Prévia do PMI aponta crescimento da atividade na zona do euro em abril

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

Em leitura preliminar da IHS Markit para o Índice dos Gerentes de Compras (PMI na sigla em inglês) da zona do euro, há a indicação de que a atividade empresarial voltou a se expandir em abril, fornecendo impulso positivo para o segundo trimestre.

O PMI industrial foi de 62,5 para 63,3 pontos. O de serviços, de 49,6 para 50,3. E o composto, que une indústria e serviços, de 53,2 para 53,7 pontos. Todos vieram acima da projeção.

Neste indicador, leituras acima de 50 pontos indicam expansão da atividade econômica. E, abaixo, indicam retração.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

PMI

Reprodução/IHS Markit

Resultado surpreendeu positivamente, com destaque para França

Chris Williamson, economista-chefe de negócios da IHS Markit, afirmou que, apesar das novas medidas de contenção para combater o coronavírus, o ritmo da atividade econômica cresceu, apesar de ser esperado que acontecesse o oposto. Ele acrescentou que as empresas estão otimistas com o futuro e se preparando para tempos melhores.

De fato, a região sofre atualmente com a demora na entrega de vacinas pela AstraZeneca e com as variantes do Covid-19. No entanto, os governos se preparam para aliviar algumas das medidas de bloqueio.

A Itália está abrindo partes da economia na segunda-feira (26) e França e Grécia têm planos para uma reabertura cautelosa em meados de maio.

Reforçando a ideia de melhora futura, a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, disse ontem (22) que os dados econômicos sugerem que a atividade econômica pode ter contraído novamente no primeiro trimestre deste ano, mas apontam para uma retomada do crescimento no segundo trimestre. A declaração foi dada ao apresentar a decisão do BCE de manter a taxa de juros.

Entre os países, destaque para a França, que, pela primeira vez desde agosto do ano passado, obteve resultado acima dos 50 pontos (chegou a 51,7 pontos) no PMI.

“Com uma expansão na atividade de serviços e outro forte aumento na produção industrial em abril, o setor privado francês finalmente conseguiu crescer”, disse Eliot Kerr, economista da IHS Markit, em um comunicado.

Enquanto isso, a expansão da atividade empresarial na Alemanha desacelerou. O PMI composto da Alemanha atingiu 56 pontos, de 57,3 em março.