Pilgrim’s Pride apresenta 84% de aumento no lucro líquido em 2019

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Times Photo

A Pilgrim’s Pride empresa de alimentos norte-americana, de propriedade da brasileira JBS (JBSS3), apresentou nessa sexta-feira (21) seu balanço referente a 2019. O lucro líquido da companhia subiu 84% em relação a 2018, indo a US$ 455,9 milhões.

O EBITDA ajustado apresentou aumento, mas na casa dos 22% em relação a 2018, com uma margem de 8,5%, chegando a US$ 973,8 milhões. O EBITDA superou a concorrência do setor, impulsionado pela execução aprimorada e pelo aumento do desempenho operacional em todas as unidades de negócios, incluindo EUA, México e Europa.

“Enquanto as condições gerais do mercado global melhoraram durante 2019, os membros de nossa equipe continuaram a cumprir nossa estratégia, alcançando um aumento significativo no desempenho relativo em comparação com o ano passado e com a concorrência no setor”, declarou o CEO da empresa, Jayson Penn.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

“Nossa presença global diversificada contribuiu para resultados bem equilibrados e consistentes em relação a diferentes condições específicas de mercado. Mantemos nossa abordagem à bem-sucedida estratégia de Key Customer, que é a base do nosso forte crescimento. Embora nosso portfólio de produtos já seja diferenciado, estamos investindo para inovar ainda mais e aumentar nossas capacidades de atender à demanda dos clientes. Esperamos que produtos especiais com valor agregado respondam por uma parcela significativamente maior de nossos resultados totais nos próximos anos, à medida que continuamos a enfatizar o mix de vendas mais voláteis de commodities e a fortalecer nosso perfil de margem”.

Resultados

As vendas no quarto trimestre aumentaram 15,3% na comparação de 2018 para 2019, indo de US$ 2,65 bilhões para US$ 3,06 bilhões. Tal resultado positivo pôde ser sentido também no acumulado do ano. As vendas ao final das 52 semanas subiram 4,3%, indo de US$ 10,94 bilhões, em 2018, para US$ 11,41 bilhões, em 2019.

O resultado operacional teve uma explosão no quarto trimestre, subindo 263,6%, saindo de US% 23,6 milhões para US$ 85,8 milhões; o que também foi sentido no fechamento anual, saindo de US$ 495,7 milhões, em 2018, para US$ 690,6 milhões, em 2019, um aumento de 39,3%.

Margens do resultado operacional foram de 3,2% nos EUA, 2,5% no México e 2,1% nas operações na Europa.

“No quarto trimestre, nosso desempenho operacional nos EUA continuou a melhorar, impulsionado por nossa parceria com os principais clientes e pelo foco incansável na execução e entrega dos melhores resultados possíveis, apesar das mudanças nas condições de mercado. Dentro de nossos negócios de aves prontas, a forte demanda, principalmente de clientes QSR, continuou superando a oferta. O setor de commodities continuou desafiador, mas experimentamos melhores condições de mercado em relação a 2018. Nossos alimentos preparados nos EUA continuam a evoluir, refletindo os investimentos realizados nos últimos anos”, analisou o CEO.

“Nossas operações europeias mais uma vez produziram melhorias contínuas nos resultados, impulsionadas por maior eficiência operacional, investimentos em automação, foco em maiores rendimentos e melhor mitigação dos custos de insumos. Juntando-se à nossa equipe global durante o trimestre, as operações recém-adquiridas estão com um forte início e já estão gerando EBITDA positivo. O sólido desempenho foi impulsionado pelas fortes exportações de suínos e boa demanda doméstica, bem como pelas implementações iniciais de melhorias operacionais”, complementa.

A Pilgrim’s Pride

A Pilgrim’s Pride emprega aproximadamente 58.500 pessoas e opera fábricas de processamento de proteínas e instalações de alimentos preparados em 14 estados, Porto Rico, México, Reino Unido e Europa continental. A distribuição principal da empresa é por meio de varejistas e distribuidores de serviços de alimentação.

A empresa tem sede em Greeley, no Colorado.

LEIA MAIS
JBS (JBSS3) compra frigoríficos americano por cerca de R$ 1 bi

BNDES deve vender suas ações da JBS (JBSS3) de uma vez apenas em junho