Planalto e cúpula do PT se unem para barrar prisão em segunda instância

Filipe Teixeira
null

Crédito: Lula e Michel Temer - por Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Lula e Michel Temer – por Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Amigos para sempre?

A guerra PT X PMDB deflagrada desde as articulações políticas (ou golpe, como preferir) que culminaram no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, pode estar próxima de uma trégua. É o que afirma hoje (13) a reportagem do jornal O Estado de São Paulo.

Segundo a matéria, o estreitamento das relações tem objetivo e alvo definido: Persuadir o ministro do STF Alexandre de Moraes, a rever sua posição favorável à prisão em segunda instância (Moraes votou contra o HC de Lula). Ambos estão preocupados com o posicionamento da também ministra, Rosa Weber.

Vale lembrar que a defesa de Lula contava com o voto favorável de Weber na audiência que votou o Habeas Corpus do ex-presidente.

Ligações perigosas

Um encontro entre Luiz Marinho, presidente do PT-SP e pré-candidato ao governo paulista, o ex-ministro Gilberto Carvalho e os atuais ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes, ocorreu na quarta-feira (11). A pauta, obviamente, circulou em torno dos últimos julgamentos no Supremo Tribunal Federal e a discussão da condenação após segunda instância.

 

Duro de matar

Fontes do governo relatam um arrependimento de Temer em relação à indicação de Alexandre de Moraes ao cargo de ministro do STF.  Políticos ligados ao planalto afirmam ser tarefa quase impossível corrompê-lo.

Alexandre de Moraes já foi ministro da Justiça e Chefe da Polícia Federal e foi indicado à corte suprema, após a morte de Teori Zavascki.

Quem tem, tem medo!

A improvável união se explica pelo temor de que após o mandato de Temer e seus pares, a operação lava jato lance uma ofensiva contra os “mdbistas”, já que estes, muito provavelmente não contarão mais com as benesses do foro privilegiado.

Não contem com o meu voto!

[banner id=”teste-perfil”]