PIB cresceu 0,6% em outubro, aponta Monitor da FGV

Victória Anhesini
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie
1

Crédito: Divulgação

O Monitor do PIB, divulgado nesta quarta-feira (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), aponta crescimento de 0,6% na atividade econômica em outubro ante a setembro. Além disso, em comparação ao trimestre móvel encerrado em julho, cresceu 6,4%. Na comparação interanual, a economia apresentou queda de 2,7% e de 3,1% no trimestre móvel finalizado em outubro.

“O forte crescimento de 7,7% da economia brasileira no 3º trimestre reverteu, em parte, a forte retração de 9,7% registrada no 2º trimestre deste ano”, disse Claudio Considera, coordenador da pesquisa.

No entanto, este crescimento não teve continuidade em outubro, que apresenta menor taxa mensal desde a forte retração de abril. Conforme o coordenador, a tendência da economia parece se retomar às incipientes taxas mensais do início do ano, pré pandemia.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

“Das doze atividades desagregadas que compõem o PIB apenas 6 apresentam-se no plano positivo tanto contra mês anterior, como na comparação interanual. Registre-se que o setor de serviços ainda apresenta grande resistência à recuperação com grande influência das atividades de transportes, de administração pública, e particularmente de outros serviços que pesa quase 15% do PIB”, afirmou.

Desempenho

De acordo com Claudio, os resultados são reflexos do fraco desempenho dos dois principais componentes da demanda. Estes são: o consumo das famílias e a formação bruta de capital fixo. A flexibilização das medidas de isolamento trouxe uma pequena melhora para alguns setores. Entretanto, o crescimento observado ainda é insuficiente para trazer o consumo para o plano positivo.

Produtos não duráveis e duráveis consumidos pelas famílias foram favorecidos pelo auxílio emergencial e pelo comércio virtual. Mas os serviços continuam travando a economia. Por sua vez, são todos negativos os desempenhos dos componentes da formação bruta de capital fixo. Em particular, o setor da construção que se compõe principalmente de moradias e obras públicas.

“Com o recrudescimento da pandemia fica dificultada uma recuperação mais robusta do setor de serviços, que é a atividade mais relevante da economia brasileira”, afirma Considera.

 

Gostaria de ter orientação sobre como investir e onde? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos poderá ajudar em sua jornada.