Plano de infraestrutura de Biden: como o Brasil pode se beneficiar?

Ronaldo Araújo
Engenheiro e Agente Autônomo de Investimentos, hoje me dedico a divulgar ensinamentos sobre como funciona a Previdência Privada. Acredito que com mais conhecimento é possível fazer melhores escolhas para a formação do patrimônio de longo prazo. Para saber mais acesse www.ronaldoaraujo.com.br
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

No início do ano, o então recém-eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou um mega pacote de investimentos em infraestrutura. Alguns duvidaram que seria possível implementá-lo. No entanto, o texto da matéria passou pela aprovação legislativa e as obras de construção devem começar em breve.

Para entender como o Brasil pode se beneficiar desse novo momento, apresentamos este artigo. Ao lê-lo, você saberá melhor o que é esse pacote de investimentos. Conhecerá também os possíveis setores que podem se beneficiar e como isso reflete na economia brasileira.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Preparado para a leitura? Então avance!

O que é o pacote de infraestrutura do presidente Joe Biden?

Anunciado em 31 de março de 2021, o mega pacote de investimentos de infraestrutura do presidente norte-americano Joe Biden foi aprovado no último dia 5 de novembro. Em uma votação apertada, a Câmara dos Representantes aprovou a iniciativa por 228 votos contra 206. Com investimentos iniciais previstos em R$ 2 trilhões, o programa passou na casa legislativa assumindo um valor total de R$ 1,2 trilhão.

De acordo com o texto da matéria, os EUA investirão todo esse recurso para melhorar sua infraestrutura e tornar o país mais competitivo. Estão na lista os setores de transporte e a indústria manufatureira, além da modernização da rede elétrica e dos meios de telecomunicações do país. A ideia é fazer os investimentos ao longo de 8 anos.

Quais são os setores econômicos brasileiros que podem se beneficiar?

Os efeitos de um projeto de expansão econômica tão grande poderão ser sentidos no Brasil.

Será necessária uma demanda muito forte de alguns produtos e os EUA, sozinhos, não terão como atender aos pedidos. Dessa forma, algumas materiais deverão ser importados e o Brasil é líder mundial na produção de vários deles.

Acompanhe a seguir alguns setores que podem se beneficiar com o pacote econômico recém-aprovado pelos Estados Unidos.

Aço e siderurgia

Talvez esse seja o principal setor beneficiado com o novo pacote de investimentos em infraestrutura. Obras de construção civil pesada requerem muito concreto e aço. Os primeiros não podem ser importados por conta de seu processo de fabricação, o que já não ocorre com o segundo. Assim, empresas que extraem o minério e o beneficiam podem aumentar o seu volume de exportação para atender a demanda dos EUA.

Proteína animal

Com diversas frentes de trabalho por todo o país, é esperada uma alta geração de empregos na nação norte-americana. Com isso, ocorre a consequente elevação da renda e, de tabela, o consumo de carne cresce bastante. Assim, o setor de proteína animal do Brasil (que já é destaque mundial) tem tudo para aumentar ainda mais suas exportações para os Estados Unidos.

Grãos

O setor de grãos tem uma elevada chance de crescer puxado pelo próprio aumento nas exportações de proteína animal. Para aumentar o envio de carnes para os EUA, é preciso elevar a produção internamente. Para que isso ocorra, é necessário dispor de mais alimentos para os animais que precisam existir em maior número. Com isso, produtos como soja e milho devem ser mais requeridos no mercado interno, pois são a base da ração animal utilizada como alimentação.

O plano de expansão de infraestrutura do presidente Biden é ousado, isso não se pode negar. Transportes, estradas, portos e telecomunicações devem sofrer forte ampliação e modernização. No entanto, nem mesmo os EUA conseguirão prover todos os recursos e é nesse ponto que o Brasil pode se beneficiar. Devido à necessidade de materiais básicos como aço e proteína animal, os produtos brasileiros que já têm destaque mundial podem sofrer um forte aumento em suas exportações.