Pnad Covid: 1,3 mi voltam ao trabalho após medidas de flexibilização

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O número de pessoas ocupadas que estavam temporariamente afastadas do trabalho presencial devido ao distanciamento social caiu na terceira semana de junho.

É o que informa a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid, realizada excepcionalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O montante foi de 12,4 milhões para 11,1 milhões de pessoas, na comparação com a semana anterior. Isto representa 13,3% da população ocupada.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

“No acompanhamento semanal da pesquisa, verificamos estabilidade na população ocupada (84 milhões) e desocupada (11,8 milhões). Mas houve uma queda no grupo de pessoas ocupadas que não estava trabalhando na semana de referência devido à pandemia. Esse movimento se repete na terceira semana de junho. E indica uma continuação do retorno dessas pessoas às suas atividades de trabalho”, afirma a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira.

Na primeira semana de maio, quando a pesquisa começou, 16,6 milhões estavam afastadas temporariamente do trabalho.

Pnad Covid: pandemia deixa de ser empecilho à busca de trabalho

O grupo de pessoas fora da força de trabalho que gostariam de trabalhar, mas que não procuraram ocupação por causa da pandemia, foi de 18,2 milhões na segunda semana de junho para 17,3 milhões na terceira semana. Ou seja, com a flexibilização, a pandemia deixou de ser um empecilho à busca de trabalho para 827 mil pessoas.

Na terceira semana de junho, o IBGE estima que 170,2 milhões pessoas estavam em idade para trabalhar, mas somente 84 milhões estavam ocupadas. Esse número permaneceu estatisticamente estável desde a primeira semana de maio, e mostra que menos da metade (49,3%) das pessoas estavam trabalhando na terceira semana de junho.

Pnad Covid

Reprodução/IBGE