PMI: indústria avança na zona do euro, Reino Unido e China

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) da zona do euro ficou em 47,4 pontos na leitura final de junho, ante uma projeção de 46,9.

Em maio, o resultado havia sido 39,4 pontos, o que indica um forte avanço na passagem para junho, apesar de o indicador ainda se encontrar abaixo de 50 pontos, o que aponta retração econômica.

“Os número de junho indicam que as fábricas estão tendo uma forte recuperação na medida em que a economia é retomada após os fechamentos decorrentes da quarentena do coronavírus”, afirma Chris Williamson, economista-chefe de negócios do instituto IHS Markit, responsável pela divulgação do PMI.

Com o resultado, ele acredita que o Produto Interno Bruto (PMI) caia apenas 2% na região em 2020. As expectativas quanto ao próximo ano também apontam recuperação acentuada.

Contudo, mesmo com os ganhos, a produção e o sentimento permanecem abaixo dos picos pré-pandêmicos e a demanda segue baixa.

Resultado por países

França e Irlanda se destacaram entre os países da região, registrando PMI acima de 50 pontos. A França teve leitura de 52,3 pontos. A Irlanda, de 51. Na sequência vem Grécia, com 49,4 pontos. Depois, Espanha (49), Itália (47,5), Áustria (46,5), Holanda (45,2) e Alemanha (45,2).

Na Alemanha, especificamente, o relatório do IHS Markit aponta que as fábricas estão retomando a produção, mas a baixa demanda preocupa, especialmente porque o cenário de empregos não é favorável, o que afeta diretamente o consumo.

PMI

Reprodução/IHS Markit

PMI do Reino Unido

No Reino Unido, o resultado veio em linha com as expectativas: 50,1 pontos. Mas com avanço significativo em relação a maio, quando registrou 40,7 pontos.

O desemprego e a baixa demanda também preocupam, mas o relatório aponta otimismo dos gerentes de compras quanto ao processo de reabertura que começou em junho e será ampliado em 4 de julho – quando reabrem restaurantes, pubs, cinemas e museus.

PMI

Reprodução/IHS Markit

PMI da China

Pesquisa da IHS Markit com a Caixin Media mostrou que o índice de gerentes de compras da indústria chinesa subiu de 50,7 em maio para 51,2 em junho.

Este é o maior nível em seis meses e indica que a indústria se expande em ritmo forte após o impacto da Covid-19. O PMI oficial divulgado ontem já apontava a tendência. De acordo com o National Bureau of Statistics (NBS), o PMI ficou em 50,9, quando a projeção era 50,4. Em maio, o indicador apontava 50,6.

PMI

Reprodução/IHS Markit