PMI de EUA, zona do euro e Reino Unido vem acima do esperado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/iStock Photos

Esta quinta-feira (21) foi dia de divulgação dos índices dos gerentes de compras (PMI na sigla em inglês) dos Estados Unidos, da zona do euro e do Reino Unido.

Nos três casos, as leituras vieram acima das projeções do mercado, o que é um ponto positivo. No entanto, todos os indicadores seguem abaixo dos 50 pontos, que é o que separa o crescimento da contração econômica.

PMI nos EUA

Nos EUA, o PMI composto preliminar teve leitura de 36,4 pontos em maio, ante 27 de abril.  O PMI do setor de serviço ficou em 36,9 e o industrial, 39,8 pontos. A projeção do mercado era por leituras inferiores, de 30 e 38, respectivamente.

PMI

Zona do euro

Na zona do euro, o PMI composto ficou em 30,5 no resultado prévio. O esperado era bem inferior, de 25 pontos.

O PMI de serviços ficou em 28,7, quando era aguardado 25. O PMI da indústria ficou em 39,5 quando era aguardado 38.

PMI

Reino Unido

No Reino Unido, o PMI composto ficou em 28,9; o de serviços, 27,8; e o da indústria, 40,6 pontos. A expetativa era por 25, 25 e 36.

PMI

Pico da crise foi em abril

Para Chris Williamson, economista-chefe da IHS Markit, os resultados indicam que a queda do PMI atingiu o pico em abril, quando teve leituras recordes. Mas, ainda assim, indicam que o Produto Interno Bruto (PIB) dos países deve sofrer um impacto “sem precedentes”.

Atividade Industrial do Fed da Filadélfia

Outro indicador de produção, o Índice de Atividade Industrial do Federal Reserve da Filadélfia, teve uma leitura mensal de -43,1 em maio. A queda foi maior do que a aguardada pelo mercado, que era de -41,5.