PIX pode reduzir uso de dinheiro em espécie no Brasil, diz UBS

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: PIX

A adoção do PIX (sistema de pagamento instantâneo) no Brasil poderá causar uma redução significativa nas transações em dinheiro, disse o banco suíço UBS.

Em documento divulgado nesta terça-feira (7) a UBS afirmou que as tendências do sistema financeiro indiano são semelhantes às brasileiras.

Na Índia a adoção do PIX fez cair o número de transações em dinheiro em espécie.

Conheça os Fundos Imobiliários para investir em Outubro

A empresa diz que a popularização do uso de pagamentos digitais na Índia foi impulsionada pelo uso crescente de smartphones e também pelo apoio de reguladoras  — características semelhantes às do mercado no Brasil.

Planilha de ações: baixe e faça sua análise para investir

Bancos devem continuar a ter uma posição relevante

“Aprendemos que na Índia, a forte adoção da UPI (Unified Payments Interface) e outros sistemas de pagamentos instantâneos não reduziram significativamente as receitas dos bancos. Além disso, o sistema da UPI permitiu que os bancos retivessem seus clientes”, diz a UBS.

Confira principais Ações para investir em Outubro

O mesmo deve ocorrer no Brasil, caso o PIX seja amplamente usado, afirma o banco.

“Isso deve causar pressão em algumas linhas de negócios dos bancos. Mas também pode reduzir os custos operacionais de banco, como visto na Índia”, avalia a UBS.

Na Índia, embora a adoção de pagamentos digitais tenha aumentado bastante (principalmente substituindo o dinheiro) nos últimos anos, o volume de solicitações de cartões continuou a subir.

Mas a UBS reconhece que esse movimento foi em um ritmo menor que os pagamentos digitais.

“Achamos que poderíamos ter tendências semelhantes com o lançamento do PIX no Brasil (a ser lançado em 20 de novembro)”, acrescenta a empresa suíça.

O que é o PIX?

O PIX é um sistema de pagamento instantâneo digital proposto pelo Banco Central previsto para estar no ar em novembro.

Além de modernizar os meios de pagamentos do Brasil, pode ter forte impacto no crédito ao consumo e no varejo.

Na prática, com o PIX, haverá mais uma possibilidade de realizar transferências bancárias além de TEDs e DOCs.

Essas operações tradicionais podem levar dias e muitas custam pesado no bolso dos clientes.

Alternativa

O PIX será uma alternativa nos bancos e fintechs com mais de 500 mil contas ativas. Assim, eles deverão se adequar, até 16 de novembro, para oferecer e receber o serviço.

A grande diferença do PIX são a rapidez e a disponibilidade desse meio de pagamento.

Enquanto hoje existem restrições de dias e horários para enviar quantias por TED e DOC, o PIX permitirá que elas sejam realizadas a qualquer dia e horário.

Ou seja, o novo método funcionará 24 horas por dia, 7 dias da semana, em todos os dias do ano.