PIB da zona do euro recua 14,7% no segundo trimestre

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Crédito: Reprodução/Pexels

No segundo trimestre de 2020, ainda fortemente marcado por medidas de contenção à Covid-19, o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro recuou 14,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. A segunda leitura prévia veio um pouco melhor do que os 15% projetados pela primeira.

Na União Europeia, o recuo foi de 13,9%. No primeiro trimestre, a zona do euro registrou queda de 3,2% no PIB, na comparação anual. E a União Europeia, queda de 2,7%.

Na comparação com o trimestre anterior, a queda foi de 11,8% na zona do euro. E de 11,4% na União Europeia.

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Os recuos são os mais acentuados da série histórica, iniciada em 1995, informa o Eurostat, escritório oficial de estatísticas da região.

PIB zona do euro

Reprodução/Eurostat

Queda do PIB por países

Entre os Estados-Membros para os quais existem dados disponíveis para o segundo trimestre de 2020, a Espanha registrou a queda mais acentuada: 18,5%. Na sequência vem a Croácia (-14,9%), a Hungria (-14,5%), a Grécia (-14,0%), Portugal (-13,9%) e França (-13,8%).

As menores quedas do PIB foram observadas na Finlândia (-4,5%), na Lituânia (-5,5%) e na Estônia (-5,6%). Irlanda (-6,1%), Letônia (-6,5%) e Dinamarca (-6,9%) vêm na sequência.

Reprodução/Eurostat