Plano de Paz de Trump para o Oriente Médio recebe críticas da União Europeia

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Reprodução / Kevin Lamarque/Reuters

Não foram apenas os palestinos que se posicionaram contrários ao Plano de Paz proposto por Donald Trump para colocar um fim nos confrontos entre Israel e Palestina.

Nesta terça-feira (4), Josep Borrell, chefe de política externa da União Europeia, divulgou um comunicado que também mostra rejeição do bloco a alguns pontos do tratado proposto pelo presidente norte-americano.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

“Para se obter uma paz justa e duradoura, as questões pendentes sobre a situação final precisam ser decididas através de negociações diretas entre as duas partes”, opinou Borrell, segundo noticiado pela Agência Reuters.

“A iniciativa dos EUA, tal como apresentada em 28 de janeiro, se afasta destes parâmetros combinados internacionalmente”, completou.

Ponto de discórdia

Na visão dos palestinos, um dos principais pontos de discórdia do plano de Trump é que ele passa a Israel boa parte do que o país busca há décadas, incluindo quase todas as terras palestinas em que foram construídos assentamentos.

De acordo com Josep Borrell, as ações de Israel para anexar territórios palestinos ao país, “se implantadas, não poderiam passar sem contestação”.