Porto de Santos pode ser desestatizado junto com o de São Sebastião

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Diário da Região

O ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas confirmou, durante entrevista com jornalistas em evento na XP Investimento, que a desestatização do Porto de Santos pode ocorrer junto com o de São Sebastião.

“Nossa equipe foi à Inglaterra para conhecer os portos ingleses e um estudo vai mostrar onde se cria mais valor, se é agregando o Porto de São Sebastião ou não agregando”.

A intenção do governo é concluir o estudo dentro de 12 meses e, então, efetivar a desestatização – de um ou dos dois portos – até o fim de 2021.

Participe do maior evento de investimentos da América Latina

Leilões em 2020

Segundo o ministro, a pasta que comanda já realizou de forma bem-sucedida 27 leilões. Outros 35 fazem parte do Programa de Parcerias de Investimentos, com R$ 420 bilhões em contratos.

Para 2020, a intenção da Infraestrutura é realizar algo em torno de 40 a 44 leilões.

Classificação de risco

Tanto Tarcísio de Freitas quanto Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional que também compareceu ao evento da XP, falaram brevemente sobre a volta do grau de investimento das agências de classificação de risco.

“Se mostrarmos que estamos crescendo, a nota será elevada. Estamos com a música do Roberto Carlos: daqui a pouco tudo será diferente”, disse o ministro.

“Se continuarmos fazendo reformas, o upgrade será natural. É questão de tempo, apenas e a perspectiva [de elevação da nota] é muito boa”, emendou o secretário do Tesouro.