Poupança tem maior captação líquida desde 1995: R$ 30,458 bi

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Pixabay

A captação líquida da Caderneta de Poupança registrou no mês de abril o melhor resultado desde 1995: R$ 30,458 bilhões, segundo relatório do Banco Central.

Os números divulgados nesta quinta-feira (7) na página oficial do BC apontam que o resultado é o melhor de toda a série histórica, e foi alcançado com R$ 215,4 bilhões em depósitos e R$ 184,9 bilhões em retiradas no período.

A captação líquida registrada em abril é quase três vezes maior do que a do mês anterior, que havia ficado em R$ 12,168 bilhões.

Antes do recorde deste último mês de abril, o melhor resultado da série histórica da Poupança era de dezembro de 2017: R$ 19,373 bilhões.

Recuperação da Poupança

 

O recorde estabelecido em abril mostra que a confiança da população nesse módulo de investimento voltou a crescer após um início de ano em baixa.

Em janeiro e fevereiro a Poupança havia registrado resgates líquidos nos valores de R$ 12,4 bilhões e R$ 3,6 bilhões, respectivamente.

Em março, o cenário já retornou para o positivo, com os depósitos superando os saques em R$ 12,168 bilhões, resultado que voltou a crescer agora, com quase R$ 30,5 bi.

Total do ano se aproxima dos R$ 900 bilhões

Poupança

O relatório do Banco Central também apontou que o saldo da Poupança em 2020 já está se aproximando dos R$ 900 bilhões.

Em março, os números totais estavam em R$ 848,919 bilhões. Somando-se os R$ 30,458 bilhões de abril e mais R$ o rendimento de R$ 2,284 bilhões creditado no mês, o total chegou a R$ 881,662 bilhões em recursos.

Crédito imobiliário

Os recursos da Caderneta de Poupança aplicados em crédito imobiliário (SBPE) tiveram captação de R$ 24,614 bilhões, enquanto os de crédito rural (SBPR) tiveram captação de R$ 5,843 bilhões.

Selic e a Poupança

O novo corte da taxa básica de juros (Selic) para 3% ao ano influenciará diretamente (e negativamente) no rendimento da Caderneta de Poupança.

Segundo as normas ativas do Banco Central, sempre que a taxa Selic está abaixo dos 8,5% ao ano há corte no rendimento da Poupança.

De acordo com a normativa, a correção anual das cadernetas fica limitada a 70% da Selic, mais a Taxa Referencial, calculada pelo BC.

Atualmente, a taxa da Poupança tem rendido 0,22% ao mês. Com a queda da Selic, a projeção é que fique em 2,28% ao ano, até que surja uma nova alteração.

Rodrigo Maia prevê reformas mais amplas após o fim da pandemia