quiser fazer com que seus recursos financeiros tenham bom rendimento progressivo sem a necessidade de resgatar logo, o Tesouro Direto é o mais indicado

Já a tradicional caderneta oferece rentabilidade baixa, mas não é preciso fazer grandes planejamentos. Quem aplica na poupança, pode resgatar na hora que quiser que não vai prejudicar a rentabilidade. 

O Eu Quero Investir explicará as características do Tesouro Direto e da poupança e montará simulações para ajudar na escolha do melhor fundo.

Tesouro Direto: vantagens

A principal vantagem do Tesouro sobre a poupança é que seus ganhos são maiores. Ao contrário da poupança, o Tesouro Direto tem prazo para resgatar. Em outras palavras, caso o saque seja feito ao longo do contrato, a tributação será maior, e o rendimento será menor. 

Mesmo assim, na grande maioria das vezes ainda valerá a pena sacar o dinheiro do Tesouro antes, com tributação maior, em comparação à caderneta.

Desta forma, quem for aplica no Tesouro, é interessante ter um pouco de conhecimento sobre economia. Isso porque esse conhecimento pode ajudar a maximizar seus ganhos no Tesouro. Em resumo, o investidor pode escolher os diversos tipos de fundos dentro do Tesouro.  Se tiver certo conhecimento, pode ele mesmo entender o comportamento da economia.

No Tesouro Direto, existem os títulos prefixados e pós-fixados. Dentro desses dois tipos, têm várias opções com prazos diferentes. Veja como escolher o melhor título.

Tesouro Pós-fixado

São aqueles títulos cuja rentabilidade é formada por um juro fixo + um indexador (IPCA ou Selic) que pode variar com o tempo. 

Um exemplo de rendimento pós-fixado: Tesouro 2024: Selic + 0,1586%

Ou seja, a rentabilidade anual desse fundo, será a soma da Selic (atualmente em 2%) + 0,1586% =  2,1586%.

Se a taxa Selic subir, esse fundo terá rendimento maior, e vice versa.

Tesouro Prefixado

Quem não quiser arriscar previsões da Selic ou IPCA, a alternativa é aplicar em títulos pré-fixados do Tesouro. 

No pré-fixado, a taxa de juros é fixada no momento da contratação. Ou seja, essa taxa não vai mudar durante o contrato. 

Com isso, quem aplicar neste modelo com taxa pré-definida terá uma visão do quanto vai receber quando resgatar o dinheiro.

Poupança: vantagens

Podemos dizer que é uma vantagem da poupança o fato de ser muito fácil para investir. E esse detalhe conta muito para quem não conhece muito o mercado financeiro.

Em resumo, você deposita qualquer quantia e esse valor vai rendendo (pouco) mensalmente. 

O rendimento da poupança será o mesmo seja qual instituição bancária for utilizada pela pessoa.

O modelo de investimento da poupança é bem simples. Portanto, no quesito “praticidade”, a poupança leva a melhor sobre o Tesouro Direto.

Abaixo, algumas vantagens da poupança:

  • Fácil para abrir a conta e manejá-la. A caderneta é um fundo que pode ser aberto em qualquer instituição bancária. O rendimento será igual em qualquer banco.  
  • Não há tributação
  • Pode ser resgatada a qualquer momento. O rendimento da poupança ocorre mensalmente sempre no “aniversário” da conta.
  • Você pode deixar aplicado o tempo que quiser. Não tem prazo para vencimento.
  • Tem proteção de até R$ 250 mil do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Se a poupança um dia quebrar (o que é algo muito difícil), você será ressarcido integralmente. O Tesouro não tem proteção do FGC. 

Simulações de Poupança x Tesouro Direto

EXEMPLO 1

Considere uma aplicação de R$ 10 mil em fevereiro de 2020 com resgate total em julho de 2024.

No Tesouro Direto 2024 (prefixado), a rentabilidade anual ficaria em 6,69%.  Com isso, o retorno líquido é de R$ 11.951,02

Já na poupança, a rentabilidade anual é de 1,4% e o retorno líquido, de R$ 11.198,02.

Conclusão: Tesouro Direto apresentou melhor rendimento do que a poupança

EXEMPLO 2

Agora imagine uma aplicação de R$ 10 mil em fevereiro de 2020 e resgate em janeiro de 2026.

No Tesouro Direto 2026 (prefixado): a rentabilidade anual é de 7,28% e o retorno líquido, de R$ 13.293,90.

Por outro lado, na poupança a rentabilidade segue sendo 1,4% ao ano. Com isso, o retorno líquido fica em R$ 11.910,77.

Conclusão: Tesouro apresentou melhor rendimento do que a poupança

EXEMPLO 3

No penúltimo exemplo, considere uma aplicação de R$ 10 mil em fevereiro de 2020 e resgate em setembro de 2024.

No Tesouro Selic 2024 (pós-fixado), a rentabilidade anual seria a própria taxa Selic mais 0,1586%. O retorno líquido fica em R$ 11.659,38.

Já na poupança, a rentabilidade anual é de 1,4% e o retorno líquido, de R$ 11.275,06;

Conclusão: Tesouro apresentou melhor rendimento do que a poupança

EXEMPLO 4

Por fim, vamos analisar uma aplicação de R$ 10 mil em fevereiro de 2020 e resgate em agosto de 2026.

No Tesouro IPCA 2026 (pós-fixado), a rentabilidade anual é o IPCA mais 2,71%. Com isso, o retorno líquido soma R$ 13.110,40.

Em comparação, na poupança a rentabilidade anual é de 1,4% e o retorno líquido de R$ 12.200,04,

Conclusão: Tesouro apresentou melhor rendimento do que a poupança

Conclusão das simulações

Nos quatro exemplos acima, o Tesouro Direto rendeu mais do que a poupança quando retirados ao término de seus respectivos prazos. 

“O Tesouro é uma opção mais vantajosa do que a poupança, principalmente para quem quer deixar um dinheiro ali aplicado sem mexer. O Tesouro te dá várias ofertas de investimentos, enquanto a poupança é uma só”, definiu o analista Marcio Loréga, da Ativa Investimentos.

O que é Tesouro Direto

Quem aplica no Tesouro Direto está emprestando dinheiro para o Governo, que precisa de recursos para financiar suas atividades.

Por sua vez, o Governo Federal te devolverá o dinheiro dentro de um prazo combinado, com juros. O valor desses juros que determinará sua remuneração.

Para obter recursos vindos de pessoas físicas, o Governo emite papéis da dívida federal. 

O Tesouro Direto é um programa que o Governo oferece em conjunto com a BM&FBovespa, que controla a Bolsa de Valores (B3).

O que é poupança

A poupança foi criada após decreto do imperador Dom Pedro II, em 1861. É isso mesmo. A caderneta nasceu junto com a Caixa Econômica Federal.

Nos últimos anos, a poupança perdeu muitos correntistas, mas segue em alta. 

São mais de 180 milhões de cadernetas abertas no país, segundo levantamento feito pelo Banco Central no 3º trimestre de 2020.

O rendimento, porém, segue baixo. O 1,4% de retorno anual da poupança em 2020 é inferior aos 4,52% de inflação no mesmo ano. Isso quer dizer que ao resgatar o dinheiro na poupança, seu poder de compra foi “comido” pela inflação.