Análises e PrevisõesRenda Fixa

Poupança: Conheça as principais razões para você fugir dela

Retiradas de recursos da poupança superam depósitos em 1,931 bilhão no primeiro trimestre de 2018

Avalie este artigo!

O ano de 2018 já começa com grandes mudanças na forma como o brasileiro destina seus recursos. Para termos um parâmetro, o ano de 2017 registrou uma diferença de 17,12 bilhões entre depósitos e saques, ou seja, entrou mais do que saiu.

Já neste ano, temos uma retirada de quase 2 bilhões superior à entrada, isso muito pela forte queda da Selic. Nossa tão conhecida caderneta de poupança tem uma regra: sempre que a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano que é o caso, a poupança passa a pagar 70% da Selic + a Taxa Referencial, calculada pelo Banco Central. Hoje com a Selic a 6,5% ao ano temos uma poupança pagando 4,55% ao ano.

Para o brasileiro que investia em grandes bancos e estava acostumado a juros altos, isso gerou um enorme desconforto e fez com que olhassem mais para seus investimentos, vamos aos números:

  • Poupança: 70% da taxa de juros (é regra);
  • LCI/LCA: 85% da taxa de juros (pode variar, é uma média nos grandes bancos);
  • CDB90% da taxa de juros (pode variar, é uma média nos grandes bancos);
  • Fundos de Renda Fixa: 95% da taxa de juros (pode variar, é uma média nos grandes bancos); 
  • Tesouro Selic (LFT): 100% da taxa de juros (é regra);

Para ficar claro como isso impacta na sua vida financeira e o motivo de ter visto suas aplicações passarem a render tão menos ao longo dos últimos 2 anos vamos recorrer novamente aos cálculos:

O investidor que estava com seus recursos em grandes bancos comerciais com rentabilidades entre 80% e 90% da taxa de juros tinham:

0,90% X 14% (taxa de juros em 2016) = 12,60% ao ano = 0,99% ao mês

Já agora, a situação é bem diferente:

  • Poupança = 0,70 X 6,50% = 4,55% ao ano = 0,37% ao mês
  • LCI/LCA: 0,85 X 6,50% = 5,52% ao ano = 0,45% ao mês
  • CDB: 0,90 X 6,50% = 5,85% ao ano = 0,47% ao mês
  • Fundos de Renda Fixa: 0,95 X 6,50% = 6,18 ao ano = 0,50% ao mês
  • Tesouro Selic (LFT): 1 X 6,50% = 6,50% ao ano = 0,53% ao mês

Essa é a rentabilidade que os principais investimentos de renda fixa passaram a render com a taxa de juros a 6,50% ao ano. Importante mencionar também que o COPOM (Comitê de Política Monetária) sinalizou que haverá mais um corte em maio, ou seja, podemos passar a ter uma taxa de juros a partir de maio de 6,25% ao ano, o que reduz ainda mais a rentabilidade desses investimentos.

Esse foi o motivo para a indústria de fundos multimercados e de ações registrarem um grande crescimento como pode ver em matéria produzida pela Infomoney.

grafico

De acordo com a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais), a captação líquida da indústria no primeiro trimestre de 2018 foi de R$ 49,9 bilhões, sendo 42,1% de fundos multimercados e de ações e somente 5,8% em fundos de renda fixa.

Favorecidos pela alta da bolsa, os fundos de ações se destacaram no primeiro trimestre. O cenário macroeconômico nacional ajuda nisso. Inflação sob controle e juros em patamares historicamente mais baixos.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

A imagem abaixo de alguns fundos multimercados e de ações ilustra bem esse momento:

grafico

Enquanto uma carteira de bons fundos entregou nos últimos 12 meses 34,04% a poupança entregou 6,08%. Veja bem, não estou dizendo para retirar todo seu recurso da poupança e colocar em fundos de ações, mas sim que existem diversos investimentos entre um e outro, no qual pode destinar parte dos seus recursos para potencializar seus ganhos no longo prazo.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Se fizer uma distribuição adequada, mantendo seu perfil de investidor e extraindo com inteligência as boas oportunidades do mercado, consegue facilmente uma carteira que te renda em média 130% da taxa de juros, montando uma estrutura diversificada onde tenha bons investimentos de renda fixa (CDBs, CRIs e fundos de crédito privado) sem que necessariamente precise ir para investimentos mais arrojados como os citados acima.

Carteira de Investimentos para perfil moderado (bons fundos de crédito privado, CRIs e CDBs): 

  • 130% da taxa de juros (pode variar, depende do seu perfil)
  • 1,30 X 6,50% = 8,45% ao ano = 0,68% ao mês

Veja a diferença para um capital de 100 mil reais ao longo de 10 anos tendo seus recursos aplicados na poupança ou na carteira de 130% da taxa de juros citada acima:

  • Poupança: R$ 156.041,59 
  • Carteira 130% taxa de juros: R$ 205.158,85

Uma diferença de quase 50 mil reais simplesmente por investir em ativos onde extraia realmente o potencial em seus investimentos. Quando digo extrair o potencial, quero dizer por exemplo, que muitas vezes o investidor fica com seus recursos 100% em liquidez sem que precise e o simples fato de abrir mão de uma parcela dos seus recursos por um prazo de 2 anos por exemplo, já consegue auferir um grande ganho em rentabilidade.

Espero ter lhe ajudado a refletir se está tirando o máximo proveito do seu capital e que isso com certeza fará diferença para o futuro seu e de sua família.

Siga-nos no Facebook e receba as atualizações do Blog:

Caso tenha ficado alguma dúvida ou queira entender como pode extrair mais dos seus recursos preencha o formulário abaixo que entraremos em contato. Podemos lhe ajudar a montar sua carteira de investimentos para que invista de uma maneira mais inteligente.

 

Tags

Mateus Mantovani

Mateus Mantovani é assessor de investimentos do EuQueroInvestir A.A.I. assessores de investimentos, credenciado na CVM pela Ancord. Um estudioso em gestão financeira e investimentos com o objetivo de ajudar as pessoas a investirem melhor.
WhatsApp: (47) 99285-2808

Artigos Relacionados

Close