PMI da zona do euro tem resultados acima das projeções

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) da zona do euro teve resultados acima das projeções nesta sexta-feira (23).

O PMI Industrial de julho ficou em 62,6, quando o mercado aguardava 62,5 pontos. O PMI de serviços ficou em 60,4, quando a expectativa era por 59,5. E o composto (que une indústria e serviços) ficou em 60,6, acima da projeção de 60 pontos.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Pontuações acima de 50 indicam aceleração da atividade, ao passo que leituras menores indicam retração.

Comentando sobre os resultados, Chris Williamson, Economista-Chefe da IHS Markit afirmou que a zona do euro está passando por um surto de crescimento no verão, com o afrouxamento das restrições de combate à Covid graças à vacinação, impulsionando o crescimento mais rápido de 21 anos. O setor de serviços, em particular, está aproveitando o momento.

“Atrasos na cadeia de abastecimento continuam sendo uma grande preocupação para a indústria, elevando os custos das empresas, o que leva a um aumento quase recorde na média de preços de venda de bens e serviços as consumidores ainda nos próximos meses”, disse.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

PMI zona do euro

Reprodução/IHS Markit

Já no Reino Unido, os resultados ficaram aquém. O PMI da indústria foi de 60,4 pontos, quando a projeção era 62,7. O de serviços, 57,8, com expectativa de 62. E o composto, 57,7, com projeção de 61,9. Hoje ainda sai o resultado do PMI dos Estados Unidos.

Ainda hoje sai o resultado para os Estados Unidos. Os dados de Brasil e China saem apenas em agosto.