PMI de serviços nos EUA aponta expansão sem precedentes em abril

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Fed/Divulgação

O PMI (Índice de Gerente de Compras) do setor de serviços nos Estados Unidos, divulgado nesta quarta-feira (5) pela IHS Markit, indicou uma expansão sem precedentes da atividade do setor em abril.

Ao subir para 64,7 pontos, se tornou a maior leitura do indicador desde o início dos registros, em 2009. Além disso, o dado superou a expectativa dos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal”, de 63,3 pontos.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

PMI EUA

Conforme a IHS Markit, o PMI composto dos EUA também indicou a maior expansão da atividade já registrada. O número alcançou 63,5 pontos em abril, de 59,7 da leitura de março.

“Graças a um coquetel composto pela bem-sucedida distribuição da vacina, reabertura da economia, política monetária ultra acomodatícia e injeção de novos estímulos fiscais, as empresas estão reportando o mais forte salto na demanda vistos por pelo menos uma década”, disse Chris Williamson, economista-chefe de negócios da IHS Markit.

Entretanto, o economista ressalta que os preços seguem sendo uma preocupação para o setor. “Um aumento recorde dos preços no setor de serviços destacando como as pressões inflacionárias não estão confinadas ao setor industrial. Indicadores de pressões de preços limitantes à capacidade precisarão ser monitorados de perto para avaliar se estas altas são transitórias”.